Micro e pequenas empresas geram empregos em meio à pandemia - WHOW

Eficiência

Micro e pequenas empresas geram empregos em meio à pandemia

Mais de 70% das vagas de trabalho criadas no país estão em MPEs, setor que será fundamental na retomada econômica

POR André Granado Barbosa, da KodeUp | 27/08/2021 15h41

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), entre 2007 e 2019, os pequenos negócios foram responsáveis por abrir 12,4 milhões de postos de trabalho, enquanto médias e grandes empresas fecharam 1,5 milhão. Em 2019, as micro e pequenas empresas (MPEs) criaram 731 mil vagas formais, enquanto as médias e grandes extinguiram 88 mil.

No contexto atual de impacto da pandemia sobre o mundo do trabalho, os pequenos e médios negócios apresentaram um saldo positivo de mais de 2 milhões de empregos com carteira assinada em 2021, o que corresponde a 72% das vagas criadas no país. Este número é quase três vezes superior ao das médias e grandes, que contrataram, entre julho de 2020 e julho de 2021, 717.029 trabalhadores. 

Um exemplo a se destacar é no Rio de Janeiro. As micro e pequenas empresas responderam por 89% das vagas de trabalho criadas no primeiro semestre deste ano, com a geração de quase 59 mil empregos com carteira assinada. 

No futuro próximo, estes números deverão subir. Com o avanço da vacinação, o setor de serviços, em que se situa grande parte das PMEs, começa a recuperar as vagas perdidas no ano passado, quando as restrições de público e horários eram maiores. A tendência é que, nos próximos meses, o mercado continue gerando empregos e mantenha o saldo positivo. 

Para aumentar este poder e as PMEs continuarem a crescer, o Governo federal lançou um sistema que facilita crédito a empresas fornecedoras da União. O AntecipaGov deve incrementar cerca de R$ 45 bilhões na economia por meio da antecipação de recebíveis para quem tem contratos com órgãos da Administração Pública Federal. É mais um fator que mostra que se deve investir em empresas pequenas e médias para fomentar a economia e desafogar o desemprego. 

Um levantamento feito pelo Sebrae mostrou que, mesmo em meio ao agravamento da pandemia, mais de 1 milhão de PMEs foram abertas no Brasil entre janeiro e abril deste ano.

O número de novos empreendimentos registrados nos quatro primeiros meses de 2021 corresponde a 25% dos que foram abertos ao longo de todo o ano passado – em 2020, o país registrou 4 milhões de novas.

Os dados reunidos nesta análise mostram que o caminho para a retomada da economia e diminuição do desemprego passa por investimento em PMEs. Somente assim será possível mitigar os impactos negativos da economia e gerar um cenário positivo para o empreendedor e o trabalhador brasileiro.