Nubank lança fundo de investimento focado em empreendedores negros, que vai além do dinheiro e busca novos talentos - WHOW

Tecnologia

Nubank lança fundo de investimento focado em empreendedores negros, que vai além do dinheiro e busca novos talentos

Além do fundo semente proprietário, o banco digital deve lançar um centro de tecnologia e design, o Nulab, em Salvador, até o final de 2021

POR Eric Visintainer | 24/03/2021 18h26 Foto de nappy no Pexels Foto de nappy no Pexels

Como parte do fundo de R$ 20 milhões anunciado no final de 2020, para o combate ao racismo estrutural, a fintech Nubank que já conta com mais de 35 milhões de usuários e se coloca como o maior banco digital do mundo, anunciou oficialmente por meio do seu canal no YouTube, nesta quarta-feira (24), um fundo de investimento para negócios com base tecnológica — as startups — fundados ou liderados por empreendedores negros.

No total as startups vão receber até R$ 1 milhão, somando todos os investimentos, com o recurso chegando em até três meses para as selecionadas.

Objetivos do Nubank com o fundo proprietário  

Ex-aluno da Universidade de Stanford e ex-funcionário de dois dos principais fundos de investimento do mundo (Sequoia e General Atlantic), David ressaltou as oportunidades que obteve na vida, mas que essa não é a realidade de outros empreendedores no Brasil.

“Nos últimos seis meses chegamos ao foco para o fundo de empreendedores negros. Sabemos que o empreendedorismo ajuda a resolver os problemas do dia a dia e precisamos trazer pontos de vista diferentes. Os empreendedores precisam de capital e mentoria”, descreveu o CEO na apresentação do fundo que será chamado de Semente Preta. “O primeiro fundo de investimento do Nubank será para o estágio inicial, para investimento semente, [em empresas com] base de tecnologia e fundada ou liderada por pessoas negras para aumentar a diversidade no ecossistema tecnológico no Brasil. Este é um investimento só do nosso dinheiro. E com o conhecimento dos últimos oito anos, vamos trazer os nossos investidores e network para quem não tem acesso.”

David complementou ao dizer que o Nubank buscará, além de acelerar estas startups, identificar novos talentos diversos para o desenvolvimento melhores produtos.

Um estudo que o portal Whow! abordou neste mês da BlackRocks Startup em parceria com a Bain & Company aponta que  41% das startups de fundadores não-negros das regiões Sul e Sudeste do Brasil conseguiram um investimento desde a sua fundação, mas apenas 32% dos fundadores negros tiverem o mesmo resultado. Além disso, cerca de 91% dos participantes da pesquisa disseram que a diversidade racial no ecossistema brasileiro de startups é “inexistente” ou “muito abaixo do ideal”.

E Monique Evelle, consultora de inovação do banco e fundadora do Desabafo Social, um laboratório de tecnologias sociais aplicadas à geração de renda, comunicação e educação, ressaltou que o comitê avaliador da fintech será composto por funcionários da empresa com um perfil de diversidade racial e geográfica.

Os dois representantes do Nubank ainda compartilharam dicas para os empreendedores interessados. “Pode começar com um problema seu. Mas isso só acontece comigo ou há um mercado para isso? Faça pesquisas para validar as ideias. Inovação é fazer funcionar”, disse a consultora.

O CEO da fintech também ressaltou o valor do feedback do público-alvo e acrescentou o valor da realização: “Prefiro uma ideia ruim com uma boa execução do que uma ideia boa com uma execução ruim. A ideia é 4% ou 5% de uma empresa, a execução é 95%. E você consegue pivotar as ideias se for preciso para achar um Product Market Fit.”

Para se inscrever os empreendedores negros devem acessar o site da fintech neste link até o dia 24 de setembro.

Tecnologia e design em Salvador

Além do fundo de investimento, David destacou que a empresa deve concluir um hub de tecnologia e design em Salvador até o final de 2021, chamado de NuLab.

Ele também será uma forma de atração de novos talentos com perfis mais diversos e de inovação para o Nubank.

Natural de Salvador, Monique será a responsável pelo hub que vai focar na experiência do cliente.

  • Entenda também: ONG abre processo seletivo de mentorias exclusivas para jovens negros

Em janeiro deste ano o Nubank recebeu um aporte de US$ 400 milhões, o segundo maior na história do ecossistema de startups no Brasil, dos fundos globais Sequoia, Tencent, GIC, Whale Rock, Invesco, Dragoneer e Ribbit. Com isso, a fintech chegou ao valor de mercado de US$ 25 bilhões se posicionando como a 10ª startup mais valiosa do mundo e única empresa latino-americana entre as dez primeiras posições, segundo a plataforma CB Insights.

E não perca as novidades nas nossas redes sociais no LinkedIn, Instagram, Facebook, YouTube e Twitter.investimentos


+INVESTIMENTOS EM STARTUPS

27 aportes e 13 aquisições em fevereiro de 2021
25 aportes e 8 aquisições em janeiro de 2021
16 aportes e 12 aquisições em novembro de 2020
38 aportes e 7 aquisições em outubro de 2020