Setor de serviços avança e chega ao maior patamar desde 2015 - WHOW

Vendas

Setor de serviços avança e chega ao maior patamar desde 2015

Em cinco meses, ganho acumulado foi de 6,5%; desde junho do ano passado, foram 14 taxas positivas e apenas uma negativa

POR Marcelo Almeida | 18/10/2021 13h03

Se depender do setor de serviços, o país está demonstrando cada vez mais fôlego para a retomada econômica, após ter sofrido tanto em 2020 com os impactos da pandemia de covid-19. É o que aponta a mais recente Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), do IBGE. 

O volume de serviços teve alta de 0,5% entre julho e agosto, a quinta taxa positiva seguida para o setor, somando um avanço de 6,5%. Isso levou o setor a um patamar 4,6% acima do registrado pré-pandemia, e o maior desde novembro de 2015.

Mesmo com os dados positivos e suficientes para deixar o empresário respirando aliviado, a taxa do setor está 7,1% abaixo do recorde histórico, alcançado em novembro de 2014. Mas isso é algo secundário considerando a importância de reverter as quedas registradas em 2020, o que tem sido conquistado, como mostra a pesquisa.

Para se ter uma ideia, na comparação com agosto de 2020 o volume de serviços teve alta de 16,7%, deixando os piores meses da pandemia cada vez mais longe no retrovisor. Considerando o acumulado no ano, a alta é de 11,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

“O setor de serviços mantém sua trajetória de recuperação em agosto, sobretudo nos serviços considerados não presenciais. Desde junho do ano passado, o setor acumula 14 taxas positivas e somente uma negativa, registrada em março, quando algumas atividades consideradas não essenciais foram fechadas por determinação de governos locais”, afirma o gerente da pesquisa do IBGE, Rodrigo Lobo.