WHOW

Você sabe o que é bootstrapping?

bootstrapping Foto Freepik capa

Foto: Freepik

Começar um negócio com o investimento ideal já é desafiador. Apesar da disponibilidade de recursos financeiros, nunca é possível prever exatamente como o público receberá determinado produto ou serviço e em quanto tempo ele, de fato, passará a dar lucro. Agora, imagine começar uma empresa do zero, ou com um investimento muito baixo? Essa situação é conhecida como bootstrapping, e apesar de tudo, tem suas vantagens.

O que é e como funciona o bootstrapping

As startups bootstrappers não chamam a atenção da mídia com grandes rodadas de financiamento: os fundadores dependem do fluxo de caixa da própria empresa para expandir seus negócios. À medida que a empresa avança, eles reinvestem a receita obtida para financiar operações diárias e planos de expansão.

Existem diversas maneiras de conseguir recursos para iniciar uma startup que não requerem fundos de investimento. Grande parte das startups no Brasil, aliás, começam sem investimentos externos. Segundo um estudo da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), em 2019, 82% das startups mapeadas não captaram investimentos.

Para obter recursos, muitas delas aderem a financiamentos colaborativos (conhecidos como crowdfunding) ou empréstimos. Algumas ainda surgem com recursos do próprio empreendedor.

Foi o que aconteceu com a Vianuvem, empresa de tecnologia fundada em 2015, que tem como missão desburocratizar os processos de negócios das empresas. Ela foi iniciada com investimento próprio dos três sócios, somado a um financiamento bancário.

No primeiro ano, a empresa faturou R$ 700 mil, e vem dobrando de tamanho a cada ano. “A perspectiva é continuar com esse modelo de negócio até o fim deste ano, e em 2021 buscar investimentos para dar um salto maior. A previsão é fechar 2020 com um faturamento de R$ 10 milhões, e no ano que vem atingir R$ 20 milhões”, diz o CEO Fredy Evangelista, ao Whow!.

Desafios e vantagens do modelo

bootstrapping

Foto: Freepik

Uma das principais vantagens do bootstrapping é o fato de a empresa usar apenas o dinheiro que tem em caixa, mantendo as finanças em dia e evitando dívidas resultantes de juros de financiamentos. “Além disso, o empreendedor acaba tendo maior controle sobre o negócio e mais liberdade para desenvolver sua própria cultura e valores na empresa, já que bootstrappers geralmente são pessoas apaixonadas pela sua ideia”, aponta José Muritiba, diretor-executivo da Abstartups, ao Whow!.

Algumas grandes empresas hoje nasceram neste modelo de negócio, como a Apple e a Dell. Apesar dos exemplos famosos, o bootstrapping não é o caminho mais fácil para expandir um negócio. Por causa da necessidade de reduzir custos, as startups normalmente enfrentam algumas dificuldades para crescer. Os recursos limitados podem dificultar a contratação de colaboradores mais qualificados, por exemplo, além de tornar os empreendedores avessos ao risco e fazê-los perder eventuais oportunidades de crescimento.

O modelo de bootstrapping exige um planejamento muito preciso e eficiente do empreendedor.

“A mentalidade simples que tanto falamos para startups em fase de ideação, neste caso, é fundamental. O foco deve estar no serviço e/ou produto oferecido ao cliente, fazendo o máximo para crescer o seu negócio.”

José Muritiba, diretor-executivo da Abstartups

Por isso, é importante que que as startups que optam por esse tipo de expansão contem, sempre que possível, com um time multidisciplinar desde o início, capaz de “cercar” a empresa em diferentes frentes. “Os perfis dos sócios da Vianuvem eram complementares. Tínhamos o braço de vendas, operação e tecnologia. A relação entre os sócios e as crenças compartilhadas em relação à criação de uma cultura organizacional foram motivo de empoderamento para a escolha desse modelo bootstrapping no início do negócio”, conta Fredy.

Dicas para quem vai começar como bootstrapper

O diretor-executivo da Abstartups diz que não existe fórmula mágica para empreender, mas que algumas dicas são essenciais para quem deseja ser um bootstrapper, como mapear por completo o mercado e criar um modelo de negócios que capte receitas rapidamente: “Uma mentalidade administrativa e fluxo de caixa são fundamentais. Erre rápido, aprenda rápido e corrija rápido”, diz.

Para o CEO da Vianuvem, um dos segredos do sucesso é a transparência.

“Quando as regras do jogo estão claras, não existe frustração. Além disso, a transparência com todos os envolvidos estreita as relações e constrói confiança.”

Fredy Evangelista, CEO da Vianuvem

“O resultado é o sentimento de que todos estão no mesmo barco, e só depende de todos os envolvidos para transformar esse barco em um foguete”, conclui o empreendedor.


+STARTUP

Como ter uma startup de destaque em meio à uma “selva de unicórnios”?
O que motiva uma startup a participar de um programa de aceleração
Especial investimentos em startups: 13 aportes e 12 aquisições em julho
As diferenças entre investimento em startups e na Bolsa de Valores

Sair da versão mobile