Nova oportunidade de internacionalização para startups brasileiras - WHOW
Eficiência

Nova oportunidade de internacionalização para startups brasileiras

Programa de internacionalização de startups do Governo Federal vai ser realizado em novo formato em meio à pandemia da Covid-19

POR Luiza Bravo | 19/08/2020 15h02 Nova oportunidade de internacionalização para startups brasileiras O programa StartOut Brasil terá uma nova edição para a Colômbia em outubro. Foto: Freepik

Existem empreendedores que dizem que a mentalidade internacional de um startupeiro precisa acontecer desde o dia inaugural do negócio. Outros são mais comedidos e  acreditam na necessidade da validação do modelo de negócio e expansão interna antes de pensar em novos horizontes. Mas a realidade é de que a internacionalização para startups é um objetivo na trajetória das startups.

E no segundo semestre de 2020 estas empresas vão ter uma nova oportunidade, através do programa StartOut Brasil que selecionará 40 startups brasileiras. A sétima edição terá como destino virtual a Colômbia.

Entre as exigências estão: foco em expansão e internacionalização, com o produto ou serviço finalizado para comercialização; e faturamento de R$ 500 mil por ano ou tenha recebido algum tipo de investimento. Os projetos são analisados em quatro dimensões: grau de inovação, mapeamento do mercado de destino, maturidade para inserção internacional e equipe. A lista com as startups selecionadas para participar da Missão Virtual será divulgada no dia 2 de outubro.

Startups brasileiras interessadas em fazer uma imersão no ecossistema de inovação da Colômbia podem se candidatar a uma vaga até o dia 8 de setembro.

Rafael Wandrey, coordenador-geral de Empreendedorismo Inovador e Novos Negócios da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, diz que os programas de apoio à internacionalização são importantes para alterar a mentalidade das startups brasileiras, e que neste contexto de crise sanitária e econômica, a internacionalização pode ser mostrar uma boa oportunidade. “Enquanto algumas empresas aguardam o fim da pandemia para pensar em internacionalização, a preparação e a imersão virtual oferecidas pelo StartOut permite que empresas brasileiras continuem se capacitando e conquistando o mercado externo. Assim, quando a pandemia acabar, elas estarão alguns passos à frente das suas concorrentes”, comenta ao Whow!.

Mudanças no formato do programa

internacionalização para startups O programa StartOut Brasil terá uma nova edição para a Colômbia em outubro. Foto: Freepik

Uma das principais novidades do Ciclo Bogotá-Medellín é a realização de uma missão inteiramente virtual, que vai atender até 40 startups. Os realizadores (Anprotec, Sebrae, ApexBrasil e o Governo Federal) decidiram reformular o programa por conta da pandemia, de forma que o apoio à internacionalização para startups pudesse ser mantido, assim como a segurança dos participantes.

“Acredito que as incertezas geradas pela crise da Covid-19 nos trouxeram uma oportunidade de reinventarmos e aprimorarmos o programa. O principal desafio foi fazer uma missão de imersão na Colômbia totalmente virtual, que de fato conectasse as startups a atores do ecossistema de inovação colombiano, criando valor e reais oportunidades para as empresas participantes”, diz  Rafael. 

Segundo o coordenador-geral de Empreendedorismo Inovador e Novos Negócios da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, a escolha dos destinos do StartOut leva em conta o potencial de mercado dos ecossistemas avaliados e a facilidade, conveniência e oportunidade de se realizar a missão para eles. Nessa priorização, a Colômbia foi o segundo país que mais se destacou entre os destinos da América Latina, depois do Chile, que teve uma missão do programa em 2019. “No ano passado, foi realizada uma pesquisa com 102 startups sobre os destinos que mais interessavam, e Bogotá teve quase 31% dos votos para destinos da América Latina”, explica.

Atividades oferecidas no StartOut Brasil

Missão virtual (5/10/20 a 18/12/20): o objetivo desta etapa é capacitar a startup e orientá-la para a prospecção de parceiros de negócios na Colômbia.  Até 40 startups serão selecionadas para receber capacitação on-line, por meio de treinamento de pitch, webinars com players do mercado, mentorias técnicas, agenda de negócios organizada por matchmaker, sprints de mentoria em internacionalização e Demoday para investidores.

Missão de imersão (21/01/21 a 19/03/21): os 15 negócios mais bem colocados na missão virtual passarão para a segunda etapa, que contará tanto com atividades on-line e presenciais, incluindo um workshop de preparação para a missão de imersão no ecossistema de inovação da Colômbia. A confirmação desta fase do programa deve acontecer no dia 8 de janeiro do ano que vem, de acordo com o desenrolar da crise mundial de saúde;

Missão Follow-up (12/04/21 a 20/06/21): a ideia desta fase é estimular as empresas a aprofundarem os relacionamentos e oportunidades de negócios prospectados durante a Missão de Imersão. As cinco primeiras startups que se habilitarem apresentando um projeto de retorno ao mercado, em até 90 dias, com agenda própria, receberão apoio do programa com serviço de matchmaking para a realização de mais agendas de negócios.


+NOTÍCIAS

IPO e Listagem Direta: você sabe qual é a diferença entre eles?
Conheça os maiores IPOs de todos os tempos
O que o WeWork tem a oferecer às vésperas do seu IPO?