Metodologia criada pela Apple será usada em curso de inovação para seguros - WHOW
Consumo

Metodologia criada pela Apple será usada em curso de inovação para seguros

Esta é a terceira edição do Insurtech Innovation Program, que estimula o desenvolvimento de soluções tecnológicas criativas para problemas reais em seguros

POR Luiza Bravo | 12/02/2020 13h35 Metodologia criada pela Apple será usada em curso de inovação para seguros

O Departamento de Informática do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, em parceria com a MAG Seguros e a IRB Brasil RE, abriu 21 vagas para a turma de 2020 do Insurtech Innovation Program. O programa tem duração de um ano, e é voltado para universitários de qualquer curso e instituição de ensino, desde que sejam, de fato, interessados em tecnologia.

Esta é a terceira edição do Insurtech Innovation Program, mas a ideia por trás dele começou a se desenvolver há mais tempo. Em 2008, um projeto colaborativo encabeçado pela Apple deu origem ao Challenge Based Learning (CBL), um método de aprendizagem colaborativo, em que os participantes desenvolvem soluções tecnológicas e inovadoras para problemas reais a partir de desafios. A metodologia foi testada em escolas e universidades americanas. Deu tão certo que decidiram levá-la para outros países.

Há cerca de cinco anos, a big tech procurou a PUC-Rio para propor a implementação de um programa de formação de jovens baseado no CBL. A universidade sugeriu que o desafio fosse multidisciplinar, para que alunos de outras áreas, além da tecnologia, também pudessem participar.

Com a ideia em mãos, a faculdade brasileira buscou parcerias estratégicas com empresas que acreditavam que as soluções desenvolvidas poderiam ajudar seus negócios. O setor de seguros foi escolhido pelo peso que possui em termos financeiros para a economia do país e pelas oportunidades de aplicação de tecnologia ainda pouco exploradas.

seguros Foto (Unsplash)

Por que participar?

Rafael Nasser, que é um dos coordenadores do Insurtech Innovation Program, destaca que o grande diferencial do programa é a desconstrução proposta na forma de se adquirir conhecimento. “Essa metodologia traz desafios do mundo real para que os alunos busquem soluções dentro e fora da sala de aula”, diz.

Ainda de acordo com Rafael além de propor soluções, o programa tem o objetivo de preparar os participantes para serem absorvidos pelo mercado de trabalho. “A gente juntou duas peças: a de formação de talentos, com jovens empolgados, com as demandas reais da indústria.” Por meio da tecnologia, o programa também visa atrair a atenção dos jovens profissionais para esse mercado, que não costuma estar entre as maiores aspirações dos recém-formados.

As duas primeiras edições do programa resultaram em 48 soluções inovadoras voltadas, em sua maioria para o ramo de seguros de vida. Nesta edição, o projeto deve se expandir para outros setores, como os seguros para a indústria agrícola e de óleo e gás.

seguros Aaron Burden (Unsplash)

Novas tecnologias

A turma deste ano também deve se aprofundar mais em tecnologias emergentes, como ciência de dados, realidade aumentada, IoT e blockchain. Essas duas últimas, por exemplo, podem ajudar as seguradoras a realizar precificações mais justas e individualizadas para seus clientes, baseadas em seus hábitos, e garantir mais transparência e segurança nas apólices, resultando em aumento da efetividade e redução de custos para as empresas.

“A tecnologia também pode fortalecer a figura do corretor, empoderando-o com informações para que ele atue de forma mais precisa. Muitas soluções são desenvolvidas com o objetivo de eliminar esse profissional, mas às vezes, é melhor potencializar um recurso do que substituí-lo”

Rafael Nasser, coordenador do Insurtech Innovation Program

Para participar do programa, os candidatos precisam passar por um processo seletivo que inclui etapas como criação de um vídeo de apresentação, entrevistas e dinâmicas de grupo. As aulas começam no dia 09 de março, e os alunos selecionados receberão uma bolsa-auxílio. As inscrições podem ser feitas pelo site da PUC-Rio.


metodologias negócios


+STARTUPS

Insurtechs: a revolução das seguradoras
Estudo mostra o valor e desafios na criação de fintechs

TruckPad: a startup brasileira que conquistou o Vale do Silício e a China
Startup e impressora 3D podem proporcionar vida em Marte