Como a realidade virtual está transformando a experiência do consumidor - WHOW
Consumo

Como a realidade virtual está transformando a experiência do consumidor

Avanço da realidade aumentada cria possibilidades para os e-commerces e lojas físicas proporcionarem novas experiências aos consumidores

POR Luiza Bravo | 08/05/2020 14h53 Como a realidade virtual está transformando a experiência do consumidor Foto ilustrativa (Freepik)

Por natureza, o e-commerce está em constante mutação, e quem deseja avançar nesse mercado precisa estar sempre atento às novas possibilidades. A pandemia de Covid-19 e as orientações de distanciamento social impulsionaram as vendas on-line nas últimas semanas, mas o setor ainda possui gargalos.

Novas possibilidades para o e-commerce

De acordo com o Baymard Institute, cerca de 70% dos internautas abandonam seus carrinhos antes de concluir uma compra, o que indica uma necessidade de os varejistas trabalharem melhor para convencer os clientes a seguir com sua escolha e finalizar a transação.

A realidade virtual e a realidade aumentada podem ser uma das chaves para isso. Juntas, elas têm o potencial de remodelar o mundo do varejo e transformar a experiência de compra do consumidor.

“ O usuário, em geral, no mundo, tem se preocupado com o tempo, principalmente aquele perdido com deslocamento e logística.”

José Evangelista Terrabuio Jr, Head de Inovação e fundador da Beenoculus Tecnologia

“Comprar em vários níveis será desnecessário ir até o local físico, podemos ter uma loja Virtual com volumetria e com os novos dispositivos com graus de liberdade que vão permitir oclusão e volumetria”, disse Terrabuio Jr, ao Whow!.

Segundo a IHS Markit, o mercado global de realidade virtual e aumentada deve movimentar cerca de US$ 100 bilhões em 2020, e mais de 75 milhões de headsets VR devem ser vendidos no ano que vem.

Experiência imersiva

Mas como a RV e a RA podem ajudar a melhorar as vendas on-line? Uma das possibilidades é por meio da criação de lojas virtuais. Essas plataformas oferecem aos clientes uma experiência muito próxima à de uma loja física, sem que você precise sair de casa.

Um dos principais players dessa tecnologia é o Holoroom, da Lowe’s Innovation Labs. A ferramenta foi pioneira na criação de showrooms virtuais, fornecendo ao usuário uma versão simulada de como sua casa ficaria ao ser equipada com determinados produtos. A experiência imersiva permite que os consumidores se sintam mais seguros para comprar itens para casa, já que conseguem visualizar melhor como eles funcionam no ambiente.

Mas não são apenas as lojas de decoração que podem se beneficiar dessas tecnologias. O eBay Austrália, por exemplo, firmou uma parceria com a Myer. Juntos, eles lançaram a primeira loja de departamentos de realidade virtual do mundo. A inovação permite que os clientes mergulhem em uma nova experiência de compras. Mais de 12,5 mil produtos podem ser pesquisados e comprados virtualmente, mas com uma experiência quase idêntica à de uma loja física.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=37&v=yAuiXhJPnr8&feature=emb_logo

Novidade em breve no Brasil

Terrabuio diz que a Beenoculus está desenvolvendo projetos semelhantes no Brasil. “Não posso revelar os clientes ainda, mas o usuário pode fazer compras virtuais usando seu próprio dispositivo. Ele se cadastra, entra em um game e analisa o objeto como se fosse real. Aí é só colocar no carrinho e efetuar a compra”, diz.

As lojas físicas também podem se beneficiar da realidade aumentada, com dispositivos que oferecem conteúdo adicional para os clientes e tornam a experiência mais atraente para os consumidores.

Os óculos de realidade aumentada podem ser usados, por exemplo, para anunciar promoções, fornecer detalhes dos produtos que estão nas araras ou prateleiras e, também, como provadores virtuais.


+REALIDADE VIRTUAL

6 Segmentos que já apostam alto no uso da realidade virtual
Sensores e realidade virtual impactam a construção civil

Empresas inovam no entretenimento com experiências imersivas e sensoriais
Conheça startups com tecnologia para a leitura da mente; uma delas foi comprada pelo Facebook