Startup de coleta de resíduos é inovação e renda na periferia
Tecnologia

Startup de coleta de resíduos é inovação e renda na periferia

Coleta de resíduos: conheça agora o case incrível da startup Coletando Soluções, que surgiu na periferia e que já gerou mais de 200 mil reais de renda

POR Redação Whow! | 16/06/2021 17h46 Startup de coleta de resíduos é inovação e renda na periferia

Coleta de resíduos: conheça o case da startup Coletando Soluções, criada por um morador da periferia. A empresa, além de resolver o problema da coleta seletiva nas comunidades, está solucionando outra situação: a desbancarização das pessoas de baixa renda. Continue a leitura!

Crise fomenta a criação de novos negócios nas periferias

Acima de tudo, os momentos de crise estimulam o empreendedorismo no Brasil. E, falando da periferia, na maioria das vezes, por necessidade, empreendedores tiram do papel suas ideias de modo empírico. Vendendo  o almoço para comer o jantar: em alguns casos, a realidade é essa. 

Dessa forma, com pouco conhecimento, recurso e nenhuma chance para erros, nascem pequenos negócios. E assim, não são poucas as ideias inovadoras que deixam de escalar por falta de educação financeira. Entretanto, algumas iniciativas fazem sucesso e são inspiradoras, tanto para as comunidades, como para a sociedade em geral

Inovação nas periferias do Brasil

Logo, nas periferias, constantemente surgem inúmeros negócios inovadores e de alto impacto social. Ao mesmo tempo, algumas iniciativas para acelerar tais empresas estão se desenvolvendo. E, mais do que nunca, os negócios que surgem dentro das periferias estão sendo vistos. Prova disso são os movimentos de empresas aceleradoras dentro dessas comunidades. 

Uma delas é a Aceleradora de Negócios de Impacto da Periferia – ANIP, que surgiu da parceria da produtora A Banca com a Artemisia e o Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getulio Vargas – FGVcenn.

O programa é composto por acompanhamentos individuais e mentorias, além da própria aceleração. Logo, os empresários das periferias, selecionados, podem aprender sobre temas diversos, como gestão financeira, marketing digital, questão jurídica entre outros. Então, os que tiverem participação ativa podem receber até mesmo um capital- semente de até 20 mil reais. Nesse contexto, outra iniciativa que vale a pena ser citada é a Semente Negócios, que promove educação financeira em organizações privadas e universidades. 

A Semente Negócios é parceria da prefeitura de São Paulo no programa de inovações tecnológicas para moradores da periferia, o Vai Tec, por exemplo. Agora, conheça o case da Coletando Soluções: startup que nasceu na periferia e ganhou até prêmio internacional de inovação.

Conheça a startup Coletando Soluções

Se até um carro de lixo tem dificuldades de chegar na periferia, que dirá a inovação? Definitivamente para esses veículos, é um verdadeiro desafio enfrentar ruas e vielas. Entretanto, a inovação não escolhe dia, horário e muito menos lugar: basta apenas uma mente empreendedora, que pense fora do lugar comum e que reconheça as oportunidades.

Em síntese, foi unindo tecnologia e inovação ao processo de coleta de lixo que Saulo Ricci, fundador da Coletando Soluções, criou soluções para ele, sua comunidade e sociedade em geral. Tudo começou quando sua filha nasceu em 2008: ele decidiu que queria (e precisava) deixar um legado no mundo. Então criou a Coletando Soluções com objetivo de levar a coleta de lixo seletiva para locais de acesso delicado dentro das comunidades. 

Nesse contexto, a startup estimula a reciclagem através de ecopontos itinerantes na periferia. Ou seja, em troca do resíduo, os moradores e recicladores recebem dinheiro em uma conta digital. 

Como começou a Coletando Soluções

Decidido a encontrar uma solução inovadora para um antigo problema da comunidade, Saulo focou na história de sua própria família.

Para o sustento dele e de seus irmãos, sua mãe arrecadava dinheiro através da reciclagem.  Objetivo definido, Saulo viu que era preciso compreender a dinâmica do segmento que havia escolhido. Portanto, ele fez uma verdadeira imersão nas cooperativas de reciclagem, buscando compreender a rotina dos trabalhadores do ramo.

Assim, em 2013, criou o primeiro modelo de negócio. Na época, desenvolveu um projeto teste com uma companhia de energia do Nordeste, que trocava resíduos por descontos.

Logo em seguida, ouvindo os pedidos de seus clientes, o empresário passou a oferecer um cartão aos consumidores, sendo que o pagamento referente ao material reciclado era disponibilizado imediatamente. 

Fonte de renda para recicladores

Ou seja, além de resolver o problema de coleta seletiva do lixo, a Coletando Soluções estava solucionando mais um: a desbancarização de pessoas de baixa renda. 

“Hoje, quando o usuário vai até o ecoponto, ele já ganha uma conta digital. Isso também ajuda a resolver um problema no Brasil que é a desbancarização, justamente porque as pessoas não têm acesso sem conseguir comprovar renda ou endereço. A realidade da favela ainda é essa em que muitas ruas não têm nome”, conta Saulo.

A empresa, até agora, já recebeu mais de 1 milhão de embalagens, que somam 500 toneladas. Aos recicladores, foi gerada uma renda de mais de 200 mil reais. Ao mundo, o valor agregado da atitude de Saulo, não tem preço. Em 2020, a Coletando Soluções iniciou uma espécie de franquia dos ecopontos.  Portanto, a empresa desenvolveu um sistema de licenciamento com quem desejava ganhar dinheiro com o seu próprio ecoponto.

Startup Destaque no InovAtiva de Impacto

Em 2019 a Coletando Soluções ganhou o prêmio Startup Destaque pelo programa de aceleração InovAtiva de Impacto. Entretanto, não parou por aí: os prêmios chamaram a atenção dos investidores e a startup recebeu um aporte de 620 mil da Criabiz e Anjos do Brasil. Atualmente, a Coletando Soluções possui oito ecopontos itinerantes, que ficam distribuídos nos estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Minas Gerais. 

Até o final deste ano, o empresário pretende aprovar os 98 pedidos de licenciamento de ecopontos. Inspire-se na história da Coletando Soluções. E assim, quem sabe tem algum problema por aí esperando apenas um olhar empreendedor e inovador.

Para receber mais conteúdos interessantes como o case que apresentamos, assine a nossa newsletter e acompanhe o Whow nas redes sociais!