Tokenização e Blockchain: conheça o case da Liqi - WHOW

Tecnologia

Tokenização e Blockchain: conheça o case da Liqi

Veja como funcionam as transações por tokenização, que se apoiam na tecnologia de blockchain, e conheça uma startup que está apostando neste mercado.

POR Redação Whow! | 10/05/2021 18h32

Já faz alguns anos que as criptomoedas alcançaram visibilidade. Hoje, são as tecnologias de tokenização que estão conquistando espaço entre as transações por blockchain.

Você entende o que isso quer dizer? É possível que essas informações não sejam suficientes, afinal, estamos falando de um assunto cheio de termos técnicos e ainda restrito a um público específico.

Mas a verdade é que a tokenização tem potencial para revolucionar o mercado de ativos financeiros. Todas as pessoas podem se beneficiar com esse mercado, tanto os investidores como os proprietários de ativos.

Acompanhe esta leitura e entenda o que é tokenização e blockchain, além de como ocorrem as operações. Você também vai conhecer a startup Liqi, que está apostando nesse segmento.

Tokenização e blockchain

O que é tokenização?

Se essa é a primeira vez que você lê algo sobre tokenização, não se preocupe. Esse conceito ainda está rompendo barreiras para chegar a empreendedores que não atuam diretamente com criptoativos.

Mas por qual razão esse tipo de transação digital pode interessar a um público mais amplo?

Imagine que a tokenização permite a você investir em uma obra de arte milionária ou, ainda, colocar à disposição do mercado uma patente registrada pela sua empresa sem grande burocracia.

Você vai entender como a tokenização simplifica processos que, de outra forma, seriam bastante onerosos.

As transações ocorrem com a utilização dos tokens. São representações digitais de ativos reais, sejam tangíveis (dinheiro, imóveis, equipamentos) ou intangíveis (marcas, patentes, ativos financeiros como títulos e ações, softwares, direitos autorais).

Uma característica importante é que cada token pode representar apenas uma porcentagem de um ativo. É isso que permitiria a qualquer pessoa ter acesso a uma obra de arte milionária, ainda que seja apenas uma pequena parte.

Se, em algum momento, essa mesma obra for vendida por um valor ainda mais alto do que o estabelecido na tokenização, cada investidor recebe o retorno referente ao seu percentual de propriedade.

É por essa razão que a acessibilidade é considerada uma das principais vantagens da tokenização. Com ativos fracionados, um grupo muito maior de investidores pode negociar tokens.

Quem tem a posse do ativo se beneficia com a liquidez – ou seja, tem uma maior facilidade para realizar transações. O processo fica muito mais dinâmico e abrangente.

A tokenização também reduz custos administrativos, já que conta com contratos inteligentes e menos intermediários na negociação.

O que é blockchain?

Os tokens são um tipo de moeda utilizado para transações em blockchain. Assim como os bitcoins, que já estão mais difundidos.

A tecnologia blockchain permite o registro de operações feitas com moedas virtuais, funcionando como um livro contábil.

Informações como quantia, fornecedor, receptor e data são algumas das que precisam constar no blockchain para garantir segurança em todo o processo.

O termo blockchain se refere a uma cadeia de blocos, que expressa de que forma essa tecnologia funciona.

Em cada bloco é inserido o conteúdo da transação, que gera um código associado ao bloco em questão e também ao anterior.

Essa impressão digital é específica e não sofre alterações. O encadeamento entre os blocos protege as transações de fraudes. Se algum bloco for alterado, fica mais fácil de identificar.

O blockchain conta com apoio de uma rede de pessoas para a conferência da legitimidade das transações. São os chamados mineradores.

Uma transação só pode ser adicionada ao bloco se a maioria dos mineradores considerar que o conteúdo é correto e verdadeiro. Isso mantém a transparência que sustenta a credibilidade do processo.

O nível de confiança é tão alto que o blockchain tem sido aplicado no acompanhamento de projetos que envolvem diversas empresas, como no caso de economia circular, por exemplo.

A Polen, uma startup do Rio de Janeiro, conecta empresas que geram resíduos com companhias que utilizam os mesmos como matéria-prima, e faz o rastreio das transações por meio da tecnologia de blockchain.

Conheça o case da Liqi – Startup que arrecadou 3 milhões

No Brasil, já temos uma startup investindo no mercado promissor de tokenização. A recém-criada Liqi está atraindo olhares depois de captar um montante inicial de R$3 milhões em rodada privada de investimentos.

A startup aposta em três tipos de tokens: 

  • direitos (mecanismo de solidariedade de clube de futebol);
  • equity de empresas privadas;
  • antecipação de recebíveis.

Isso significa uma ampla variedade de ativos que podem ser negociados, de imóveis e participação em empresas a recebíveis do futebol e obras de arte.

A Liqi ajuda empresas que buscam investimento a transformar os seus ativos – tangíveis ou intangíveis – em tokens.

Com a tecnologia da tokenização, investidores que atuam com os mais variados patamares podem encontrar tokens que se enquadrem à sua capacidade de aporte.

Menos intermediários participam das negociações, o que acrescenta clareza e eficiência ao longo de toda a transação.

Um dos desafios para a Liqi – e outras startups que imergem nos serviços de tokenização – é justamente o caráter inovador desse tipo de transação.

Tokenização e blockchain no Brasil

O Brasil ainda carece de regulamentação direcionada, limitando a atuação das empresas. É necessário se apoiar nas regras da Comissão de Valores Monetários (CVM), o que impede comercialização pública de tokens, por exemplo.

Assim como ocorreu com o mercado de criptomoedas em 2017, a tokenização precisa de iniciativas que impulsionem o setor.

Só assim se difundirá mais conhecimento sobre a tecnologia de tokenização, o que incentivará uma regulamentação mais precisa.

Todo o contexto é importante para que empresas e investidores se sintam seguros para apostar nessas transações de ativos.

Agora que você já conhece o básico sobre o assunto, mantenha a curiosidade e a atenção para não deixar escapar oportunidades para o seu negócio. A sua empresa pode se beneficiar nas duas pontas da transação.

Todo o contexto é importante para que empresas e investidores se sintam seguros para apostar nessas transações de ativos.

Agora que você já conhece o básico sobre o assunto, mantenha a curiosidade e a atenção para não deixar escapar oportunidades para o seu negócio. A sua empresa pode se beneficiar nas duas pontas da transação.

Gostou desse conteúdo? Aproveite para assinar nossa newsletter e sempre ter acesso a dicas importantes para aprimorar esse processo!