Zoom Fatigue: o efeito das reuniões online após 1 ano de pandemia - WHOW

Pessoas

Zoom Fatigue: o efeito das reuniões online após 1 ano de pandemia

Temos nosso rosto exposto aos demais e à nossa própria auto avaliação na tela. Seria o mesmo que ficar em frente a um espelho 8h por dia

POR Redação Whow! | 03/05/2021 17h33

A realidade nos últimos 2 anos se modificou drasticamente. Grande parte da sociedade está afastada socialmente. Seja dos nossos parentes, amigos e até colegas de trabalho. É tudo novo e apesar de muitos se adaptarem facilmente a este modo de viver, diversos pesquisadores apontam uma outra pandemia de saúde mental. 

Um estudo realizado pela Fiocruz, indica que quase metade dos trabalhadores brasileiros estão sofrendo de ansiedade ou depressão. Nesse sentido, surge a “Zoom Fatigue”.

São diversos os problemas que tanto tempo de isolamento social nos traz, os profissionais de saúde mental estão cada vez mais atentos aos efeitos dessa mudança de hábitos em milhões de trabalhadores. Bem como às mazelas geradas por tantas reuniões de Zoom, ou qualquer outro serviço de vídeo chamada.

O que é o fenômeno zoom fatigue

Ainda que estamos usando o Zoom para conversar com aqueles que sentimos falta, alguns pesquisadores de Stanford alertam para os riscos à saúde mental que essas reuniões podem trazer. 

A pesquisa não tem como enfoque criticar alguma plataforma específica, apenas alertar como esta ferramenta pode causar estresse aos usuários. Em outras palavras, tantas videochamadas provavelmente estão te cansando.

Jeremy Bailenson, autor do estudo, compara com o que acontece num elevador. Quando ficamos dentro de um perímetro pequeno com um desconhecido, é desconfortável certo? Para fugir desta situação, a reação natural é minimizar o contato visual. 

Porém, no Zoom acontece justamente o oposto. Há um estresse causado pelo mosaico de rostos, no qual interagimos de perto e com dificuldade de captar linguagens não verbais. Nesse sentido, ficamos “cara a cara” durante horas com os integrantes. Mas isto nem é o mais grave, passamos a reunião inteira com a possibilidade de observar nossa imagem. 

Temos nosso rosto exposto aos demais e à nossa própria auto avaliação na tela. Seria o mesmo que ficar em frente a um espelho 8h por dia. E é nesse ponto que o Zoom Fatigue surge, no cansaço e estresse gerado por essa superexposição à própria imagem.

São 4 as principais razões que causam o “Zoom Fatigue”, confira:

 Excessivo contato visual

Tanto a quantidade de contato visual, quanto o tamanho dos rostos que temos contato, não é natural. Numa reunião presencial, todos estão olhando para o orador ou para suas anotações. No Zoom, temos a sensação que todos nos olham o tempo todo. Sentimos o estresse como se fossemos o centro da atenção sempre. 

Além disso, o nosso cérebro interpreta os rostos que estão a cerca de um metro do computador, como uma situação intensa e que experimentamos poucas vezes ao longo do dia.

Sensação de espelho constante

Imagina passar o dia com espelho te seguindo? Enquanto você conversa, dá ou recebe feedbacks? É exaustivo. Ninguém está preparado para isso. Quando vemos um reflexo ou uma imagem de nós mesmos, somos críticos. É uma carga emocional que se acumula a cada vez que nos vemos.

Redução da mobilidade natural

Conversas presenciais ou telefonemas, nos permitem se locomover com maior liberdade. No entanto, nas chamadas de vídeo temos um espaço delimitado. Esta limitação não é natural. Além disso, há pesquisas que indicam que temos um desempenho maior quando podemos nos locomover.

Maior carga cognitiva

Quando interagimos presencialmente, interpretamos e fazemos naturalmente. Ou seja, a comunicação não verbal é bastante natural. Porém, em bate-papos por vídeo, exigimos mais do nosso cérebro para enviar e receber esses sinais.

Saiba como reduzir o Zoom Fatigue e cuidar da saúde mental

No entanto, há algumas maneiras de reverter esse quadro. Nesse sentido, algumas ações podem melhorar essa prática virtual. Por exemplo:

  • Não usar a tela cheia em vídeo chamadas e diminuir o tamanho da janela. Bem como utilizar mouse e teclado que permitam que você se afaste um pouco da tela. Dessa forma, o seu cérebro já irá conseguir assimilar melhor tantos rostos vistos na tela.
  • Ocultar a auto-visualização. Ou seja, se prepare antes para quando estiver na reunião, não precise se observar. Essa prática tornará seus encontros virtuais menos cansativos.
  • Utilize a opção “apenas áudio”, quando puder. Mas isso não significa apenas desligar a câmera. É preferível também se afastar ou desviar a visão do computador. Dessa forma você terá maior liberdade para se locomover e descansar a mente.
  • Oriente sua equipe como dividir o tempo social e o trabalho. Se o seu trabalho utiliza frequentemente as reuniões virtuais, é muito importante saber como fazer isso da maneira mais saudável possível. É preciso haver pausas tanto no trabalho, quanto nas chamadas. Estar de home office não significa que o funcionário está todo o tempo disponível. Ou seja, dê tempo para pausas, assim como aconteceriam no trabalho físico.

Utilizar estas práticas pode parecer simples e fácil de ser realizado, todavia na correria que somos submetidos diariamente, a tendência é voltarmos à estaca zero. Então, é preciso se policiar e informar sua equipe.

Os impactos das reuniões virtuais após 1 ano de pandemia

No início da pandemia, quando começamos a nos distanciar socialmente, as vídeo chamadas foram recebidas com muito entusiasmo. Era possível ver frequentemente, diversos registros de amigos, familiares e colegas de trabalho. 

Foi uma novidade animadora para uma situação de isolamento social. Porém, após um ano nessa situação, a sociedade já não enxerga este recurso com a mesma alegria. Nesse sentido, muitos têm a sensação de abuso no uso cotidiano de uma ferramenta que até pouco tempo atrás era praticamente desconhecida. 

Até mesmo o criador da plataforma, Eric Yuan, reclamou, numa entrevista para a Bloomberg, de tantos encontros virtuais. “São muitas reuniões pelo Zoom, odeio”, chegou a afirmar.

Além disso, como pudemos observar, o impacto das reuniões virtuais não são meras reclamações superficiais. O uso demasiado delas está afetando a saúde mental e física dos usuários. 

É preciso que chefes de setores, diretores, ou qualquer outra pessoa que seja responsável pelas reuniões repense as estruturas. Até porque esta pandemia já deixará inúmeras consequências, por que não tentamos evitar mais esta?

O Zoom Fatigue deve ser levado a sério por todos que veem no recurso das videochamadas, uma saída para esse momento de isolamento. Afinal, a principal saída para este momento é nos mantermos saudáveis. 

Gostou desse conteúdo? Aproveite para assinar nossa newsletter e sempre ter acesso a dicas importantes para aprimorar esse processo!