Maturidade digital para PMEs é muito mais que presença nas redes sociais - WHOW

Inovação

Maturidade digital para PMEs é muito mais que presença nas redes sociais

Os estágios da maturidade digital estão na relação entre a tecnologia e a criatividade, pois não há uma “receita de bolo” para o marketing digital

POR Daniel Patrick Martins | 18/08/2021 15h18

O mundo digital para as pequenas e médias empresas não se resume apenas às redes sociais, por mais que a presença digital seja importante para a relevância dos negócios. Essa transformação dos empreendimentos para a maturidade digital está em estágio inicial no Brasil. Inclusive, neste artigo da Whow!, falamos sobre o impacto da transformação digital na sociedade.

Segundo o Mapa de Digitalização das Micro e Pequenas Empresas Brasileiras, estudo realizado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), somente 3% são líderes digitais, que corresponde ao nível 4, o mais alto em relação à maturidade digital. O levantamento leva em conta o grau de implementação de 25 boas práticas digitais e da utilização de tecnologias habilitadoras para definir o nível de maturidade das pequenas empresas.

A maioria das PMEs (66%) estão nos níveis 1 e 2, sendo 18% analógicas e 48% emergentes, respectivamente. E 30% delas estão no intermediário, que correspondente ao nível 3 de maturidade digital.

Ainda de acordo com a pesquisa, é primordial a aceleração da digitalização dos negócios, pois as empresas não podem depender somente de mídias sociais, e sim, abarcar todo o processo que envolve o mundo digital para trazer mais inovação ao que se oferece.

“É fundamental que as empresas se adaptem e aproveitem ao máximo os benefícios dessas tecnologias, que contribuem para aperfeiçoar suas operações, criar novos modelos de negócios e gerar mais receitas”, afirmou Igor Calvet, presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Para efetivar essa digitalização e aumentar os sucessos dos negócios, este processo é mais um passo de mudança a favor do empreendimento, pois dá a possibilidade de gerar mais lucros, além de encarar os desafios presentes a qualquer negócio: retenção de clientes, aumento na oferta de produtos e serviços e o engajamento para a satisfação das pessoas em relação à marca.

O mercado de PMEs pode e deve inovar, porque investir em tecnologia traz um retorno rápido – não só nas receitas, mas, também, nas novas experiências para o consumidor. “É importante que as empresas conheçam quem são seus clientes, o que eles buscam e quais problemas podem resolver por eles”, relata Eros Jantsch, vice-presidente de Micro e Pequenos Negócios da TOTVS, empresa brasileira de software, em entrevista a Revista Desenvolve SP.

Mas, e as mídias sociais?

As mídias sociais, que fazem parte deste escopo da digitalização dos negócios e que está inserida na estratégia do marketing digital, entra para auxiliar aos empreendedores nesta busca, e consequentemente, na transformação digital. Pois, a partir desta presença no digital, as ofertas de produtos e serviços ao cliente-consumidor é ampla, real, além de gerar fidelização perante à marca.

“Ser relevante nas mídias sociais é sobre criar conteúdo de valor. Não é sobre fazer propaganda. Você precisa estabelecer um relacionamento com aquele consumidor, com aquele potencial cliente. E relacionamento hoje é estar presente no dia a dia, conectado dessas pessoas, com informações úteis, relevantes. Com conteúdo que a pessoa estava ali procurando para resolver uma dor, necessidade, um desejo. É através do conteúdo que você vai gerando lembrança de marca. Hoje, é fundamental para os pequenos negócios ter presença digital. Você tem que ser encontrado. Estar presente nas mídias sociais é ser descoberto”, explica Rafael Kiso, fundador e CMO da mLabs, plataforma de gestão de mídias sociais, em entrevista exclusiva para a Whow!. E sobre todo este contexto, o fundador da mLabs bate um papo no episódio #10 do Vida Loka Podcast, da Whow! (confira abaixo). 

https://www.youtube.com/watch?v=8HYY9Z8dONU&t=67s

Essa transformação digital é dada pela gestão eficiente, por digitalização do empreendimento, pelo atendimento por aplicativos, chats, e-mails ou por outros canais de compra e venda, além das mídias sociais. Estes são os indicadores da maturidade no digital que todo empreendedor precisa ter ciência para manter os relacionamentos e negócios vivos.

“Todas as empresas que querem estar perto e aderentes às necessidades dos seus clientes devem investir na evolução dos seus processos de negócio alavancando os benefícios oferecidos pela transformação digital, uma vez que todos os seus competidores estão seguindo pelo mesmo caminho”, diz Andre Luis Oliveira, líder em Cloud e Engenharia na Accenture, empresa de consultoria de gestão, em entrevista ao BTG+ Business.