Veja dicas para desenvolver um pitch e pitch deck - WHOW
Eficiência

Veja dicas para desenvolver um pitch e pitch deck

Capacidade de síntese e entendimento da maturidade do negócio são fundamentais para conquistar a confiança do investidor e se diferenciar da concorrência

POR Luiza Bravo | 08/07/2020 16h41

O sonho de todo empreendedor que monta uma startup é, sem dúvida, conseguir um bom investidor que acredite no seu projeto e financie o crescimento da empresa. Uma das formas de se conquistar isso é através do pitch, uma apresentação a potenciais investidores não apenas da solução que o negócio oferece, mas também da equipe que o conduz e do propósito por trás dele. Mas como se destacar em meio a tantas propostas? O Whow! conversou com dois especialistas e traz as principais dicas e insights.

O pitch perfeito existe?

Existem diferentes formatos de pitch, mas uma coisa todos eles têm em comum: a agilidade. Por isso, antes de mais nada, é preciso conhecer bem o seu público para saber como atrair sua atenção em pouco tempo. “O importante é focar basicamente em três dimensões principais: qual o problema que você está resolvendo, por que a sua equipe é adequada para tocar o projeto e qual o modelo de negócio por trás dele, ou seja, como você vai ganhar dinheiro com isso”, diz o CEO da 100 Open Startups, Bruno Rondani, ao Whow!.

Quando o empreendedor tem a sorte de contar com mais tempo em sua apresentação, consegue detalhar outros pontos relevantes do negócio, como a descrição técnica do seu produto e seu plano financeiro. 

Vale destacar que, apesar de ser o mais comum, nem sempre o pitch é voltado para investidores: às vezes, a apresentação tem o objetivo de conquistar um novo parceiro de negócios ou novos clientes. “Nesse caso, o mais importante é esclarecer como o parceiro que está te ouvindo também vai se beneficiar, qual a oportunidade para ele”, explica Bruno. 

Amanda Graciano, head de Portfolio & Business Development no iDEXO, braço de inovação aberta da TOTV, reforça a necessidade de se identificar com qual público o empreendedor vai falar e por quanto tempo. “Se eu quiser fazer um pitch deck para um programa de aceleração, por exemplo, todas as informações precisam ser direcionadas para aquele desafio. Se o meu pitch for para apresentar minha empresa para investidores, além do que o meu negócio faz, eu preciso colocar informações como meu plano de crescimento, estratégia, como o dinheiro vai ser usado e para que“, conta.

Antes de participar de um pitch, é fundamental também que o empreendedor faça uma avaliação sincera do seu negócio para entender seu nível de maturidade e, assim, usar a linguagem adequada à etapa em que se encontra. Segundo o CEO da 100 Open Startups, existe uma tendência do empreendedor menos experiente de subestimar dificuldades que existam no negócio por desconhecimento, e é justamente isso que o investidor mais avalia: se o empreendedor sabe o que está falando e se tem conhecimento do mercado. “É muito importante não apresentar o projeto como já sendo o todo, mas uma etapa de desenvolvimento da empresa, reconhecendo que existem várias fases e barreiras a serem vencidas”, recomenda.

Como vender sua ideia

O pitch deck, material de apoio utilizado pelo empreendedor durante o pitch, pode ser um poderoso aliado na hora de angariar investimentos. Foi a partir dele, por exemplo, que grandes empresas como Facebook, Airbnb, Uber e Youtube conseguiram levantar milhões de dólares.

Uma pesquisa da DocSend revelou que investidores gastam, em média, três minutos e 44 segundos em cada pitch deck. Por isso, as apresentações precisam ser simples, claras, convincentes e impactantes.

O deck precisa falar qual problema você resolve. Qual a solucção, como se dá essa solução. Você precisa provar que conseguiu validar o mercado, trazer dados,” explica Amanda. Ela resume que os principais pontos necessários no deck são: produto, problema, solução, mercado, concorrência, time, proposta e cotação.

Outra dica para isso é utilizar o design a seu favor: destaque apenas os números necessários para contar sua história e use cores e fontes que tenham a ver com a sua marca. As informações devem ser comprovadas com dados e fontes, para transmitir consistência e credibilidade.

Antes de fazer sua apresentação a potenciais investidores, Bruno recomenda que o empreendedor assista e avalie outros pitches, e que compartilhe seu material com pessoas da área para receber bons feedbacks. “Fale com outras startups que já passaram pelo processo, valide sua apresentação antes. Siga os guidelines, as principais referências, e tenha cuidado ao inovar”, alerta.

De acordo com ele, uma das principais chaves para o sucesso de uma apresentação é a coerência: “Um plano que preveja um crescimento muito pequeno ou um projeto muito pouco ousado assusta porque é pouco atraente, e ninguém quer investir em um sonho pequeno. Por outro lado, um sonho grande assusta quando a pessoa não coloca claramente as etapas necessárias para chegar lá. Essa falta de equilíbrio entre a ambição e o tamanho da oportunidade é o que afasta o investidor.”


Confira esta live sobre Gestão Ágil e Vendas na Era Digital


+ STARTUPS

4 Startups que ajudam a Porto Seguro a criar novos negócios e aprimorar processos
Processos de aceleração e incubação para startups abertos ainda em 2019
Brasil tem novo unicórnio. Saiba mais
Edtechs: qual país está liderando esse movimento?