Novos programas de inovação aberta para startups e empreendedores no Brasil - WHOW

Vendas

Novos programas de inovação aberta para startups e empreendedores no Brasil

BASF, Vale e BRF possuem iniciativas para atrair empresas da nova economia com foco em soluções para meio ambiente, direito e alimentação

POR Redação Whow! | 11/03/2021 15h14 Foto ilustrativa (ShutterStock) Foto ilustrativa (ShutterStock)

Uma das principais formas opções em corporate venture é o lançamento de desafios para o ecossistema de startups seja para auxiliar na transformação digital ou cultura de uma organização até a parceria para o desenvolvimento de um novo produto ou serviço em conjunto.

E algumas empresas começaram o ano focadas em programas de inovação aberta. O portal Whow! traz três destas iniciativas com o período de inscrição até o final do mês de março de 2021.

Programas de inovação aberta pelo Brasil

A BASF, empresa química global, está em busca de soluções digitais para o seu departamento jurídico. Por tanto, ela quer interagir com lawtechs, por meio do seu Centro de Experiências Científicas e Digitais, o onono, para que proponham soluções inovadoras para simplificar e digitalizar a rotina do direito na empresa, como controlar procurações e atos societários, acompanhar a distribuição de processos, digitalizar e criar documentos.

“Ampliar esse universo colaborativo tem o poder de fomentar a inovação, a digitalização e o empreendedorismo. Temos que conectar cada vez mais as corporates com as startups”, diz Victoria Vendramini, responsável por Marketing e Ecossistemas Digitais no onono, por meio da assessoria.

As startups brasileiras pode se inscrever até o dia 22 de março no site. Até hoje a BASF lançou oito desafios, tendo 37 apresentações, 250 inscritos e quatro projetos piloto em implantação.

A gigante da mineração brasileira Vale também quer acelerar negócios, tendo como foco os moradores dos municípios no estado de Minas Gerais, especificamente nas cidades de Barão de Cocais, Itabirito, Nova Lima e Ouro Preto. O programa será centrado em inovações no setor socioambiental.

“Pretendemos estimular os moradores dos próprios territórios a encontrar soluções que sejam capazes de resolver os problemas enfrentados por eles e, com isso, promover uma mudança positiva em sua realidade”, explica Flávia Soares, gerente responsável pelas ações de fomento econômico na Diretoria Especial de Reparação e Desenvolvimento da Vale, em nota à imprensa.

Grupos de duas a cinco pessoas que queira podem se inscrever neste site até o dia 2 de abril. O programa de inovação aberta terá três fases: maratona empreendedora (capacitação dos inscritos para desenvolverem uma ideia), pré-aceleração (com 70 projetos escolhidos) e fase final de aceleração (com 35 projetos), durante um ano.

Já a BRF, por meio do seu hub de inovação, terá a sua terceira edição de inovação aberta em 2021 para colaborar com startups, scale-ups e pesquisadores em temas como novos Canais de vendas e serviços, novos produtos com tecnologias inovadoras para o portfólio e sustentabilidade para geração de impacto socioambiental positivo.

As inscrições estão abertas até o dia 16 de abril neste site da companhia e as startups aceitas vão passar por um dia da apresentação e um mês de imersão com especialistas da empresa.

“Na BRF vamos além da conexão com startups. Queremos gerar engajamento e trazer cultura da inovação para dentro. Com isso, iremos nos aproximar de pesquisadores com perfil empreendedor, sejam eles de universidades ou instituições de pesquisa. Estamos em busca de oportunidades que permitam a troca de conhecimento entre a academia e o setor privado, ciência e mercado”, comenta Sergio Pinto, diretor de Inovação da BRF, em nota à imprensa


+INOVAÇÃO ABERTA

Como o Hospital Albert Einstein aborda a inovação sem interromper a organização
Muito além da cerveja: inovação na Ambev passa por investimentos em startups e joint ventures
Como a Nestlé usa a inovação aberta e tendências para se manter competitiva
Você sabe mesmo o que é cultura da inovação?