WHOW

Nathy Laces e o aumento de quase 90% das vendas na pandemia

peruca scaled 1

Nathy Laces é a loja virtual de laces wigs da empreendedora Nathália Guimarães. Durante a pandemia, ela viu seu faturamento aumentar em 90%. Entenda aqui como se deu esse crescimento e como essa tendência está movimentando o mercado. 

A tendência das lace e wigs no mercado de beleza

Já pensou “trocar” de cabelo quando quiser e sem agredir os fios naturais? Hoje isso já é possível com as laces wigs. Tratam-se de perucas feitas de cabelo orgânico e artificial, mas que possuem um aspecto natural.

As laces são costuradas em um tecido fino – o tule, o que garante a delicadeza e a naturalidade da peruca. Elas também podem ser coladas e suportam banhos de piscina, mar e esportes. Já as wigs são as perucas mais tradicionais, mas que possuem maior similaridade ao cabelo humano.   

Em resumo, ambos modelos permitem a troca do visual sem agredir os fios naturais e, devido a isso, a tendência está ganhando adeptas famosas e anônimas.

Laces, transição capilar e adesão das famosas

A transição capilar é o período de espera do crescimento dos fios naturais, após um longo período com alisamentos, progressivas e tinturas. Muito mais que uma simples mudança de cabelo, optar por ter os fios naturais novamente é sinônimo de empoderamento e liberdade feminina. 

Porém, o processo pode durar até anos e muitas mulheres não se sentem confortáveis em exibir o cabelo com duas texturas. Nesse sentido, o uso das laces wigs acaba sendo uma boa opção.

Várias celebridades brasileiras optaram pelas laces durante o período da transição capilar, como as cantoras Ludmila e Iza e também a atriz Bruna Marquezine, por exemplo.

E foi aproveitando essa onda dos cabelos naturais, que a psicóloga e hoje empresária, Nathália Guimarães está faturando com a sua loja de laces.

Surgimento da marca Nathy Laces

Tudo começou lá em 2017, quando a então psicóloga de uma grande empresa, Nathália Guimarães, teve uma queda de cabelo. Nesse período ela começou a usar perucas hiper-realistas, chamadas laces. Entretanto, ela descobriu um mercado potencial deste produto. Assim como ela, outras mulheres também apostavam nos laces e, investir nesse ramo poderia ser lucrativo. “As pessoas viam a perfeição do meu cabelo e queriam saber qual era o método que eu usava. E aí eu comecei a falar que só usava lace. É um método muito comum em outros países. São perucas modernas”, explica a empresária. 

Nathália então decidiu deixar o emprego e montar a sua loja on-line de laces. Para isso, usou os 20 mil reais do seu Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Afinal, ela não tinha dinheiro em caixa para iniciar o negócio na época. Surgia então uma das maiores lojas de laces do Brasil: a Nathy Laces. 

Nathy Laces: Maior loja de Lace Wigs do Brasil

O negócio então começou a prosperar de um jeito que Nathália sequer havia previsto. Ela, além de tomar conta do negócio, também atua como modelo da sua própria marca.  O intuito da Nathy Laces é oferecer liberdade e autonomia para as mulheres, para que elas alcancem o cabelo desejado com maior praticidade e segurança. Além disso, com produtos de qualidade internacional.

Porém, ela faz muito mais do que apenas demonstrar o produto: ela grava vídeos e dá dicas valiosas para quem deseja  comprar e usar um lace. Assim, a Nathy Laces se posiciona no mercado como autoridade no assunto. Isso faz com que as pessoas se sintam mais seguras na hora de comprar um lace.

Em 2019, um ano antes da pandemia, Nathália abriu sua primeira loja física no centro da cidade de São Paulo. Os preços dos laces variam entre R$ 80,00 e  R $2.100,00. Por mês, ela chega a vender 500 unidades da peruca. 

O aumento em 90% das vendas da Nathy Laces na pandemia

Os impactos da pandemia foram sentidos em todos os setores da economia, principalmente os considerados não-essenciais, como o da beleza. Um estudo da Beauty Fair, maior plataforma de negócios do setor de beleza das Américas, em parceria com o Radar Pesquisas, trouxe dados interessantes sobre o tema.

A pesquisa apontou que, durante o isolamento social,  a média do atendimento dos cabeleireiros caiu em um terço se comparado com o mesmo período de 2019.  Porém, apesar de tudo isso, acredite: a Nathy Laces viu suas vendas aumentarem em 90% durante a pandemia.

 “Muito pelo contrário. Na pandemia a gente teve um crescimento de quase 90% do nosso negócio, porque as mulheres ficaram mais antenadas nas redes sociais. E, como eu sou influente nas redes sociais, então a gente teve um boom de vendas”, conta a empreendedora.

Ter um bom produto ou serviço não garante o sucesso de um negócio. É preciso sempre analisar as mudanças comportamentais do consumidor e as tendências do mercado. Além disso, principalmente hoje em dia, uma boa presença digital é fundamental para escalar as vendas, como fez a Nathália. 

Acredite no seu sonho

Para muitos, a ideia de “largar a segurança” do emprego fixo, para empreender, em um cenário tão instável que é a economia brasileira, pode parecer loucura. Outros, esperam apenas uma oportunidade para colocar o sonho de ter o próprio negócio em prática.

Toda economia que Nathália tinha o dinheiro do seu FGTS. E se ela perdesse tudo? E se o negócio não fosse um sucesso?

 O  foco dela estava em oferecer os melhores laces e wigs, para que mulheres tivessem os mais variados tipos de cabelo que desejassem. E assim, ela tornou seu sonho em realidade.  Outra coisa que chama atenção no comportamento da empresária é o quanto ela acredita em seu produto Tanto que hoje  ela atua como vitrine de sua própria loja.

Se você gostou do nosso conteúdo, não deixe de assinar a nossa newsletter gratuitamente. Assim, diariamente, você receberá artigos interessantes como este!

Sair da versão mobile