Sustentabilidade: bom para o mundo, ótimo para os negócios - WHOW
Eficiência

Sustentabilidade: bom para o mundo, ótimo para os negócios

Dois em cada três pequenos empreendedores já adota práticas sustentáveis no cotidiano, mas é necessário saber apresentar as ações sustentáveis ao mercado para valorizar a marca

POR Daniel Patrick Martins | 23/09/2021 15h23 Sustentabilidade: bom para o mundo, ótimo para os negócios

Quando se olha para as questões de sustentabilidade, é preciso ir além do óbvio, pois ao investir em desenvolvimento sustentável, preservação do meio ambiente e da redução de desigualdades, se colabora para uma sociedade mais igualitária. Isto, por sua vez, não se trata de filantropia: empresas de todos os tamanhos que trabalham em prol da sustentabilidade lucram mais. 

No Brasil, as pequenas e médias empresas (PMEs) geram mais de R$ 13,7 milhões por ano, detém mais da metade dos empregos disponibilizados e respondem pela fatia de 27% do PIB, de acordo com informações levantadas pelo Sebrae a partir de dados do IBGE.

O investimento em práticas mais sustentáveis, tais como uso racional de água, eficiência energética e a gestão de resíduos para a preservação do meio ambiente é relevante para 67% dos empreendedores desta categoria. Por vezes, estes empreendedores estão trabalhando com sustentabilidade, mas não o percebem, porque seu objetivo com essas ações era reduzir custos e consequentemente aumentar a lucratividade –  o que também acontece na prática. 

“Uma empresa sustentável é aquela que gera lucro para os acionistas, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com quem mantém interações”, explica Helen Camargo de Almeida, gestora de sustentabilidade do Sebrae. 

Neste sentido, a sigla de ESG (Environmental, Social and Corporate Governance – Ambiental, Social e Governança Corporativa) está cada vez mais presente no cenário do empreendedorismo. Só o fato de empregar tanta gente em meio à crise de desemprego no país já posiciona as PMEs como um setor bastante responsável na questão social. 

Só que não é apenas economizando na conta de luz que se gera lucro a partir da sustentabilidade. Hoje, empresas que pensam no meio-ambiente – e sabem apresentar esta visão aos consumidores – têm suas marcas valorizadas no mercado. Ou seja, ao mesmo tempo em que ajudam o ecossistema a sua volta, empresas sustentáveis ganham em reputação. Isto não está restrito às grandes corporações: recentemente, temos vistos cada vez mais casos de negócios de nicho que crescem por estar alinhados às tendências ambientais.

Nesse sentido, podemos citar os negócios veganos, que produzem alimentos, cosméticos e vestuário sem exploração animal; as pequenas empresas do setor energético, que aumentam a relevância de fontes de energia limpa na sociedade; os negócios na área de resíduos, que ajudam a gestão e correta destinação do lixo e fortalecem a cadeia da reciclagem; e marketplaces de segunda mão, que aumentam a vida útil de produtos diversos e diminuem o nível de consumo e fabricação de novas peças.