Continental encontra caminho para desenvolver mindset de startup em funcionários - WHOW
Tecnologia

Continental encontra caminho para desenvolver mindset de startup em funcionários

A fabricante de pneus Continental criou o programa Mentes Brilhantes, que acelera ideias apresentadas pelos colaboradores

POR Adriana Fonseca | 24/07/2020 17h31 Continental encontra caminho para desenvolver mindset de startup em funcionários Arte Grupo Padrão (Érika Bernal)

Mudar o mindset interno e fazer os funcionários pensarem como empreendedores de startup. Esse foi o objetivo do programa Mentes Brilhantes, criado pela fabricante de pneus Continental, que tem cerca de 6 mil colaboradores no Brasil.

“A Continental decidiu criar o programa Mentes Brilhantes para estimular a inovação e a transformação digital”, afirma Ana Cláudia Oliveira, vice-presidente de RH Brasil e Argentina. “Essa nova era exige uma mentalidade ágil e criativa, bem diferente do ambiente organizacional tradicional. O programa veio exatamente para colocar nossos colaboradores em contato com ferramentas e metodologias assertivas e rápidas.”

startups Imagem ilustrativa (Pixabay)

Como aconteceu

Cada área de negócio da multinacional definiu um desafio-problema baseado em um ponto sensível do negócio para que os colaboradores pudessem desenvolver alternativas de solução estratégica. O programa foi dividido em quatro fases: seleção, pré-aceleração ― Demo Day, aceleração e pitch day.

Na primeira etapa foi feita uma seleção das inscrições realizadas pelos colaboradores, e as ideias apuradas seguiram para a fase de pré-aceleração. A escolha foi realizada por executivos, pensando nos critérios de inovação e viabilidade de implementação de uma startup. Já a pré-aceleração foi uma etapa administrada pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, que ministrou workshops com o intuito de desenvolver o pensamento empreendedor e inovador, preparando as equipes para o DemoDay.

DemoDay e objetivo final

No DemoDay, todas as equipes apresentaram o conceito do projeto para a gerência da Continental Brasil, que fez a avaliação por meio de critérios como grau de inovação, viabilidade e adequação à demanda do negócio. Apenas uma equipe de cada área de negócio foi selecionada para desenvolver o projeto.

Com as equipes definidas, teve início a fase de aceleração ― foram aproximadamente dois meses de preparação. “Nesse período, as equipes foram orientadas pelo nosso parceiro e aprenderam a utilizar ferramentas e metodologias como Customer Development, Lean Canvas, Persona, Identificação de Problema, Business Case, Mapa de Influência, Mapa de Empatia e Pitch”, explica Ana Cláudia.

“Foram meses de intenso trabalho com o desenvolvimento de um forte espírito colaborativo entre as equipes. Muita troca de informação e conhecimento possibilitou a evolução dos projetos.”

Ana Cláudia Oliveira, vice-presidente de RH da Continental

O objetivo, ao final, foi avançar até a fase piloto ou MVP (produto mínimo viável), dependendo do grau de complexidade dos projetos.

O encerramento aconteceu com o Pitch Day, uma tarde dedicada à apresentação dos projetos e definição de formato de implementação de cada um. No total, a empresa acelerou quatro ideias que surgiram na primeira edição do programa. 

startups Imagem ilustrativa (Pixabay)

Resultado positivo

O resultado, na visão de Ana Cláudia, foi extremamente positivo. “Foi possível perceber um desenvolvimento no pensamento como startup e metodologias ágeis, bem como uma curiosidade para continuarem a estudar o tema após o encerramento do programa”, diz a executiva. “Em um dos feedbacks recebidos, a equipe relatou que a iniciativa plantou a semente da inovação e que, a partir de agora, seguiriam buscando aprimorar tanto para o desenvolvimento profissional quanto pessoal.”

A expectativa é realizar uma segunda edição do programa. No entanto, com pandemia da Covid-19, a multinacional optou por adiar a iniciativa para um momento mais oportuno. Participaram da primeira edição do programa 34 equipes, englobando mais de 200 funcionários.


+ NOTICIAS

Robôs colaborativos: como eles podem ajudar?
Você conhece a ISO da Inovação?
Inovação pelo fim do plástico: garrafa de bebida alcoólica em papel
Saiba como a Alemanha desbancou a Coreia do Sul como país mais inovador do mundo