WHOW

Quando a energia solar vale a pena para sua loja ou escritório?

energia solar

As energias renováveis são uma tendência já há um bom tempo nos mais variados setores, sobretudo pelos benefícios que trazem ao meio-ambiente e mesmo pela economia que geram em alguns casos. Neste contexto, a energia solar surge como uma das alternativas mais adotadas, muito por conta da possibilidade de instalar painéis em pequena escala, sem ser necessário um modelo extensivo e de alto custo. 

Em um cenário de crise energética, torna-se ainda mais relevante pensar em soluções alternativas, principalmente no longo-prazo. Ser uma sociedade menos dependente de apenas uma fonte energética, com uma matriz diversificada entre fontes renováveis, é a situação ideal. 

No Brasil a maior parte de nossa matriz elétrica já vem de uma matriz renovável, a água, por meio das usinas hidrelétricas. Claro que existem questões socioambientais relacionadas às obras em cursos fluviais, mas se comparada a, por exemplo, usinas de carvão, amplamente usadas no mundo inteiro, o impacto negativo para o meio-ambiente como um todo é bem menor. 

Nesse sentido, a discussão acerca da energia solar, principalmente para o empreendedor, torna-se menos focada no meio ambiente e mais na economia que ela gera para quem a utiliza. Não à toa, estão surgindo cada vez mais soluções inovadoras para distribuição de energia solar com a redução de custo como maior benefício. 

Em linhas gerais, se você tem uma loja que gasta cerca de R$ 1000 ao mês com conta de energia, você precisará de uma potência instalada de 12,92 kWp (uma medida que faz referência à energia solar e indica que, no máximo de sua potência, serão gerados 12,92 kilowatts, ou seja, que o “pico” – o P indica isso – de sua geração é de 12,92 kilowatts). Isso não quer dizer, porém, que esse valor será gerado o tempo todo, dada a variabilidade da irradiação solar.

Para a geração dessa quantidade de energia, é necessária uma área mínima de 67,96 m2, ou seja, é preciso considerar se na sua loja ou empresa você tem a essa disponibilidade de espaço para instalar os painéis fotovoltaicos, que nesse exemplo específico serão 38 painéis. O costume é fazer a instalação em cima do telhado, que é uma área subutilizada nas edificações e, normalmente, onde o sol incide na maior parte do dia. 

Com essa instalação, a produção mensal de energia chega a 1.398,25 kWh ao mês, o suficiente para cobrir as necessidades que você gastaria R$1.000 por meio da conta elétrica tradicional. É importante ressaltar que as contas foram baseadas no simulador Portal Solar, uma ferramenta que estima custos e retorno da energia solar, mas o valor e a capacidade de produção energética podem variar com o tempo e o fabricante. 

Resta considerar, agora, o investimento: uma instalação como a considerada nesse exemplo exigiria de R$ 62.665,96 a R$ 69.438,95, um valor considerável mas que pode ser financiado em até 84 vezes. 

Pois bem, ainda de acordo com o Portal Solar, a economia anual seria da ordem de R$ 12.418,70. Isso seria suficiente para você cobrir o seu investimento (caso pago à vista) em pouco mais de 5 anos, passando a gastar quase nada com energia a partir desse ponto (isso porque há uma taxa mínima cobrada pelas distribuidoras mesmo que você não utilize a rede elétrica tradicional, mas os valores são mínimos).

No fim das contas, resta saber se você tem esse capital disponível e, mesmo que não tenha, se está disposto a financiar uma solução em energia solar para economizar um valor considerável após no mínimo cinco anos.

Sair da versão mobile