Pandemia potencializa a jornada solitária dos empreendedores  - WHOW

Pessoas

Pandemia potencializa a jornada solitária dos empreendedores 

Fui percebendo que a pandemia não iria acabar tão cedo e que iria precisar lidar com tudo isso e de alguma forma tomar atitudes para que pudesse amenizar

POR Redação Whow! | 12/05/2021 16h29

*Fábio Cassettari é fundador e CEO da Meu Entrevistador

Você já deve ter ouvido que empreender é solitário. Mas quanto a pandemia potencializou essa solidão dos empreendedores?

Há quase 4 anos eu tomei a decisão de sair do Itaú Unibanco e me arriscar no empreendedorismo. Gosto de falar que se soubesse exatamente aquilo que iria passar empreendendo talvez não tivesse ido. Eu li muito, conversei com muitos empreendedores, mas só a prática empreendedora me fez sentir o que de fato era.

Você vai encontrar de tudo, os que torcem contra, os que te apoiam enquanto você estiver bem, aqueles que vão te abandonar no meio do caminho. 

Você vai passar por negociações de meses que podem ser totalmente desfeitas em um simples e-mail. E a cada dia, você precisa acordar e recomeçar com otimismo e focando naqueles que realmente estão com você. 

Você vai ser cobrado e se cobrar a todo instante, pensar em desistir inúmeras vezes. Vai ter uma pressão gigantesca por resultados e por mais que você tenha por perto sócios, clientes, funcionários, amigos, a jornada empreendedora envolve tomar inúmeras decisões  e que muito provavelmente faz você se isolar.

E no meio de tudo isso vem a COVID-19 e uma pandemia mundial que isolou a todos, e ainda mais, os empreendedores. Antes da pandemia participei de uma aceleração no Startup Zone do Google for Startups onde existiam outras startups no mesmo ambiente e que, de certa forma, me aliviava muito pela troca de informações, a companhia de outras empresas que já passaram pelos mesmo problemas, as que que conquistaram a rodada de investimento que você buscava, e fora as diversas oportunidades comerciais que surgiam em todo esse networking. 

A pandemia potencializou tudo e todos se sentem ainda mais sozinhos e junto de  diversos outros fatores como a sua saúde física e mental, a dos seus funcionários , o  medo do impacto que esse momento terá em seu negócio, a insegurança de investir, a incerteza que os clientes terão soma ao medo de você e seus familiares e amigos contraírem o vírus.

Individualmente, senti a minha ansiedade explodir e o medo que a pandemia pudesse me paralisar como empreendedor. Confesso que o dia a dia das notícias aumentaram muito a minha ansiedade mas nunca pensei em me alienar, parar de acompanhar o número de mortos, infectados nem nada. Sempre foquei em achar outras maneiras de avaliar a situação, como meditação e exercícios físicos. 

Fui percebendo que a pandemia não iria acabar tão cedo e que iria precisar lidar com tudo isso e de alguma forma tomar atitudes para que pudesse amenizar. Percebi a diferença que estar isolado fisicamente não precisava se caracterizar em um isolamento no afeto.

Apesar da ansiedade, sempre foquei em resolver rápido tudo aquilo que estava sob meu controle e principalmente aquilo que era essencial para meu negócio. Busquei entender que deveria, agora virtualmente, falar sobre o problema com outros empreendedores, escutar e ajudar os que estão começando , pedir ajuda, trocar informações. Comecei a fazer cursos online e principalmente cuidar da minha saúde, tudo isso de uma forma ou outra me ajudou a me conectar com outras pessoas e me sentir menos isolado.

Não, não está tudo bem e em uma crise dessa não deveria estar mesmo. Se você é um empreendedor desejo que passe por mais essa adversidade, não se isole no afeto, aprenda com outros empreendedores e não tenha medo de falar sobre o tema.

*Fábio Cassettari é fundador e CEO da Meu Entrevistador, nasceu em Botucatu, no interior de São Paulo e fez administração pela FGV – EAESP e pós Graduado em Finanças pelo Insper. trabalhou em Consultorias e ex trainee do Banco Itaú.