Para a Natura, sustentabilidade é vetor de inovação - WHOW
Tecnologia

Para a Natura, sustentabilidade é vetor de inovação

Saiba como a Natura investe na inovação para encontrar soluções combativas à geração de resíduos e gerar disrupção

POR Carolina Cozer | 22/09/2020 08h00

Há mais de 20 anos a Natura tem forte investimento em inovação aberta, com foco na viabilização de disrupções e geração de resultados para de seus negócios, o que inclui parcerias com organizações internacionais.

Em 2019, o Natura Innovation Challenge foi um marco para a inovação aberta da Natura. O projeto mexeu com a transformação organizacional da empresa ao desenvolverem conexões com empreendedores, startups, instituições de pesquisa, universidades e empresas ― todos com a missão de encontrar soluções combativas à geração de resíduos e a poluição causada pelo plástico.

Através deste movimento inédito foi possível criar o maior desafio de inovação aberta já realizado pela Natura.

Processo de inovação na Natura atualmente

Para a Natura, a sustentabilidade é um vetor importante de inovação, conta conta Luciano Abrantes, CTO e diretor de Inovação Digital da Natura & Co para a América Latina, afirmando que a empresa aposta no uso e desenvolvimento de ingredientes da sociobiodiversidade brasileira. “Se não tem impacto positivo, não é inovação. Buscamos inovar constantemente, usando a tecnologia a serviço do bem-estar e estando à frente com inovações disruptivas e tecnologias emergentes”, diz ao Whow!.

A empresa também escolheu potencializar o impacto positivo no mundo por um novo meio da conexão com startups. O projeto Natura Startups surgiu em 2016, quando a empresa decidiu se aproximar do ecossistema de inovação. Presente no Brasil e na Argentina, a iniciativa conecta startups para alavancar a inovação nos desafios de negócio da Natura e levar a empresa para a posição que desejam nessa rede de inovações.

O foco do Natura Startups é fechar negócios com empreendedores para acelerar a inovação na empresa e ao mesmo tempo impulsionar a comunidade empreendedora por meio da força de nossa rede. Entretanto, Abrantes explica que o formato de relacionamento não se enquadra no que o mercado entende como “programas de aceleração”. “Acreditamos na potência da comunidade empreendedora e entendemos que formatos cada vez mais robustos de relacionamento, como investimentos e estratégias de M&A seguramente são capazes de alavancar a nossa estratégia e inovação como um todo”, diz Luciano.

Qualquer empreendedor pode submeter uma proposta ao Natura Startups. Caso seja identificada uma possível sinergia com a Natura, ele é convidado para se conectar com as áreas relacionadas e iniciar os testes, explica Abrantes. Ao todo, mais de cinco mil startups já foram avaliadas no projeto e 40 firmaram uma relação de parceria mais robusta.

Natura Foto: Luciano Abrantes (Natura)

Produtos

A inovação de produtos está na essência da Natura e permite que a empresa siga na vanguarda do mercado de cosmético

Logística

A inovação logística garante a entrega em menos de 48 horas de produtos para todas as regiões metropolitanas do Brasil

Comercial

Focada em garantir que o modelo da Natura permaneça atual e competitivo, a inovação comercial tem obtido grandes transformações recentes

Digital

As várias iniciativas na inovação digital exigem respostas ágeis e utilizam a tecnologia e o poder do digital a favor da empresa

Um olho no presente e outro no futuro

De acordo com Luciano Abrantes, a Natura está a cada ano mais digital e engajada na adoção de tecnologias vanguardistas, como inteligência de dados, user experience (UX), service design, modelagem de negócios e inovação aberta. 

Ele diz que é preciso manter um olhar atento no presente, acompanhando tendências e buscando soluções para os desafios. Mas também é preciso estar sempre abertos para novas tecnologias e processos, para se prepararem para o futuro. “Desta forma, nossos times são divididos em diferentes horizontes da inovação, para garantir a competitividade no presente ao mesmo tempo em que o futuro é construído”, explica.

Abrantes conta que, durante a pandemia, as áreas de tecnologia, negócios e inovação puderam desenvolver novos serviços em tempo recorde, com o objetivo de impulsionar ainda mais a venda on-line e a atividade de consultoria a distância. “Temos diversos times ágeis, que são desenhados a partir do conceito de rede, dispensando, por exemplo, que o profissional responda exclusivamente a um único gestor, como ocorre nas estruturas tradicionais.” 

Estes squads, segundo o Diretor, atuam de maneira direta nas oportunidades de curto e médio prazos com foco no cliente na Natura, desenvolvendo produtos e serviços que agreguem valor para a rede de maneira mais rápida para responder às necessidades do mercado com agilidade e diferenciação. “Com isso, alcançamos reduções importantes de time to market em toda a nossa cadeia, desde produtos cosméticos até produtos e serviços digitais”, complementa o executivo.

“Só é inovação se causa impacto positivo em toda a cadeia. Por isso, inovação nunca pode ser considerada um fim, mas um meio de alcançar resultados melhores para todos os segmentos”

Luciano Abrantes, CTO e diretor de Inovação Digital da Natura & Co para a América Latina


+NOTÍCIAS

3 startups que estão transformando o meio ambiente do Brasil
7 inovações que podem impactar o setor de saúde até 2040
Telemedicina poderá ser regulamentada pelo CFM após a pandemia
Novos modelos de liderança: como eles ajudam na inovação e os seus efeitos nos negócios