Mundo pós-Covid: 6 inovações que estão ajudando na pandemia - WHOW
Consumo

Mundo pós-Covid: 6 inovações que estão ajudando na pandemia

Soluções vêm de diferentes partes do mundo para áreas como lazer, comunicação, limpeza e compras, segundo levantamento do Fórum Econômico Mundial

POR Adriana Fonseca | 11/08/2020 16h45

Foi em janeiro que surgiu a notícia do primeiro caso ligado ao novo coronavírus em Wuhan, na China. Desde então, a Covid-19 passou por todos os países e inovações que ajudam a lidar com a doença e as restrições impostas pela pandemia vêm surgindo em diferentes cantos do mundo. 

O Fórum Econômico Mundial listou algumas delas. São invenções que estão atenuando os desafios do atual cenário.

Conheça seis áreas que estão, de alguma forma, sendo atendidas por essas novidades.

1. Sair para comer e beber

No auge do isolamento social, a Kantar, especialista em pesquisas ligadas ao varejo, analisou as mídias sociais em busca de pistas sobre o que as pessoas mais esperavam fazer quando o lockdown fosse amenizado. Entre os três principais desejos estava comer fora e ir ao bar com os amigos.

Só que mesmo com o fim do isolamento social em alguns países, o distanciamento ainda se faz necessário. Então, o designer francês Christophe Gernigon criou “cúpulas de abajures transparentes de grandes dimensões”, que permitem às pessoas comerem em restaurantes dentro de suas próprias bolhas pessoais. 

Na Holanda, o restaurante ETEN instalou casinhas de vidro que protegem seus frequentadores do contato com outras pessoas. Já na Coreia do Sul, um robô vem fazendo as funções de garçom. 

2. Fazer compras

Mesmo com o afrouxamento das medidas de isolamento social, ir às compras continua gerando receios em muitas pessoas, em parte por conta dos contatos com superfícies, que podem transmitir o vírus. Um supermercado na Finlândia criou uma solução inovadora – alças longas e curvas que permitem que os clientes abram os armários do resfriador com os braços vestidos em vez das mãos.

E a mesma ideia já está em uso no Brasil. Os mercados da rede Pão de Açúcar também instalaram as alças para a utilização dos seus clientes.

3. Para se comunicar

As máscaras são obrigatórias por enquanto, e essenciais para diminuir as possibilidades de contágio do novo coronavírus. No entanto, para os deficientes auditivos, elas causam um problema, porque, ao cobrir os lábios, tornam impossível a leitura labial. Percebendo o problema, uma mulher da Indonésia criou máscaras com uma janelinha de plástico transparente na área da boca. 

Outra inovação ligada à comunicação é um robô chamado Pepper, que pode ser encontrado em um hotel no Japão. Esse não é um hotel comum: seus hóspedes são aqueles que apresentam sintomas leves de coronavírus, e o trabalho de Pepper é cumprimentar os pacientes quando eles chegam, fazendo-os se sentirem bem-vindos, mas também protegendo – e liberando – a equipe dessa tarefa.

4. Fazer limpeza

Refugiados no campo de Za’atari, na Jordânia, desenvolveram um robô de Lego que dispensa automaticamente desinfetante para as mãos. Em diferentes lugares, eles limpam superfícies de todos os tipos. O Ugo, do Japão, é controlado por controle remoto e usa luz ultravioleta para matar o vírus.

https://www.youtube.com/watch?v=5NECMnFBT5k&feature=emb_title

5. Entregas domiciliares

Os robôs também estão sendo utilizados na área de entregas. A Starship Technologies, dos Estados Unidos, está enviando suas caixas de delivery de comida sobre rodas para várias áreas urbanas do país. O Rappi, da Colômbia, é outra startup que vem usando robôs sobre rodas.

6. Distanciamento social

Esta atitude é crucial para evitar a proliferação do novo coronavírus, mas às vezes as pessoas precisam ser lembradas disso. Cingapura escolheu um robô para fazer essa tarefa. Feito pela empresa americana Boston Dynamics, o Spot faz a patrulha de parques e lembra os visitantes sobre a necessidade do distanciamento.  


O que pensam os robôs? Conheça Pepper e Nao


+INOVAÇÕES

Veja 5 inovações para o entretenimento
5 inovações em TI alavancadas pela pandemia
5 inovações na educação para crianças durante a quarentena
Como serão as viagens em um futuro próximo