WHOW

Mulheres na ciência, uma lacuna a ser preenchida

Mulheres na Ciencia

Arte Grupo Padrão (@flaviopavan_76)

Apenas 30% dos pesquisadores ao redor do mundo são mulheres e somente 35% de todos os estudantes matriculados em áreas relacionadas a ciências, tecnologia, engenharia e matemática (STEM, na sigla em inglês) são do sexo feminino, segundo dados compilados pela UN Women, capítulo global da ONU para equidade de gênero.

As áreas STEM, importante lembrar, são consideradas o futuro do trabalho e a maior parte da força de trabalho nesses campos de estudo é formada por homens. As mulheres detêm 56% dos diplomas universitários no geral, mas elas representam somente 36% dos formados nas áreas STEM e apenas 25% da força de trabalho STEM, de acordo com informações do Fórum Econômico Mundial.

ciência

Foto ilustrativa Christina Morillo (Pexels)

Dados preocupantes

Apenas 22% dos profissionais de inteligência artificial são mulheres e somente 12% dos especialistas em machine learning são do sexo feminino, segundo um estudo feito em conjunto entre o Fórum Econômico Mundial e o LinkedIn.

Estudos têm demonstrado que as mulheres que trabalham nas áreas STEM elaboram menos publicações científicas e recebem remuneração menor por suas pesquisas, além de não progredir na carreira com a mesma rapidez que os homens.

As meninas, aliás, geralmente são criadas de forma a acreditarem que não são inteligentes o suficiente para as áreas STEM – ou que meninos e homens têm afinidade natural por esses campos, como observa um texto da UN Women sobre mulheres na ciência.

Apesar desses contratempos, mulheres e garotas continuam liderando inovações e pesquisas de ponta.

O mesmo texto da UN Women sobre mulheres na ciência relembra que as mulheres criaram remédios que salvam vidas, quebraram a barreira do som, exploraram o universo e lançaram as bases para entender a estrutura do DNA.

A diversidade importa em todos os campos e na ciência não é diferente. É por isso que suprir a lacuna de gênero nas áreas STEM é vital para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU e criar infraestrutura, serviços e soluções que solucionem os problemas das sociedades e funcionem para todas as pessoas.

Levantamos o tema agora aqui em Whow! porque é um assunto urgente. Além disso, no dia 11 de fevereiro foi comemorado o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência e em 8 de março, data que se aproxima, será celebrado o Dia Internacional da Mulher. A chamada, como reforça a UN Women, é para acabar com os estereótipos, desafiar preconceitos de gênero e derrotar a discriminação que mantém mulheres e meninas longe das áreas STEM.

Foto ilustrativa (Pxhere)

Recapacitação para mulheres

A recapacitação frente às novas competências digitais é um jeito de criar vantagem em tempos desafiadores e acelerar o ritmo do progresso da diversidade – uma estratégia que será boa para as mulheres e crucial para a longevidade das organizações, segundo o Fórum Econômico Mundial.

A organização afirma que a requalificação pode oferecer oportunidades significativas para as mulheres, principalmente nas funções STEM. “À medida que os empregos administrativos ou de escritório, principalmente ocupados por mulheres, começam a desaparecer, as mulheres podem aprender novas habilidades que pagam tanto quanto ou mais – e serem recicladas conforme as necessidades das organizações mudam”, diz o Fórum Econômico Mundial.


+ NOTÍCIAS

O mercado bilionário das tecnologias a favor da acessibilidade
As startups mais desejadas para se trabalhar no Brasil
Há vagas: 10 startups que estão em busca de talentos
As asas dos unicórnios brasileiros

Sair da versão mobile