Mercedes-Benz Brasil busca soluções disruptivas para operação e experiência do cliente - WHOW

Eficiência

Mercedes-Benz Brasil busca soluções disruptivas para operação e experiência do cliente

Entre os resultados da inovação que serão medidos estão: o ganho de portfólio, aumento no valor percebido da companhia e redução os custos

POR Eric Visintainer | 22/04/2021 19h09 Imagem do logo do programa Movemos o Mundo da multinacional alemã Imagem do logo do programa Movemos o Mundo da multinacional alemã

Criadora do automóvel movido à gasolina em 1885, hoje a Mercedes-Benz foca as suas inovações em caminhões e ônibus. E para continuar na vanguarda das novas tecnologias e comportamento dos consumidores, ela abriu uma nova chamada de inovação aberta na qual buscará startups com soluções disruptivas para os setores operacional e de experiência dos clientes.

O novo programa vai dobrar o número de empresas que vão poder cocriar em parceria com a companhia alemã, passando de duas para quatro.

“Sozinhos não vamos a lugar nenhum. Enquanto internamente nossos colaboradores seguem buscando sempre novas soluções a cada dia para os clientes da marca, bem como para o mercado e todo o ecossistema de transporte, também olhamos com atenção para o que se produz do lado de fora”, aponta Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, em comunicado à imprensa. “Nesse sentido, as startups nos trazem ideias e projetos interessantes, criativos, eficazes e de rápida aplicação, com uma perspectiva de visão diferente e que pode agregar muito a nossos produtos, serviços e negócios”.

As empresas selecionadas vão receber quatro meses de mentoria dos executivos da Mercedes-Benz Brasil para discutir e desenvolver soluções, com apoio da Liga Venture, plataforma de inovação aberta que conecta empresas e startups, para novos modelos de negócios operacionais e disruptivos.

A startups de dentro e fora do Brasil podem se inscrever no programa até o dia 23 de maio neste site. A empresa confirma que aportes financeiros não fazem parte da prerrogativa inicial do programa.

Novos modelos de negócio

Presente no Brasil há quase 65 anos, a multinacional alemã já promove a cooperação com startups desde 2015. Mas nesta nova fase de relacionamento, Cristiane Bulchi, gerente de Governança e Planejamento de Projetos de TI da Mercedes-Benz do Brasil, disse ao portal Whow! que, a companhia focará no comportamento do seu público-alvo. “Estamos olhando para todos que movem o mundo: motoristas, passageiros, frotistas e todo o ecossistema de mobilidade. E por meio de produtos e soluções vamos atender dores e oportunidades conforme o comportamento do cliente for mudando”, descreveu em uma coletiva online.

A executiva ainda abordou que, o momento é de se pensar em uma aceleração mais madura para novos produtos da Mercedes.Benz Brasil. Além disso, a empresa vai buscar o desenvolvimento de serviços que não sejam focados nos veículos, se baseando nos dados já coletados.

Ela também falou sobre o incentivo ao erro, como uma forma de buscar inovações na companhia. “Se você errar porque experimentou, você está mais próximo de acertar. E isso está cada vez mais próximo da cultura da empresa. As startups vêm para mixar com o novo modelo de negócio e entender onde faz sentido”, disse.

Resultados da inovação aberta na Mercedes-Benz Brasil

Outro destaque ficou por conta da capilaridade que a multinacional alemã se propõe a ter com o ecossistema de inovação. Para além deste novo programa de aceleração com as startups, ela também desenvolve um programa de intraempreendedorismo, em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha, como o portal Whow! já detalhou em julho de 2020, e ações próprias, por exemplo, a relação com a também alemã Basf.

Para Guilherme Massa, co-fundador da Liga Ventures, os anos de experiência da empresa a coloca como pronta para a inovação aberta estruturada: “Será um programa que vai olhar mais para a cadeia de valor da Mercedes-Benz Brasil e agora vai atuar com os parceiros, concessionários, gestão interna e eficiência da produção. Isso mostra um robusto ciclo de mais de cinco anos“, comentou na mesma coletiva ao portal Whow!.

Já no quesito de como os resultados da inovação serão medidos pelo programa, Guilherme apontou como parâmetros o ganho de portfólio de startups, aprendizagem contínua, bem como aumento no valor da companhia ou redução de custos.

Dentre os cases que resultaram da inovação aberta na Mercedes-Benz Brasil estão: o caminhão com sistema de condução autônoma de Nível 2 na colheita da cana-de-açúcar desenvolvido com a Grunner; a Fazenda Urbana da BeGreen, montada dentro da própria fábrica em São Bernardo do Campo (SP); o Showroom Virtual Star Online, criado em conjunto com a Mobiauto; e uma plataforma digital online do mercado para vendas de veículos comerciais, peças e serviços.

Hoje, a companhia se coloca como a que mais acelera startups no Brasil no setor automobilístico e também ficou em segundo lugar no Prêmio Whow! de Inovação de 2020.

E não perca as novidades nas nossas redes sociais no LinkedIn, Instagram, Facebook, YouTube e Twitter.


+SOLUÇÕES DISRUPTIVAS

Como reconhecer a verdadeira disrupção
Veja um método prático para criar a disrupção em indústrias de bilhões de dólares
Próximo passo da inovação na Atento: processos disruptivos
Tendências: tecnologias disruptivas para 2021 e além