Panorama das startups unicórnio em 2020 - WHOW
Eficiência

Panorama das startups unicórnio em 2020

Saiba quantos unicórnios existem em 2020 em todo o mundo e descubra qual é a startup mais valiosa nos dias de hoje

POR Carolina Cozer | 06/11/2020 14h40

Novas pesquisas divulgadas pelo Crunchbase levantam alguns pontos sobre o atual status das startups unicórnio em 2020.

Em 2020, segundo o Crunchbase, muitas empresas de tecnologia com perda de receita optaram por fazer a abertura de capital na bolsa de valores. A boa notícia é que a coorte de IPO de 2020 mostrou um aumento de 117% no valor das startups unicórnio em relação à última coorte. 

De acordo com o artigo, abrir o capital é a via preferida dos unicórnios em uma proporção de 2 para 1, já que, após um valuation bilionário, muitas empresas acabam tendo que abrir o capital ou ser adquiridas para retornar valor aos investidores.

Cresce a população de unicórnios

Os unicórnios são um conceito bastante novo nos ecossistemas de inovação. Entre os anos de 2005 e 2010 nasceram 14 startups unicórnio no mundo, dos quais 12 já passaram pela fase de exit. De 2011 a 2013, foram 47 novos unicórnios e 35 exits.

De 2014 para cá o número de unicórnios é muito mais expressivo: foram 789 startups bilionárias no mundo, com taxa de exit por IPO ou M&A de 22%.

A startup unicórnio mais valiosa nos dias de hoje é a chinesa Ant Group, braço-direito do Alibaba, que está avaliada US$ 150 bilhões e prestes a fazer o seu IPO ― que será com um valor ainda maior: US$ 310 bilhões.

Muitos unicórnios, poucas mulheres

Apesar da enorme quantidade de startups unicórnio no mundo, há uma característica muito específica, que tem sido amplamente debatida nos últimos anos ― mas que ainda não apresenta sinais de melhora: há uma enorme carência de mulheres em startups de tecnologia.

Segundo uma recente pesquisa do fundo de risco Notion Capital, apenas 1 em cada 5 unicórnios de tecnologia inclui mulheres em suas equipes de liderança.

A pesquisa também apontou que líderes do gênero masculino permanecem nos unicórnios duas vezes mais que as líderes femininas: o estudo descobriu que a média de permanência das fundadoras é de apenas 1,78 anos, enquanto a média dos homens é de 2,66 anos. Além disso, startups unicórnio com líderes femininas tendem a ter mais mulheres na organização. Ainda assim, o gênero feminino representa apenas 34% da população geral das equipes em unicórnios.

Maddy Cross, Talent Director da Notion Capital e responsável pela pesquisa, tem esperanças de que o estudo seja recebido como um guia para que líderes de unicórnios possam considerar a diversidade em suas empresas.


+NOTÍCIAS

Inovações e oportunidades de negócios encontradas por Visa e Suzano para o pós-pandemia
Táxis voadores podem chegar na Flórida
Coluna: Um olhar sobre disrupção e ética
Laboratório de Inovação Financeira brasileiro passa a integrar a ONU