WHOW

Transformação digital: MCTI vai investir R$ 80 milhões em cinco anos para pesquisa, desenvolvimento e inovação na indústria

industria Foto ilustrativa Freepik

Foto ilustrativa (Freepik)

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) buscará aumentar o número de projetos em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, conforme anunciado na última semana (10) no lançamento da Rede MCTI/EMBRAPII de Inovação em Transformação Digital, para a indústria nacional. O projeto vai focar no uso de novas tecnologias como Internet das Coisas (IoT), Manufatura 4.0, Conectividade, principalmente para o desenvolvimento de carros autônomos.

O investimento projetado será de R$ 80 milhões em cinco anos para estas ações. E este valor vem da Lei de Informática e do Programa Rota 2030.

Além do financiamento milionário, 21 organizações de ensino de diferentes regiões brasileiras vão atuar como mentoras, por meio do conhecimento e equipamentos para o desenvolvimento de inovações nos processos produtivos da indústria. Esta rede de apoio terá quatro comitês técnicos: operacionalização, startups, infraestrutura e veículos autônomos, e mobilidade.

Transformação digital brasileira no foco do MCTI

O ministro do MCTI, Marcos Pontes, destacou a necessidade da inovação aberta, incluindo a colaboração da ciência, tecnologia e inovações, como acontece em nações desenvolvidas. “Ela [transformação digital] é uma entidade transversal, precisa ser tratada dessa forma e esta é sem dúvida uma de nossas prioridades”, disse na transmissão online do lançamento do projeto. “E exige uma certa mudança de cultura no país e no reconhecimento da necessidade da tecnologia no país para melhorar o sistema produtivo e enfrentamento de situações como a que passamos agora, durante a pandemia.”

Já Roberto Soboll, presidente do Instituto Eldorado, e quem ficará como responsável pelo novo projeto no primeiro ano, também destacou o benefício do open innovation para que se diminua o risco tecnológico e mercadológico.”Vivemos, hoje, uma tsunami tecnológica. Tudo o que pode ser conectado, será conectado. E tudo o que pode ser medido, será medido. E o nosso papel será de alavancar esta inovação, olhando os dados e transformando isso em valor agregado”, destacou.

Distribuição dos diferentes formatos de investimento

A iniciativa quer aproximar e investir em diferentes tamanhos de empresas brasileiras, mas foco um foco em startups deep techs, que consigam atuar na transformação digital e no aprimoramento de novas tecnologias para a indústria do futuro. E isso pode variar desde a pesquisa e o desenvolvimento de um produto ou tecnologia até o seu lançamento ao mercado, segundo os participantes no evento de lançamento da Rede MCTI/EMBRAPII de Inovação em Transformação Digital.

Serão quatro tipos de investimentos. O aporte do Tipo 1 será destinado para grandes e médias empresas, com Receita Operacional Bruta (ROB) maior que R$ 90 milhões no último ano. Estas companhias vão poder receber até 33% de aporte financeiro no portfólio nos projetos por parte da EMBRAPII.

O Tipo 2 vai envolver duas ou mais empresas de tamanhos distintos, incluindo as startups. Aqui o valor repassado pela EMBRAPII pode chegar a 50% do portfólio do valor dos projetos e ao menos uma das empresas participantes neste projeto deve ter o  ROB igual ou inferior a R$ 90 milhões no último ano.

Já para as pequenas e médias empresas, além das startups, o investimento do Tipo 3 terão um apoio maior por serem consideradas capazes de desenvolverem tecnologias disruptivas.

Desta forma, a EMBRAPII pagará os custos de até 50% do portfólio do valor do projeto de P, D & I.

E no Tipo 4 é focado nas startups para que elas criem novos modelos de negócio. O projeto entende que estas novas empresas precisam de apoio adicional ao colocarem um novo produto ou serviço no mercado. Assim, a EMBRAPII ajudará com contrapartidas em dispêndios como homologações ou certificações, provas de conceito, lotes piloto, registro de propriedade industrial e assessoria qualificada em inovação, design, modelagem de negócios correlatos ao projeto de P&D em cocriação com uma das 21 entidades da rede criada.

E não perca as novidades nas nossas redes sociais no LinkedIn, Instagram, Facebook, YouTube e Twitter.


+TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

3 startups brasileiras podem levar mais inovação para a agricultura com a transformação digital
O próximo passo da inovação no Carrefour está na intensificação da sua transformação digital
Você sabe o que é transformação digital inclusiva?
Transformação digital no campo: o futuro da agricultura conectada

Sair da versão mobile