Saiba quais são as tecnologias essenciais para o período pós-pandemia - WHOW
Tecnologia

Saiba quais são as tecnologias essenciais para o período pós-pandemia

A Covid-19 mudou a forma como consumimos produtos e serviços e vai deixar um legado de tecnologias que devem ser cada vez mais utilizadas. Confira

POR Luiza Bravo | 28/07/2020 21h21 Saiba quais são as tecnologias essenciais para o período pós-pandemia Imagem: Freepik

Depois de mais de quatro meses de isolamento social, estamos entrando em um novo estágio da pandemia. Aos poucos, as cidades avançam em seus planos de reabertura: cada vez mais pessoas estão voltando ao trabalho presencial, e da mesma forma, lojas, restaurantes e shoppings começam a retomar suas atividades. Atuais e novas tecnologias foram fundamentais nesse período tão conturbado, e devem continuar facilitando a vida dos brasileiros.

O Whow! listou algumas iniciativas que devem se destacar no chamado no cenário pós-pandemia.

Reconhecimento facial e pagamentos por aproximação

Uma das recomendações mais difundidas para a prevenção do novo coronavírus é evitar, sempre que possível, tocar em superfícies em locais públicos. Com isso, as soluções de pagamento por aproximação, que já vinham ganhando força no país, devem se tornar cada vez mais populares nas lojas físicas.

As transações que não exigem o contato físico entre pessoas também têm se tornado mais comuns. Uma pesquisa realizada pela Visa revelou que 69% dos portadores de cartão de crédito no Brasil utilizam soluções de verificação, como impressão digital e reconhecimento facial, com frequência para acessar serviços bancários ou efetuar pagamentos. 

A tecnologia também está se tornando cada vez mais comum entre as empresas. Pensando nisso, a FullFace criou um sistema de reconhecimento facial que se integra a hardwares e softwares, facilitando processos de autenticação biométrica facial para realizar o controle de acesso dos colaboradores.

“Além de facilitar processos de autenticação, o sistema biométrico será um grande aliado para que as pessoas evitem o contato físico na hora de fazer transações bancárias, estudar, bater ponto na empresa, entre outras atividades. Seu uso será fundamental para garantir não só a segurança dos indivíduos, mas também para conter a disseminação do vírus”, explica Danny Kabiljo, CEO da startup.  

tecnologias Foto ilustrativa (Freepik)

Processos seletivos digitais

A Covid-19 exigiu que milhões de pessoas ao redor do mundo se adaptassem a novas formas de trabalhar, e mostrou que boa parte das viagens e reuniões presenciais realizadas até então eram, na realidade, desnecessárias. Um dos desafios que muitas empresas continuam enfrentando, no entanto, é no que diz respeito aos processos de recrutamento e seleção.

Por isso, cada vez mais organizações buscam tecnologias capazes de automatizar a atração, o desenvolvimento e a retenção de talentos. “Acredito que, com o ‘novo normal’, as companhias terão que manter o uso de tecnologias no dia a dia e precisarão se adequar, principalmente, nos processos que envolvem gestão de pessoas – uma parte importante da estrutura de centro de custo das empresas”, diz Mônica Hauck, fundadora da plataforma de RH Sólides.

Mercado em casa

As compras de supermercado on-line ganharam força com a pandemia. Muita gente, no entanto, ainda prefere escolher os produtos pessoalmente. Nesse cenário, em que as pessoas desejam manter certos hábitos, porém sem abrir mão da segurança, iniciativas como a da market4u têm se fortalecido.

A startup é a maior rede de mercados autônomos e inteligentes do Brasil, que são instalados dentro de condomínios. Os moradores vão até o mercado, selecionam os produtos e realizam o pagamento por meio do aplicativo da empresa – tudo online, sem contato com atendentes e até mesmo com outras máquinas. Segundo Eduardo Cordova, CEO do market4u, o modelo se fortaleceu com a pandemia.

“Cada vez mais os consumidores têm buscado por alternativas e iniciativas que oferecem melhor experiência de compra atrelado com custo e benefício.”

Eduardo Cordova, CEO do market4u

Eventos e congressos on-line

O setor de eventos foi um dos mais impactados pela pandemia. Até que uma vacina com eficácia comprovada seja lançada, eventos como shows, feiras e congressos, que costumam reunir centenas – e até milhares – de pessoas, devem continuar suspensos, ou acontecendo pela internet.

A Congresse.me, primeira e maior plataforma de congressos on-line do Brasil, foi uma das empresas que viram seus negócios crescerem durante a pandemia, ajudando companhias a promover eventos de 100% digitais. De acordo com Luiz Gustavo Borges, CEO e fundador da startup, os eventos on-line já se mostraram como a principal alternativa para o setor e serão grandes aliados na retomada da economia.

“Mesmo com o momento de instabilidade com a pandemia, tivemos um aumento significativo na procura da transformação de eventos tradicionais para o ambiente online. Agora, a ideia é que o on-line não mate o presencial, mas impulsione e vire um novo modelo de negócios capaz de fomentar ainda mais os eventos originais”, conclui.


+TECNOLOGIAS

Exclusivo: presidentes da Microsoft e SAP no Brasil discutem ética dos dados e computação quântica
Conheça os maiores IPOs de todos os tempos
Conheça as cidades com as melhores condições para inovação no mundo
As tecnologias que devem deslanchar, segundo MIT e Accenture