Startups que combatem a disseminação de fake news pelo mundo - WHOW
Eficiência

Startups que combatem a disseminação de fake news pelo mundo

As notícias falsas afetam desde a democracia até a saúde pública, além de atentarem contra os negócios do setor. Conheça estas startups

POR Raphael Coraccini | 27/03/2020 17h57 Startups que combatem a disseminação de fake news pelo mundo Foto ilustrativa (Pexels)

Mais acentuadamente desde 2018, o mundo discute o papel das fake news em temas de suprema relevância para a sociedade, desde campanhas eleitorais a notícias sobre vacinação e saúde pública. O assunto ganhou ainda mais força por conta da explosão de fontes não oficias de notícias sobre o coronavírus via redes sociais nos últimos dias.

 Combate às fake news dentro das redes sociais

Em uma pesquisa do Datafolha publicada em maio de 2019, a desconfiança mostrada pelas pessoas sobre a instituição que deveria ser o filtro entre mentira e verdade foi estarrecedora. Apenas 24% dos brasileiros disseram confiar na imprensa. Em junho de 2018, antes das eleições, o nível era ainda pior, apenas 16% de confiabilidade.

Nesse ambiente de redução de credibilidade da mídia tradicional, as redes sociais crescem em relevância. Essas empresas também estão preocupadas com a disseminação de notícias falsas em seus feeds. Desta forma, surgiram startups interessadas em combater as fake news dentro das redes sociais.

fake news Foto ilustrativa (Pexels)

Twitter e Fabula

A londrina Fabula AI existe desde 2018 e usa o aprendizado de máquina para detectar informações falsas e impedir que se espalhem pela internet. A plataforma foi recentemente adquirida pelo Twitter para combater o espalhamento de notícias falsas pela rede, que estava perdendo credibilidade, o que poderia afetar seu valor de mercado, como aconteceu com o Facebook depois das investigações acerca da rede social e sua relação com a Cambridge Analytica em 2018.

Segundo o site Venture Beat, a Fabula AI colocou sua equipe dentro da unidade Cortex do Twitter , que concentra pesquisadores e engenheiros que trabalham em tecnologia de aprendizado de máquina para o a rede social. O cofundador e cientista-chefe da Fabula, Michael Bronstein, liderara, agora, a área de deep learning do Twitter.

A startup atua principalmente no estudo de palavras de maior destaque nas redes sociais, concentrando tudo em gráficos que identificam os assuntos mais comentados e as postagens que atuam na disseminação dessas ideias mais comentadas. “Ao estudar e entender o gráfico do Twitter, composto por milhões de tweets, retweets e curtidas compartilhadas no Twitter todos os dias, poderemos melhorar a saúde da conversa, além de produtos, incluindo cronograma, recomendações, Guia Explorar e a experiência de integração ”, disse Agrawal ao site Venture Beat,.

Bloomsbury e Facebook

Em 2018, o Facebook já havia começado a tentar mudar seu papel como moderador de conteúdos na internet. A empresa havia comprado a Bloomsbury AI, startup que desenvolve inteligência de Linguagem Natural para identificar e combater notícias falsas.

Logically

A tecnologia mais intensa no combate às fake news é o machine learning, área de especialidade da Logically, outra startup londrina que é alimentada por aprendizado de máquina e trabalha na missão de identificar notícias falsas.

Fundada em 2017, a startup se destaca pro combinar aprendizado de máquina e supervisão humana para combater preconceitos e desinformação.

Nwzer

A holandesa Nwzer, também fundada em 2017, tem como premissa o fortalecimento do jornalismo cidadão fomentado por Inteligência Artificial e blockchain.

Basicamente, o jornalismo cidadão é o processo de coleta e disseminação de informações e notícias enviadas pelo público. A Nwzer, que se posiciona como agência de notícias geradas pelo usuário, usa a tecnologia como serviço de apuração, serviço bastante comum nos veículos de mídia tradicional, mas que antes era feito por profissionais. Hoje, com o grande número de informações circulando nas redes sociais, esse trabalho precisa ganhar o reforço de um sistema de automação de leitura que tenha capacidade de identificar mentiras por meio de um complexo sistema de leitura de linguagem natural e inteligência artificial.


+NOTÍCIAS

Como a tecnologia está ajudando a combater as fake news
WhatsApp, Facebook e Twitter fazem acordo com TSE para combater fake news
O fim da improdutividade: como as startups combatem a ineficiência no mundo corporativo
Segurança cibernética vira diferencial competitivo