Uffa aposta em cashback e atendimento diferenciado na cobrança de dívidas - WHOW
Eficiência

Uffa aposta em cashback e atendimento diferenciado na cobrança de dívidas

Fintech já conta com 14 milhões de clientes, número que pode chegar a 35 milhões já no início de 2022, segundo a CEO e fundadora

POR Marcelo Almeida | 09/12/2021 18h43 Uffa aposta em cashback e atendimento diferenciado na cobrança de dívidas

O Uffa é uma fintech que tem como objetivo proporcionar uma experiência positiva às pessoas que precisam resolver problemas financeiros, seja na negociação de uma dívida, solicitação de crédito ou abertura de conta.

Dados divulgados pela companhia apontam que ela tem conseguido alcançar esse objetivo: em menos de dois anos de atuação, a Uffa já conta com mais de 14 milhões de pessoas em sua base.

Trata-se um número expressivo, mesmo considerando que a empresa explora um enorme mercado: o total de brasileiros endividados chegou a 74% da população economicamente ativa em setembro de 2021, 1,1 ponto percentual (p.p.) acima do verificado em agosto. Em relação a setembro de 2020, o nível de endividamento da população ficou 6,8 p.p. acima, segundo pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Origem da fintech

A startup teve uma origem curiosa. Ana Paula Pisaneschi, cofundadora e CEO do Uffa, conta que, quando atuava em outra empresa, a Tróchia, eles precisaram contratar portais de negociação de dívidas por conta da alta demanda. 

“Contratamos quatro dos maiores portais e o que acabou acontecendo é que, depois de um ano de prestação de serviços, os portais recuperaram zero reais para a gente, nunca emitiram uma nota fiscal. Então a gente foi tentar entender o porquê, e percebemos que quando era uma cobrança recente, mais fácil, quase como um lembrete, os portais funcionavam muito bem. Mas pra dívidas de fundo, que são mais atrasadas e mais complexas, os serviços não funcionavam”, afirma Pisaneschi.

Diante disso, foi decidido que eles criariam um portal de negociação voltado para negociar as dívidas referentes à Tróchia.

“Desenvolvemos o portal já com um mindset completamente invertido, porque para ter um índice de recuperação, em primeiro lugar temos que atender as pessoas, então todo o portal foi construído pró-pessoas e não pró-credor. Quando a gente se colocou no lugar da pessoas para desenvolver todas as features tecnológicas para atender ao que elas querem, precisam e gostariam, o resultado final foi que, além de atender a nossa empresa, acabamos atendendo a todo um mercado que tinha uma demanda reprimida”, afirma ela.

A unidade de negócios, portanto, acabou alçando voo, fazendo um spin-off e se tornando uma empresa independente da Tróchia. Atualmente, o leque de serviços oferecidos aos clientes engloba desde resolução de dívidas até acesso ao crédito, com um marketplace que oferece uma solução que realiza a consulta do CPF, simula diferentes cenários e finaliza a jornada em menos de 3 minutos.

Diferenciais da Uffa

A CEO da companhia esclareceu de forma mais didática a forma como eles atuam no mercado, em um modelo b2b2c.

“Eu não trabalho em mar aberto, eu preciso fechar grandes contas, grandes parcerias para que o Uffa tenha aqui as dívidas desses clientes dentro do portal para que possam ser negociadas. Essa parceria, portanto, é B2B, para que eu tenha o C”, afirma ela.

Atualmente, portanto, eles possuem 14 milhões de CPFs com dívidas de 12 empresas que já se cadastraram. Após obter essa “carteira de clientes”, a empresa passa a ser a responsável por negociar a dívida com essas pessoas. Esse número deve passar para 35 milhões já no próximo mês de fevereiro, já que a empresa fechou grandes contratos, segundo a CEO.

O principal trunfo da companhia é transformar uma experiência negativa do passado em uma jornada positiva. Ao entrar no site, basta fazer um cadastro simples para verificar se seu CPF está associado a qualquer dívida que a empresa está administrando.

Sobre os diferenciais da companhia, a CEO da empresa cita alguns principais.

“Ninguém tem cashback em cartão de crédito pré-pago para pagamento de dívida como a gente. Então, toda vez que uma pessoa negocia uma dívida, ela ganha um dinheiro de volta nesse cartão. Outra coisa é que oferecemos vouchers especiais que dão descontos além dos que são tradicionais no nosso mercado de crédito e cobrança. Em um único lugar a pessoa consegue pagar dívidas e solicitar empréstimos”, afirma Pisaneschi.

Por envolver um cartão pré-pago, a empresária ressalta que a iniciativa inclui mesmo quem não tem contas em bancos, algo pensado pela companhia para incluir cerca de 16 milhões de brasileiros que ainda são desbancarizados (de acordo com dados do Instituto Locomotiva divulgados em abril deste ano).

Ela também destaca outros fatores como adaptação da linguagem e educação financeira.

“Nossa comunicação é direta e reta, o que é muito importante, porque trazer educação financeira para o povo brasileiro começa por falar uma língua que possa ser compreendida por todos. A gente busca trazer educação financeira para as pessoas de maneira lúdica, sem blablablá e sem blogs de mil palavras pra ranquear no Google. O objetivo é realmente mostrar como ele pode sair do vermelho por meio de pequenos detalhes, como mostrar que é mais fácil pegar um empréstimo com 2% de juros ao mês do que continuar pagando o rotativo do cartão de crédito com 14% ao mês, e essas coisas precisam ser ditas de uma forma muito direta e transparente para que as pessoas entendam. E não estou falando só de pessoas de baixa renda, estou falando de todo mundo, não tem classe pra dívidas”, diz ela.

Investimento

Recentemente, a empresa recebeu investimentos da gigante varejista Via (antiga Via Varejo). De acordo com Pisaneschi, a maior parte dos investimentos será direcionada para investir no potencial humano da empresa.

“O principal investimento do Uffa com esse aporte é nos Recursos Humanos na forma mais apegada à palavra possível. A ideia é aumentar o time, estruturar ainda mais o time e fidelizar os profissionais que temos aqui”, diz ela.