Novo unicórnio na área: VTEX entra para a lista de startups bilionárias brasileiras - WHOW
Eficiência

Novo unicórnio na área: VTEX entra para a lista de startups bilionárias brasileiras

A cavalaria de unicórnios brasileiros ganha mais um elemento: a VTEX chega com investimento bilionário liderado pela Tiger Global

POR Carolina Cozer | 29/09/2020 17h30

A VTEX, empresa de software de ecommerce SaaS, entrou nesta segunda-feira, 28, para a lista de startups-unicórnio brasileiras, ao lado de NuBank, iFood, Loggi, 99, dentre outros.

A qualificação se deu através de uma nova rodada de investimento de Série D, que entrou nos cofres da VTEX com a quantia de de R$ 1,25 bilhão ― o que a elevou a um valor total de mercado de US$ 1,7 bilhão, o equivalente a R$ 9,5 bilhões.

Expansão global à vista

Os fundos de venture capital envolvidos nesta rodada foram Tiger Global, Lone Pine Capital, Constellation, Endeavor Catalyst e SoftBank ― e este último já havia investido US$ 140 milhões na VTEX em 2019.

Em nota oficial à imprensa, a VTEX informou que irá investir, com maior intensidade, em produto, customer experience (CX) e na sua expansão global, que já havia iniciado em 2012. Atualmente, além do Brasil, a VTEX tem filiais na Argentina, Uruguai, Chile, México e Estados Unidos.

SoftBank é porta de entrada para empresas brasileiras no Vale do Silício

De acordo com André Maciel, sócio e líder de operações brasileiras de investimento do SoftBank, durante uma Live no canal da Companhia das Letras no YouTube, o fundo bilionário japonês ajudou a VTEX a conseguir mais investidores para essa rodada, apesar de que tinha o desejo de adquirir a expressa totalmente sozinho. 

“No caso da VTEX, a Tiger está liderando. E, com a nossa participação, apresentados a eles uma série de investidores que entraram nessa rodada. Queríamos ter feito a rodada inteira sozinhos. Eu preferia ter comprado 100%, mas a VTEX queria outros investidores, e a gente ajudou nesse processo.”

Ele comenta que o SoftBank acaba sendo uma porta de entrada para empresas brasileiras que ainda não tem contato direto com o Vale do Silício:

“Como somos investidores globais, ajudamos a dar exposição e trazer novos investidores para o mix de empresas brasileiras, que muitas vezes têm pouca exposição ao Vale do Silício”.

André Maciel, sócio e líder de operações brasileiras de investimento do SoftBank


+NOTÍCIAS

Afinal, qual a importância do Pix para a inovação financeira?
A digitalização em quatro setores no Brasil pós-pandemia
Coluna: Por que os rivais se unem para cooperar e competir? Entenda a coopetição
Por que habilidades vão moldar o futuro do trabalho?