As principais aceleradoras de startups da África e da Ásia - WHOW
Tecnologia

As principais aceleradoras de startups da África e da Ásia

Embora a América do Norte tenha as aceleradoras de startups mais estabelecidas do mundo, a África e a Ásia despontam com intensa concorrência

POR Carolina Cozer | 05/06/2020 09h00 As principais aceleradoras de startups da África e da Ásia Imagem ilustrativa (Pixabay)

Construir um negócio é um trabalho árduo, sobretudo nos primeiros anos, em que os recursos são escassos. E é exatamente por isso que existem investidores e aceleradoras.

Juntar-se a aceleradoras pode dar às startups um enorme impulso para começar, pois as vantagens são inúmeras: financiamento, mentorias, networking, recursos educacionais, dentre outros.

Não é novidade que muitas aceleradoras e incubadoras são baseados em lugares como Estados Unidos, Canadá e Reino Unido. Mas também há aceleradoras de grande destaque nos continentes africano e asiático, que oferecem uma intensa concorrência aos modelos mais tradicionais.

Confira abaixo as aceleradoras da África e da Ásia que foram destaque no Crunchbase Rank, que avaliou programas de acordo com o número bem-sucedido de startups aceleradas, exits e diferenciais de mercado.


África

aceleradoras Imagem ilustrativa (Unsplash)

Flat6Labs é uma aceleradora localizada no Cairo, no Egito. Financia e orienta várias startups cuidadosamente selecionadas do Médio Oriente e do Norte da África, fornecendo capital inicial e hospedagem física em suas instalações. Além disso, oferece orientação baseada em experiências educacionais, organizadas em conjunto com a Universidade Americana do Cairo. A Flat6Labs já acelerou mais de 100 companhias em 21 ciclos, gerando mais de 700 novos empregos.

Em Nairóbi, capital do Quênia, uma aceleradora se evidencia por trazer uma proposta que foge do óbvio. O Spring Accelerator foi o primeiro programa de aceleração a fornecer financiamento e mentoria para empresas que com foco em melhorar a vida de meninas adolescentes. Apoiado por três das organizações mais influentes e inovadoras do mundo ― o Departamento de Desenvolvimento Internacional do Reino Unido, a Nike Foundation e a USAID ― o Spring Accelerator busca reduzir as estatísticas das 250 milhões de meninas e adolescentes a viver em situação de pobreza em todo o mundo.

Na Cidade do Cabo, na África do Sul, a aceleradora Startupbootcamp investe exclusivamente em startups de blockchain, devices conectados, meios de pagamentos, supply chain, ecommerce, retailtechs, insurtechs, data e analytics. De acordo com o Crunchbase, a Startupbootcamp seleciona, em cada batch, 10 das equipes mais promissoras, fornecendo financiamento de US$ 17 mil, cerca de 100 mentores dos segmentos de fintech, insurtech e regtech, espaço físico, uma rede de parceiros da indústria, investidores e empresas de venture capital.

Falando novamente no Cairo, a AUC Venture Lab (V-Lab) foi a primeira incubadora universitária do Egito, e foi premiada como uma das principais de todo o MENA (região do Médio Oriente e Norte da África). Foi um programa lançado pela Universidade Americana do Cairo (AUC), e oferecem sessões de treinamento, mentores, estágio para estudantes e presença na Universidade. Cerca de 170 startups já foram financiadas pelos seus programas.


Ásia

aceleradoras Imagem ilustrativa (Pixabay)

Uma das maiores aceleradoras de startups da Ásia é a Antler, de Singapura. Apesar de ser um programa jovem, com apenas três anos de existência, a Antler já está presente em diversos países, como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Holanda, dentre outros. A aceleradora se destaca pelo grande foco na diversidade, com quase 40% de seu financiamento destinado à mulheres fundadoras.

O Crunchbase também destaca a aceleradora SparkLabs, da Coréia do Sul, como uma das mais relevantes da Ásia. Seu programa de aceleração tem foco em empreendedores que queiram expandir seus negócios para países estrangeiros, como Estados Unidos, China e Japão. 

Na China, uma das principais aceleradoras é a Zeroth.AI, que investe em tecnologia de inteligência artificial, computação de ponta, veículos autônomos, agtechs, tecnologia de interface homem-máquina e ética da computação. Sua sede fica no território de Hong Kong, e mais de 60 negócios já foram acelerados por eles.

Próxima a Hong Kong, em Shenzhen (China), fica a aceleradora HAX, que também possui uma sede em São Francisco (EUA), que é para onde as startups aceleradas ficam alocadas em uma segunda etapa de seu programa. Até o momento a HAX já ajudou no lançamento de mais de 200 startups, e foi a primeira aceleradora do mundo a focar em projetos de hardware.

Por fim, o Crunchbase destaca a taiwanesa AppWorks como uma das maiores do grande sudeste asiático. Surgiu em 2010 e já entregou cerca de 370 novos negócios para o mercado. Todas as startups do AppWorks estão avaliadas em US$ 4,72 bilhões no mercado, geram US$ 4,97 bilhões em receita anualmente e já produziram mais de 11 mil novos empregos.


+NOTÍCIAS

E se a maior oportunidade de inovação desse momento estiver dentro de você?
Conheça o passaporte da imunidade
Startup ajuda no combate à fome; veja outras iniciativas
Especial investimentos em startups: 10 aportes e 4 aquisições em maio no Brasil