Qual a diferença entre SaaS, IaaS e PaaS, e como podem ajudar sua empresa? - WHOW

Tecnologia

Qual a diferença entre SaaS, IaaS e PaaS, e como podem ajudar sua empresa?

Os termos referem-se a uma série de serviços fornecidos por meio da computação em nuvem para resolver demandas de usuários e empresas.

POR Marcelo Almeida | 22/11/2021 19h03

Os termos IaaS (Infraestructure as a Service), PaaS (Plataform as a Service) e SaaS (Software as a Service) são usados para se referir a uma série de serviços fornecidos por meio da computação em nuvem para resolver demandas específicas de usuários e empresas, por meio de um modelo de negócio de assinatura ao invés de transação única.

No caso do SaaS, o mais comum dos três, em vez de precisar baixar e instalar determinado software para ter acesso a ele, os aplicativos são disponibilizados para o usuário geralmente por meio dos próprios navegadores, sem a necessidade de downloads ou instalações por parte dos clientes.

O que ocorre geralmente é que o distribuidor garante o acesso por meio da web a uma cópia do aplicativo criada de forma específica para distribuição por SaaS, sendo que o aplicativo roda nos servidores do provedor do serviço, livrando o usuário de uma série de responsabilidades.

Um dos principais aspectos positivos desse tipo de serviço para empresas é que, em vez de ter que ser instalado e atualizado de forma periódica em diversas máquinas diferentes, existe uma centralização desse processo que já é realizado pelo próprio distribuidor do serviço, livrando a empresa contratante dessa responsabilidade. Além disso, ter esse tipo de aplicativo facilita a colaboração entre diversos setores da empresa, já que permite uma integração mais imediata (é possível salvar arquivos na nuvem, por exemplo, garantindo o acesso a diversas pessoas).

Além disso, como e o serviço é cobrado na forma de assinaturas com pagamento recorrente, permite um acesso não tão custoso no primeiro momento.

Cabe observar que o SaaS é o caso em que o maior número de recursos fica a cargo do distribuidor do produto, já que fica a cargo dele prover: dados, aplicativos, runtime, middleware, sistema operacional, virtualização, servidores, armazenamento e networking.

O PaaS, por sua vez, é um intermediário entre o SaaS e o IaaS em termos de terceirização de recursos, sendo que apenas os serviços de dados e aplicativos ficam a cargo do cliente do serviço, com o distribuidor providenciando toda a plataforma em que serão rodados os aplicativos e inseridos os dados, além dos serviços de armazenamento, servidores, runtime e etc.

Mais do que isso, no entanto, ele serve como um ambiente de desenvolvimento e implantação completo na nuvem. PaaS é criado para dar suporte ao ciclo de vida do aplicativo Web completo: compilação, teste, implantação, gerenciamento e atualização.

Para as empresas, o principal ganho está na economia em relação à economia quanto a licenças de softwares, infraestrutura e middleware (software que providencia serviços fora do que é oferecido pelo sistema operacional, como no caso de administração de dados e autenticações).

Já no caso do IaaS, o foco é na contratação de serviços de infraestrutura da computação, armazenamento e rede sob demanda, cujo pagamento é realizado de acordo com o uso pelo cliente. Como o nome sugere, trata-se de um serviço mais limitado do que no caso do Saas e mesmo do PaaS, já que apenas recursos estruturais são fornecidos.

Isso, no entanto, pode ser de grande valor para as empresas, já que a ajuda a economizar na criação e manutenção de datacenters locais, o que pode ser bastante custoso. Além disso, essa solução também permite reduzir custos com hardware, já que proporciona maior armazenamento.

Exemplos de Serviços, Plataformas e Infraestruturas na nuvem

SaaS: Google Workspace, Trello, Slack, HubSpot, Dropbox, GoToMeeting

PaaS: Force.com, Windows Azure, Google App Engine, OpenShift, Apache Stratos, Magento Commerce Cloud.

IaaS: Microsoft Azure, DigitalOcean, Amazon Web Services