Mais um unicórnio brasileiro: Loggi já vale US$ 1 bilhão - WHOW
Vendas

Mais um unicórnio brasileiro: Loggi já vale US$ 1 bilhão

Aporte de 150 milhões de dólares feito por diferentes investidores coloca a startup no seleto grupo de unicórnios brasileiros

POR Redação Whow! | 17/06/2019 20h23 Mais um unicórnio brasileiro: Loggi já vale US$ 1 bilhão

A Loggi bateu, nesta semana, a marca de 1 bilhão de dólares em valor de mercado. Isso coloca a startup brasileira no seleto hall das que ultrapassaram a casa do bilhão. Nono unicórnio brasileiro, a Loggi é também o segundo no segmento de entrega, sendo o iFood o primeiro. No setor bancário, Nubank, Stone e PagSeguro alcançaram o valor de 1 bilhão de dólares. Ascenty (data center), Arco (educação) e Gympass (saúde) já haviam chegado ao patamar em outros segmentos.

A Loggi surgiu em 2013 e em 2018 atingiu a marca de 36 milhões de entregas para grandes varejistas como Mercado Livre, Amazon, Dafiti e B2W (dona da Americanas.com). A empresa tem dois centros de distribuição que estão localizados em São Paulo. A empresa espera entregar 1,8 bilhões de produtos anualmente num horizonte de 5 anos.

Entre os investidores está o Softbank, banco japonês que tem se destacado entre os maiores investidores no setor de tecnologia. Em abril, a Rappi, outra startup brasileira do segmento de delivery, ganhou investimento de 1 bilhão de dólares do fundo japonês. Antes disso, o iFood havia recebido 500 milhões de dólares do mesmo investidor.Além do banco japonês, Fifith, GGV Microsoft Velt e Wall foram responsáveis pelo aporte de 150 milhões de dólares, que será aplicado principalmente na área de pesquisa e desenvolvimento. Segundo o Valor Econômico, o plano é montar uma equipe com mais de mil desenvolvedores de tecnologia.

Rodadas anteriores

No ano de seu nascimento, a Loggi recebeu aporte de 2,5 milhões de reais. No ano seguinte, foram investidos mais 10 milhões de reais. Em 2015, o aporte foi de 50 milhões de reais. Em 2017, 50 milhões de reais foram aplicados. No último aporte antes de a Loggi se tornar um unicórnio, a Microsoft já havia participado do investimento. Outras empresas que se destacam entre as que investiram na startup brasileira estão a Qualcomm Ventures, da empresa chinesa de tecnologia responsável por produzir o iPhone, e Monashees, fundo brasileiro de venture capital.


+DISRUPÇÃO

O que é inovação disruptiva, e por que é tão importante?
Uma disrupção para cada tipo de empresa
As 17 empresas mais disruptivas do mundo

Um mercado em disrupção: o Brasil 2020 é fruto de uma auto-inovação