Você sabe o que é Inovação Rápida? - WHOW

Eficiência

Você sabe o que é Inovação Rápida?

Executivo da IBM explica os conceitos da metodologia aplicados em startups unicórnios e que têm sido adotados por grandes corporações

POR Carolina Cozer | 19/02/2021 19h30 Arte Grupo Padrão Arte Grupo Padrão

Startups são emblemas de inovação, porque são capazes de criar soluções com poucos recursos em um curto espaço de tempo. O segredo por trás dessa eficiência está no conceito de Inovação Rápida, que tem sido cada vez mais adotado por corporações para crescerem com baixo investimento e alta performance.

Marcelo Salim, head da IBM Open Ventures, conta ao portal Whow! que a multinacional desenvolve este modelos de inovação dentro de casa através da IBM Garage ― hub de cocriação e inovação para negócios. O nome do hub foi inspirado nas startups, que também são conhecidas como “negócios de garagem”.

“As startups, em vez de fazerem projetos gigantescos, começam pequeno e colocam o produto para funcionar. Elas têm a necessidade de usar a Inovação Rápida porque precisam quebrar o status quo, pensando e fazendo diferente”, diz o executivo.

Ele também aponta que a Inovação Rápida surgiu de diversas fontes, sobretudo do Manifesto Ágil, que incentiva a valorização dos indivíduos e suas interações acima de processos e ferramentas. “A cultura ágil olha muito para a colaboração com o cliente, entendendo que eles conhecem as próprias dores e problemas muito melhor do que as organizações que oferecem as soluções”, comenta.

Inovação Rápida exige mudanças culturais e desapego ao planejamento

Para Marcelo, é preferível que as empresas que desejam inovar com velocidade dediquem mais tempo em um sistema colaborativo que em discussões de contratos e entregas. “É uma mudança cultural. A inovação rápida começa na cabeça antes de passar para os negócios. É uma mudança da forma como as pessoas procedem”, destaca.

Pode não ser fácil para que grandes empresas coloquem essas mudanças de mentalidade em prática, mas elas estão dando conta, segundo o head da IBM Open Ventures. “Hoje a inovação é mais que necessária. Antigamente era um diferencial, mas agora é mandatória para que empresas se mantenham vivas. Desta forma, inovar pode ser caro e ter riscos envolvidos, mas a alternativa, que é não inovar, sai bem mais caro e é ainda mais arriscada”, completa.

Outro pilar do Manifesto Ágil é a resposta rápida às mudanças, fator que envolve um grande desapego ao planejamento. “É importante planejar, mas o plano é uma trilha a qual não se deve estar amarrado”, explica

“A Inovação Rápida é muito mais sobre responder rápido às mudanças e às sutilezas do aprendizado do que seguir um plano que foi desenhado lá atrás.”

Marcelo Salim, head da IBM Open Ventures

Execução imediata e permissão para a “estupidez” 

Além do Manifesto Ágil, o executivo conta que esta forma de inovação da IBM se inspira nos trabalhos de skunk works, desenvolvidos por Lockheed Martin na Segunda Guerra Mundial. Um dos pilares deste projeto é a independência para a ação, para o qual Marcelo exemplifica: “Se estou fazendo um teste para uma empresa, e preciso comprar equipamentos, não deveria ser necessário que eu submeta pedidos para compra ou esperar pela aprovação de superiores ― e sim apenas ir em frente e comprar. A independência para a ação significa partir para a resolução direta de um problema. Isso traz velocidade e agilidade”, afirma.

A variância de consenso também é um pilar importante da Inovação Rápida, permitindo a libertação da criatividade e da experimentação. “Inovação é, no fundo, o gerenciamento da variância de pensamentos e conceitos. No conceito da Inovação Rápida não existe ideia estúpida ― de ideias supostamente estúpidas, com algumas pequenas variações, é possível chegar a respostas espetaculares”, diz.

Ele contextualiza o “estúpido” como algo que nunca povoou o imaginário das pessoas, provocando, assim, certo desconforto cognitivo. Mas esses absurdos, no fim do dia, seriam justamente o combustível capaz de levar negócios à disrupção. “Por isso, na Inovação Rápida sempre se dá chances para as oportunidades antes de olhar para os problemas. Numa corporação as ideias são abafadas com muita velocidade; já na Inovação Rápida as ideias são respeitadas. Não que se valorize a estupidez, mas essas ideias, com alguma variação, podem ser disruptivas”, descreve o executivo.

Por fim, o especialista explica que essa mentalidade está muito atrelada à execução imediata, com outros elementos, como frameworks, laboratórios e softwares sendo utilizados como apetrechos complementares.

“O mais importante no Manifesto Ágil é o fator humano e a mudança de modelo mental. Softwares e maquinários são apenas ferramentas; você pode ter a melhor ferramenta do mundo, mas se não for um bom marceneiro, de nada adiantará. Desta forma, o modelo mental vem em primeiro lugar. Se ele estiver adequado, aí sim as ferramentas podem entrar para potencializar os processos”, conclui.


metodologias ágeis Arte Grupo Padrão


+INOVAÇÃO

Veja os próximos passos da inovação no Brasil
Próximo passo da inovação na Atento: processos disruptivos
A inovação na Votorantim Energia foca em antecipar tendências e acompanhar o ecossistema
Para a Natura, sustentabilidade é vetor de inovação