Pelo segundo ano consecutivo Wayra Brasil e Liga Ventures vão operar o programa de aceleração para startups do BNDES - WHOW

Eficiência

Pelo segundo ano consecutivo Wayra Brasil e Liga Ventures vão operar o programa de aceleração para startups do BNDES

O segundo ano do BNDES Garagem será dividido em três ciclos e a chamada para as startups será no segundo trimestre de 2021

POR Redação Whow! | 15/02/2021 10h00 Imagem: Pixabay Imagem: Pixabay

Em 2018, a dupla composta por Wayra Brasil, hub de inovação aberta e braço de aceleração de startups da empresa espanhola Telefônica, e a plataforma de inovação aberta Liga Ventures, comandou o primeiro ano do programa BNDES Garagem, programa de desenvolvimento para as startups e o ecossistema de inovação no Brasil, por meio do banco estatal. Nesta edição, segundo o BNDES, participaram 74 grupos de empreendedores que concluíram o programa.

E para este ano, — com a chamada pública iniciada em 2020 — as duas organizações foram as vencedoras novamente, porém terão a companhia da Artemí­sia, empresa foca em negócios sociais, para atuar no consórcio, uma vez que o foco de 2021 é em inovação com impacto socioambiental.

“O consórcio ser responsável por dar suporte à criação e ao crescimento desses empreendimentos participantes do BNDES Garagem. Também acompanharão desenvolvimento dos negócios, prestando aconselhamento técnico, jurídico e mercadológico, além de promover a aproximação dos empreendedores com investidores e potenciais clientes”, descreve o banco estatal.

Já a Wayra Brasil apontou ao portal Whow!, por meio da sua comunicação, que, neste momento, aguarda a última etapa de análise gerencial e jurídica do processo.

Processo de aceleração para startups brasileiras

O segundo ano do BNDES Garagem será dividido em três ciclos, com duração de até quatro meses cada. E segundo o banco estatal, poderão participar empresas com faturamento anual bruto inferior a R$ 16 milhões, para o seu programa “Tração”, e quem busca apoio para criação ou aprimoramento de um produto mínimo viável no programa “Criação”.

O primeiro dos três ciclos vai focar em negócios inovadores de empreendedores que desenvolvem soluções para saúde, educação, sustentabilidade, govtech e cidades sustentáveis. O programa deve durar ao todo 30 meses e será gratuito para os participantes, segundo o BNDES.

“Durante a permanência no BNDES Garagem, os empreendedores receberão orientações e participarão de atividades que ajudem no desenvolvimento de seus negócios. Ao fim de cada ciclo, será realizado um Demo Day no BNDES, quando os trabalhos desenvolvidos serão apresentados a potenciais investidores e outros públicos de interesse”, aponta o banco estatal.

Segundo BNDES, a chamada para as startups participarem do programa será no segundo trimestre deste ano.

E de acordo com o edital da chamada pública de 2020: “não há nenhum compromisso da BNDESPAR (sociedade de participações acionárias do BNDES) e da aceleradora de aportar recursos financeiros nas Startups no âmbito do Programa.”


+STARTUPS 

Aceleradora norte-americana fecha parceria e vai se aprofundar no ecossistema das startups brasileiras
Educação do futuro: por que o ensino superior precisa se reinventar
10 startups brasileiras de educação de destaque
A inovação potencialmente ilegal vai disruptar o setor de educação