Startup de recursos humanos recebe investimento de R$ 40 milhões em meio à crise - WHOW
Eficiência

Startup de recursos humanos recebe investimento de R$ 40 milhões em meio à crise

Fundada em 2015, a Gupy usa inteligência artificial, people analytics e um grande foco em experiência do usuário para aprimorar o processo de recrutamento

POR Adriana Fonseca | 24/05/2020 18h00 Startup de recursos humanos recebe investimento de R$ 40 milhões em meio à crise Arte Grupo Padrão (Érika Bernal)

Quando deixou seu cargo em uma multinacional para empreender com a Gupy, Mariana Dias já sonhava alto e, sim, imaginava que este investimento chegaria onde chegou. “Lá atrás, quando saí da Ambev, o sonho de tornar a Gupy uma empresa grande e de muito impacto já existia. Admito que por sempre sonhar muito grande e por acreditar no potencial do setor de RH, eu acreditava que isso aconteceria”, afirmou ao Whow! a CEO e fundadora da startup.

“Estamos muito orgulhosos e agora sonhando ainda mais alto, para levar inovação ao RH para todas as empresas dentro e fora do país. O sonho cresce e certamente, com o time de Gupiers que temos, vamos torná-lo realidade”, completou.

Investimento durante a pandemia

Fundada em 2015, a Gupy de Mariana e mais três sócios recebeu um investimento de R$ 40 milhões no meio de uma das maiores crises da história recente. O investimento foi feito pela Oria Capital, gestora de fundos especializada em  tecnologia. “Enxergamos na Gupy diferenciais competitivos fortes para conseguir manter a liderança em contratações on-line e agregar ainda mais para a transformação digital do RH por meio de uma tecnologia robusta e um nível de serviço capaz de criar um alto valor agregado para os seus clientes”, comentou em nota Paulo Caputo, sócio da Oria Capital.

Para Mariana, a conquista do aporte é consequência de um conjunto de fatores.

“Primeiro, há uma forte necessidade por transformação digital na área de RH, movimento que o setor já vem passando há alguns anos e que ganhou anda mais visibilidade com a crise da Covid-19.”

Mariana Dias, CEO e fundadora da Gupy

investimento Foto Mariana Dias (divulgação Gupy)

Aliado a isso, está a necessidade de mudança nas relações de trabalho.

A Gupy usa inteligência artificial, people analytics e um grande foco em experiência do usuário para aprimorar o processo de recrutamento das empresas. O software desenvolvido pela startup, chamado Gaia, suporta 100% da gestão de candidatos e vagas e oferece uma triagem automática ao identificar os perfis com maior afinidade à vaga. Desde a fundação da HRTech, esse software vem sendo aperfeiçoado constantemente. Hoje, entre os clientes da Gupy estão Ambev, GPA, Sicredi, Vivo, Cielo e Renner.

São mais de mais de 10 milhões de usuários e 600 empresas clientes. Esse alto volume de dados aperfeiçoa constantemente o algoritmo próprio da plataforma, reduzindo os vieses das contratações e permitindo que o recrutamento abarque a diversidade. “Temos orgulho em liderar esse movimento de recrutamento e seleção exatamente por termos provado que somos capazes de gerar resultados tangíveis aos nossos clientes, reduzindo na média 60% do tempo de fechamento de suas vagas, aumentando a diversidades e a satisfação de gestores e candidatos”, afirmou Mariana.

Crescimento da HRTech

No primeiro trimestre de 2020, a Gupy, que tem 150 funcionários, viu sua receita crescer 25%.

“Nesse período, as empresas precisam, mais do que nunca, digitalizar os processos de recrutamento e seleção. Conseguir contratar on-line e com inteligência artificial se provou, além da alternativa mais segura para colaboradores e candidatos, a forma mais eficiente e precisa, o que tem nos ajudado a expandir os negócios, mesmo nesse cenário”

Mariana Dias, CEO e fundadora da Gupy

Segundo a empreendedora, o novo investimento vai permitir à startup expandir suas soluções no momento que o mercado de recursos humanos mais precisa. “Prova também que a nossa tese de transformação digital dessa área é essencial para este novo momento das empresas.”

O dinheiro que entra agora na startup será usado em tecnologia. “Temos o propósito de tornar a gestão de talentos no Brasil ágil, justa e encantadora e esse investimento vai nos ajudar a oferecer mais ferramentas a um setor que, há anos, demanda inovação”, comentou a CEO e fundadora Mariana. “Viabilizar e impulsionar contratações on-line é, sem dúvida, um ponto essencial para a retomada da economia do país após a crise.”

investimentos Arte (Grupo Padrão)


+INVESTIMENTOS

 9 aportes e 7 aquisições em abril no Brasil
20 startups brasileiras receberam investimentos em fevereiro; 5 aquisições

Especial investimentos em startups: 13 aportes e 2 aquisições em março no Brasil
9 startups brasileiras receberam investimentos em janeiro 2020