Startup conhecida como “LinkedIn do TI" ganha um investimento de R$ 3,5 milhões - WHOW

Pessoas

Startup conhecida como “LinkedIn do TI” ganha um investimento de R$ 3,5 milhões

Digital Innovation One cresceu 700% em 2020 e já conta com 300 mil profissionais conectados a 1.000 empresas  

POR Redação Whow! | 08/03/2021 12h23 Foto ilustrativa Gerd Altmann (Pixabay) Foto ilustrativa Gerd Altmann (Pixabay)

Criada há pouco mais de dois anos em Araraquara, no interior do estado de São Paulo, a Digital Innovation One, uma plataforma de educação aberta em Tecnologia da Informação (TI) na qual os interessados aprendem de forma colaborativa e gratuita por meio de bootcamps e cursos online, conquistou o seu primeiro investimento de nível semente, ou Seed, de R$ 3,5 milhões, advindo da DOMO Invest.

Antes, os empreendedores e fundadores Iglá Generoso, Gustavo Pereira e Pablo Zaniolo já haviam conquistado em 2019 um dos dez aportes já realizados pelo fundo de venture capital The Venture City na América do Sul, sem valor divulgado, segundo a plataforma Crunchbase. E isso possibilitou o início da internacionalização da empresa, que dentre os seus clientes tem o Carrefour, a everis e a Stefanini.

“Além de intensificar os programas de formação e aceleração de talentos em tecnologias emergentes junto com grandes empresas, vamos ampliar os programas educacionais e a colaboração com instituições de ensino de nível superior e técnico de todo país, empoderando e potencializando o talento de professores e estudantes de tecnologia para reduzir a lacuna de conhecimento e criar atalhos para o mercado de trabalho”, diz Iglá por meio de sua assessoria.

Startup brasileira quer impactar 1 milhão de interessados em TI

Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), até 2024, serão necessários 420 mil profissionais de TI no Brasil. No entanto, o país forma, aproximadamente, 46 mil pessoas para o setor por ano. E como é notório nas vagas abertas em quase toda empresa, estes colaboradores são cada vez mais requisitados.

Porém, como o portal Whow! divulgou em um artigo de opinião, algumas empresas brasileiras ainda não sabem o que exigir dos profissionais de TI e estes, às vezes, possuem dificuldade para conciliar o conhecimento técnico com o negócio da companhia.

E para ajudar a sanar este problema, a Digital Innovation One, conhecida como o “Linkedin do TI”, treina o profissional de TI se baseando na demanda e cultura organizacional da empresa, e indicando o perfil que mais se aproxima por meio de inteligência artificial. Além disso, ela tem parcerias também na esfera pública para formação em programas também gratuitos dos governos de São Paulo, Minas Gerais, Maranhão e Alagoas, bem como em 160 instituições de ensino no país.

O método de ensino da edtech passa por cursos, mentorias, projetos práticos e desafios de codificação. Após este processo, a startup indica os principais alunos para que empresas que necessitem as novas habilidades reduzam o tempo de contratação. E quem não é indicado também recebe um feedback de desenvolvimento.

“Com a criação de centenas de novas tecnologias esse mercado ficou mais exigente e sofisticado, e os programadores passaram a ser vistos como peça fundamental na evolução da área digital das empresas. Hoje em dia, é impossível imaginar um grande player do mercado ou até mesmo uma startup que está apenas começando, sem a presença de um programador ou um time desses profissionais”, aponta Rodrigo Borges, fundador do Buscapé e atual sócio da DOMO Invest.

De acordo com a startup, em 2020 o seu negócio teve um crescimento de 700% e, atualmente, tem 300 mil profissionais conectados a 1.000 empresas, mas almeja impactar um milhão de pessoas até o final deste ano.

O novo investimento recebido será utilizado para ampliar os programas gratuitos de educação e conexão com oportunidades do mercado de trabalho na área de tecnologia.