Tendências e oportunidades para o varejo em 2022 - WHOW

Vendas

Tendências e oportunidades para o varejo em 2022

De acordo com a McKinsey, empresa global de consultoria de gestão, o Brasil é um dos países com maior aumento de receita em e-commerce devido a chegada da COVID-19.

POR Redação Whow! | 17/01/2022 12h07 Foto Blake Wisz (Unsplash)

Com o intuito de ajudar o empreendedor a entender melhor as tendências e oportunidades para o varejo neste ano que está começando, o CEO da Showkase (plataforma que ajuda pequenos negócios a venderem on-line de forma descomplicada), Jefferson Araújo, oferece alguns insights.

Segundo ele, é fato que a chegada da pandemia de COVID-19 trouxe mudanças para todos os negócios.

“Durante 2021 foi possível ver o avanço do comércio eletrônico e a adoção de soluções inovadoras com a missão de manter e até aproximar os vendedores do público, oferecendo ótimas experiências de compra. Para 2022, a tendência é que este cenário mais digital e moderno continue, já que o universo online traz diversas facilidades”, afirma.

De acordo com a McKinsey, empresa global de consultoria de gestão, o Brasil é um dos países com maior aumento de receita em e-commerce devido a chegada da COVID-19.

“Antes da pandemia, a porcentagem de desta modalidade nas empresas era de 42% e com o novo cenário, o número foi para 62%. Além disso, segundo a Neotrust, empresa que monitora o setor varejista, só no primeiro trimestre de 2021, o varejo digital faturou R$ 35,2 bilhões, aumento de 72,2% em relação ao mesmo período do ano anterior”, diz Araújo.

Assim, para 2022, é necessário que varejistas continuem estudando o universo online e inovando para sobreviverem.

“Usar tecnologias que entendem o comportamento dos consumidores, mercado e concorrência continuará sendo essencial para se manterem atualizados. A cada dia surgem novas ferramentas, por isso que a adoção deve ser feita de forma ágil, principalmente porque o ano pode significar a retomada para diversos negócios. Por isso que as vendas no ambiente digital, seja por chat, redes sociais ou plataformas vieram para ficar e as companhias precisam aprimorar constantemente a forma como atendem as pessoas. Em 2022, os clientes vão buscar ainda mais por atendimentos humanizados. Assim, será importante utilizar sistemas que contribuem para melhorar a comunicação, aproveitando a automação de processos para dedicar mais tempo ao relacionamento com o público-alvo”, diz o empresário.

Segundo ele, uma tendência que promete crescer e que está relacionada com a personalização é o recebimento de produtos em casa.

“Essa ação funciona da seguinte forma: as marcas enviam caixas com itens baseados nas preferências das pessoas para que experimentem e escolham aquilo que queiram comprar”, afirma.

Além disso, soluções tecnológicas para a gestão de fretes, precificação de produtos, combate às fraudes, entre outras inovações que envolvem todo o processo de venda vão continuar ganhando espaço, deixando as operações mais práticas e seguras, beneficiando todas as pontas da cadeia, aponta o empresário.

“Em contrapartida as lojas físicas também devem continuar implementando novidades diariamente como os caixas inteligentes que permitem que consumidores façam compras sem precisarem passar os produtos em leitores de códigos de barras, tendo carrinhos com câmeras, tornando possível a contabilização dos produtos de forma automática”, afirma ele. “Assim, é possível concluir que em 2022 o varejo será ainda mais inovador, exigindo que profissionais tenham atenção às principais tendências para não perderem espaço no mercado. Agora é o momento de planejar e adotar estratégias com o objetivo de gerar boas experiências de compra.”