Novas tendências para o futuro pós-covid-19 - WHOW
Tecnologia

Novas tendências para o futuro pós-covid-19

Comunidade científica de empresa de tecnologia chegou a aspectos que se tornarão particularmente relevantes, como o gerenciamento de conhecimento. Conheça

POR Adriana Fonseca | 26/06/2020 14h31

Como o mundo será após a crise causada pela Covid-19? Mudanças duradouras e profundas são esperadas e, na tentativa de entender quais são as tendências desse novo cenário, a comunidade científica da Atos, empresa de serviços de tecnologia, vem analisando o assunto desde o começo da crise. Alguns aspectos se tornarão particularmente relevantes. Conheça alguns:

Digitalização completa

Um resultado óbvio da crise é que as empresas precisam acelerar e amadurecer sua digitalização para dominar a continuidade dos negócios. Isso inclui plataformas digitais, automação, aspectos do espaço de trabalho e muito mais. Em termos de estratégia, a maioria das empresas precisa de uma nova, 100% digital. “Estratégia digital” passa a ser um termo obsoleto, já que qualquer estratégia válida deve ser nativa digital agora.

Transição para a nuvem acelerada

Grandes empresas estavam resistentes em ir em direção à nuvem devido a segurança e preocupações de propriedade de dados. Como resultado, a crise da Covid-19 pegou essas empresas, na melhor das hipóteses, no meio de pesados ​​esforços de migração.

As organizações precisaram, então, acelerar os esforços na nuvem, em direção a uma flexibilidade híbrida. A crise mostrou que até grandes nomes da computação tiveram problemas para se adaptar rapidamente ao crescimento da demanda por serviços em nuvem. Esse é um argumento a favor da cloud híbrida como um estado final, não como uma mera etapa intermediária em direção à nuvem completa. As organizações precisam equilibrar sabiamente aplicativos e cargas de trabalho entre nuvem privada e pública – e entre vários provedores públicos de nuvem, não apenas um.

Do físico ao virtual

Algumas atividades que tradicionalmente eram físicas poderiam ser substituídas por virtuais, como assistência remota a trabalhadores de campo na indústria, treinamentos e telemedicina, entre outras. 

Inteligência de dados verdadeiramente ativada

Além de mensagens de marketing, a maioria das empresas não tira proveito e extrai o valor total dos seus dados. O problema é multicamada: acumulação de dados; fragmentação de dados em silos organizacionais; problemas com a qualidade dos dados, linhagem e governança; falta de talentos para trabalhar com isso; problemas com a criação de modelos e o gerenciamento de inteligência artificial e aprendizado de máquina; e desconexão entre cientistas de dados, engenheiros de dados, desenvolvedores e empresas. 

Gerenciamento de conhecimento e inteligência coletiva

Além da inteligência de dados, o lado humano está há muito negligenciado em muitas empresas. Esforços para extrair informações de silos para bancos de dados corporativos devem ser acompanhados por esforços para tornar explícito o conhecimento implícito, a fim de melhorar substancialmente as competências de pesquisa com ferramentas que encontrem a pessoa certa para uma tarefa específica e com ferramentas que ajudem as pessoas a se conectarem. Esses esforços precisam ser orientados por dados, confiando no Processamento de Linguagem Natural (PNL) e abordagens semânticas (ontologias, gráficos de conhecimento), mas com um alto grau de automação para evitar a armadilhas tradicionais da PNL e da semântica – muito trabalho manual para construir e manter ontologias e bases de conhecimento.


+TENDÊNCIAS

Conheça 5 tendências antecipadas pela crise de coronavírus
Tendências tecnológicas e o seu impacto no mercado de turismo
Tendência no mundo, home office é um dos benefícios mais procurados, segundo pesquisa
5 macrotendências globais até 2024