Táxis voadores podem chegar na Flórida - WHOW
Tecnologia

Táxis voadores podem chegar na Flórida

Startup alemã Lilium estuda o lançamento de táxis voadores na cidade de Orlando, Flórida, até o ano de 2025

POR Carolina Cozer | 06/11/2020 12h19

Uma startup alemã de táxis voadores está considerando a cidade de Orlando, na Flórida, para o lançamento de sua frota de veículos elétricos de decolagem vertical.

A startup Lilium Aviation, cuja sede fica em Munique (Alemanha), está buscando incentivos na cidade para a construção de um centro de transporte aéreo de 5 mil metros quadrados, juntamente com a promessa de criar mais de 100 empregos de alto salário e colocar frotas de táxis voadores elétricos nos céus de Orlando até o ano de 2025.

Segundo o Techcrunch, esta poderia ser a primeira frota de carros voadores dos Estados Unidos, e representaria um investimento de US$ 25 milhões com retorno de US$ 1,7 milhão em um período de 10 anos. 

De acordo com o Biz Journal, a cidade de Orlando está otimista com a chegada dos táxis voadores, e acreditam que essa inovação será um ponto de destaque no plano de transformação da cidade para uma Smart City.

Startup decola com táxis voadores

A Lilium descreve a sua futura instalação de táxis voadores como um vertiport, uma área de decolagem e pouso para veículos de decolagem vertical. A empresa já havia buscado cidades na Alemanha para apoiarem o vertiport e o Lilium Jet ― como a startup chama o seu modelo de táxi voador elétrico.

O Lilium Jet é uma aeronave de decolagem vertical (VTOL) de cinco lugares. Sua primeira aparição foi em 2019, mesmo ano em que a startup abriu sua primeira fábrica na Alemanha. Desde então, a Lilium levantou mais de US$ 375 milhões em venture capital ― incluindo uma rodada de US$ 35 milhões liderada por Baillie Gifford, o maior investidor da Tesla, em junho ― e aumentou sua força de trabalho para mais de 500 funcionários.


+NOTÍCIAS

Inovação no setor de ótica: assinatura de lentes de contato
Internet 4G chega na Lua com parceria entre NASA e Nokia
Você sabe como funciona a tecnologia de interface cérebro-computador?
Tendências de futurismo para o mundo pós-pandemia