Pix Troco e Pix Saque: benefícios e riscos a empreendedores - WHOW

Tecnologia

Pix Troco e Pix Saque: benefícios e riscos a empreendedores

Modalidades do Pix podem aumentar fluxo de pessoas em estabelecimentos comerciais e rendem taxas adicionais ao empreendedor, mas ter dinheiro em caixa eleva riscos de insegurança

POR Marcelo Almeida | 07/12/2021 14h13

Em vigor desde o último dia 29 de novembro, o Pix Saque e Pix Troco trazem facilidades para os usuários, inclusive os que possuem conta bancária em fintechs ou carteiras digitais que não têm agências para realizar saques. Já o empreendedor que possui lojas físicas também pode ser beneficiado caso adote os sistemas e se torne um parceiro do Pix.

Isto porque, ao adotar o Pix Saque ou o Pix Troco em seu estabelecimento comercial, este empreendedor vai aumentar o fluxo de pessoas e até se tornar um ponto de referência nessa fase de início de implementação dos serviços. A cada transação realizada em sua loja, em ambas as modalidades, ele é recompensado com valores entre R$ 0,25 e R$ 0,95, segundo informações do Banco Central.

As já citadas fintechs acabam sendo beneficiadas também, uma vez que passam a ter uma rede para saques bem maior por meio do Pix, já que os saques com os cartões desse tipo de empresa antes se limitavam a ATMs conhecidos como Banco 24 Horas.

No entanto, alguns comerciantes não acham que os benefícios são suficientes para compensar os maiores riscos associados a ter mais dinheiro em caixa para participar do programa. Segundo o vice-presidente do Sindilojas-SP, Aldo Macri, que já teve uma loja de comércio com um caixa Bradesco correspondente, os riscos se sobrepõem às vantagens.

“São dois perigos que o lojista corre em participar desta modalidade: a obrigatoriedade de ter um caixa mais gordo e o maior perigo de assalto, que é algo que hoje em dia em São Paulo está em alta. Não vale o risco”, afirma Macri.

Como funciona o Pix Saque e Pix Troco

O Pix Saque permite que os usuários do serviço realizem saques em um dos pontos que ofertarem o serviço, como estabelecimentos comerciais, redes de caixas eletrônicos (ATMs) compartilhados e os próprios participantes do Pix, por meio de seus ATMs próprios, poderão ofertar o serviço.

Para fazer o saque, basta que o cliente faça um Pix para o agente de saque, como no caso de um Pix normal, a partir da leitura de um QR Code mostrado ao cliente ou a partir do aplicativo do prestador do serviço.

Já o Pix Troco tem um processo semelhante, mas o saque acontece junto com a realização de uma compra no agente de saque.

Ou seja, o Pix é feito pelo valor total (compra + valor do saque), recebendo o cliente o seu “troco”, que equivale ao valor de saque que escolheu receber.

Limites

O limite máximo das transações do Pix Saque e do Pix Troco é de R$ 500 durante o dia e de R$ 100 à noite (entre 20h e 6h).

O importante, porém, é que os estabelecimentos terão autonomia para ofertarem limites menores, o que é fundamental por questões de segurança.

Os clientes podem fazer até oito operações de Pix Saque ou Pix Troco gratuitas.

Já o comércio que disponibilizar o serviço vai receber uma tarifa que pode variar de R$ 0,25 a R$ 0,95 por transação.

O pagamento será feito pela instituição financeira onde o usuário que fizer o saque tem conta.