O que é uma carreira digital? - WHOW
Tecnologia

O que é uma carreira digital?

Entenda o porquê destas profissões estarem em alta, além de um raio-x das funções mais demandadas hoje e para os próximos anos

POR Adriana Fonseca | 19/08/2020 13h06

A transformação digital – uso da tecnologia em diferentes áreas do negócio para melhorar os resultados da empresa –, vem se intensificando com o avanço de ferramentas que surgem na Quarta Revolução Industrial, como big data, impressão 3D, machine learning, cibersegurança, inteligência artificial, internet das coisas e realidade virtual, entre outras. O impacto causado por elas muda o modelo de produção, de consumo e de trabalho e, com isso, surge no mercado o que se chama de carreira digital.

Mitos e verdades

“Para mim, carreira digital é tudo o que está atrelado a ocupações que não existiam antes, ou até existiam de forma mais tímida, mas que estejam ligadas diretamente à transformação digital”, comenta Wellington Machado, fundador e CEO da Quantum, uma edtech que se propõe a educar crianças e jovens para serem os profissionais do futuro. Em agosto, a startup lançou a série Carreiras Digitais, com vídeos educacionais sobre o setor, oportunidades de trabalho e como planejar a carreira nesta nova era. 

“Muitos pensam que carreira digital é só programação e desenvolvimento, mas não é. Por exemplo, dentro de vendas temos ‘inside sales’, que é um cargo de vendas novo ligado ao mercado digital, que pode trabalhar remoto e que tem todos os benefícios de uma carreira digital.”

Wellington Machado, fundador e CEO da Quantum

As carreiras digitais, ainda que atreladas à transformação digital, não se restringem à área de tecnologia – embora ali também estejam. Elas estão presentes ainda em outras áreas, como marketing e design.

A demanda por profissionais que atuem em carreiras digitais está em alta. Somente na área de tecnologia há 850 mil vagas abertas no Brasil, segundo dados levantados pela Quantum. Isso em um país com quase 13 milhões de desempregados, o que mostra a lacuna educacional na área. Entre os profissionais mais demandados hoje podemos citar o especialista em UX/UI, gerentes de projeto e desenvolvedores. “As empresas precisam passar por esse processo de transformação digital, então elas estão em busca de rearranjar a sua estrutura organizacional”, comenta Wellington.

Habilidades importantes para seguir na carreira digital

Em relação às habilidades necessárias para atuar em uma carreira digital, existem as “hard skills”, que são as competências técnicas, e assoft skills, ligadas a comportamento. Nas palavras do CEO da startup, as primeiras dependem de “vontade” e as demais, de “autoconhecimento”. 

“A parte ‘hard’ é toda a parte técnica. Por exemplo, em marketing, são as ferramentas que o profissional vai utilizar. Então, para um profissional de ‘inside sales’, é saber CRM ou algum ERP mais complexo. Já quando se fala em ‘soft skill’ é entender aquilo em que você é bom: quais são seus pontos positivos e seus pontos fracos”, explica o empreendedor. Dentro do mercado digital, diz ele, flexibilidade, adaptabilidade e pensamento criativo – todas “soft skills” – são os principais pontos que um profissional precisar ter, pois hoje a dinâmica do mercado muda a toda hora. “Seja uma carreira profissional ou digital, autoconhecimento é fundamental, para entender o que você gosta de fazer, e alinhar com seu propósito.”

Desenvolvedor web e mobile

O que faz: programa em diversas linguagens (java, php, c#, javascript, etc) para plataformas de celular e web

Faixa salarial: de R$ 2.360 a R$ 6.322

Especialista UX

O que faz: seu foco é toda a experiência do usuário ao consumir/interagir com a empresa em ambiente virtual ou não. Seu objetivo é melhorar o relacionamento com o consumidor.

Faixa salarial: de R$ 3.012 a R$ 12.000

Especialista UI

O que faz: enquanto o profissional de UX pensa no caminho que o cliente vai trilhar dentro da experiência, o especialista UI é responsável por como será o desenho virtual e físico dessa interação. Ambientações, cores, formatos: o especialista UI vai buscar o que mais deve atrair o usuário.

Faixa salarial: de R$ 3.012 a R$ 6.169

Desenvolvedor Front-End

O que faz: desenvolvedor que trabalha com linguagens FrontEnd, aquelas que lidam com a interface com o usuário.

Faixa salarial: de R$ 1.800 a R$ 12.000

Desenvolvedor Back-End

O que faz: desenvolvedor especializado em linguagens que ficam nos “bastidores”, incluindo segurança, banco de dados e integração de webservices.

Faixa salarial: de R$ 3.700 a R$ 13.000

Desenvolvedor Full Stack

O que faz: engloba o Front-End e o Back-End

Faixa salarial: de R$ 2.700 a R$ 13.000

Desenvolvedor de games

O que faz: cria jogos para celulares, computadores e consoles. O trabalho envolve a concepção e a execução do projeto, com as principais características do jogo, supervisão dos testes e criação do design.

Faixa salarial: de R$ 3.700 a R$ 10.500

Fonte: Quantum


+ CARREIRA

15 Dicas para uma transição de carreira
Do iFood ao consultório médico: como a inteligência artificial está mudando o mercado
Whow revela as empresas mais inovadoras do País
As startups mais desejadas para se trabalhar no Brasil