WHOW

Matheus Tomoto e o mercado internacional de educação – Vida Loka Podcast #71

Matheus Tomoto e o mercado internacional de educação - Vida Loka Podcast #71

A educação sempre foi a grande arma para mudar o mundo, e Matheus Tomoto é um dos grandes defensores dessa ideia.

No episódio #71 do nosso Vida Loka Podcast, conversamos com Matheus Tomoto e o mercado internacional de educação. Por isso, senta que lá vem história e muito aprendizado.

Quem é Matheus Tomoto?

Matheus Tomoto é um engenheiro mecatrônico, conhecido desde 2015 por ter sido aprovado para estagiar no Massachusetts Institute of Technology, o mundialmente conhecido MIT.

Além disso, foi aprovado também em Harvard como visiting fellow, em 2019. Com isso, é de se imaginar a ligação que Matheus Tomoto possui com a educação e tudo que ela pode proporcionar.

Após ter sido eleito pela Forbes como um dos jovens mais promissores com menos de 30 anos, Matheus possui hoje mais de um milhão de seguidores no Instagram. Além disso, o canal do YouTube já conta com 400 mil pessoas inscritas.

Atualmente, seu grande objetivo é conseguir ajudar jovens a terem caminhos na educação, principalmente buscando acessibilidade para os mais necessitados. Com isso, um de seus temas principais é a chamada Universidade do Intercâmbio.

Bom profissional no Brasil e fora dele

Uma das grandes conquistas de Matheus Tomoto foi ter passado para 130 vagas no exterior com pouco mais de seis meses de busca. Pensando nisso, o que faz um profissional sair do Brasil por não ter essas oportunidades, mas elas aparecerem lá fora?

Para Matheus, existe uma clara diferenciação na forma como o Brasil define alguém como um bom profissional, e como isso ocorre lá fora. Por exemplo, aqui no Brasil ainda é muito forte a cultura da roupa e do modo de vestir, além da aparência importar muito.

Por outro lado, Matheus Tomoto relatou entrevistas no exterior onde nem sequer câmeras eram ligadas ou a aparência ser colocada em prova. Além disso, existe sempre uma carga de preconceito muito alta, em todos os sentidos.

Dessa forma, lá fora as entrevistas são focadas apenas em pensar onde você pode acrescentar na empresa, o que pode somar na empresa.

Por outro lado, existe um conceito muito diferente do que é ser um estagiário no Brasil, onde é entendido apenas como uma mão-de-obra mais barata. No entanto, fora do país esse cargo é visto de fato como um aprendiz, ou seja, é focado no aprendizado.

Existe uma preocupação muito grande em desenvolver o profissional, além do trabalho.

Relação entre dinheiro e o sonho de mudar pessoas

Quando falamos de empreendedorismo, muitas pessoas ligam esse termo a mudar o mundo, ajudar pessoas e mudar uma realidade. Apesar de ser um dos pilares para abrir um negócio, não pode ser pautado apenas disso.

Um grande exemplo disso é o próprio Matheus Tomoto, que sempre teve o sonho de mudar a realidade da educação no país, e começou a fazer isso usando o próprio dinheiro. Entretanto, quando falamos de empreender, a gestão precisa vir em primeiro lugar.

Com tudo isso, podemos perceber um grande ensinamento que muitas vezes fica escondido atrás da vontade de mudar determinado cenário: gestão e planejamento são a base. Nesse sentido, para qualquer empresa ou qualquer negócio, sem uma boa gestão não passa de uma boa fase.

Dessa forma, ao pensar no cunho social da empresa, existe a necessidade de não olhar apenas para a parte mais “romantizada” do cenário. Primeiro, é preciso um estudo de longo prazo.

Massa x Valor

Matheus Tomoto traz um modelo de negócio que conseguiu unir o cunho social com o retorno financeiro para o projeto. Nesse caso, estamos falando do processo de mentoria criado e desenvolvido atualmente.

A grande ideia foi pautada em não vender para o público A e B, ou seja, pessoas de alta renda na sociedade. O foco do projeto foi para os públicos C e D, de classe mais baixa e que jamais teriam oportunidade de ingressas em mentorias de valor alto.

Pensando nisso, Matheus Tomoto decidiu vender a mentoria com valores mensais que não chegariam nem a metade do que é ofertado por outras empresas do mesmo ramo. Nesse sentido, qual a rentabilidade?

Com o valor abaixo do mercado, o ganho fica por conta da massa, da quantidade de pessoas que buscam, encontram, e compram a mentoria. Ou seja, Matheus deixou de ganhar por compra para ganhar por grupo de compras.

A maior vantagem disso está principalmente no impacto causado, que era o objetivo do projeto desde o início. A empresa continua tendo retorno financeiro enquanto pessoas de baixa renda conseguem ter acesso a um conteúdo de qualidade.

É claro que para manter tudo isso de forma online foi necessário um grande esforço por parte de toda a equipe, desenvolvendo tecnologias para atender toda a operação.

 

Como Empreender com Educação no Mercado Internacional - Com Matheus Tomoto - Vida Loka Podcast #71

Inovações tecnológicas dentro e fora do Brasil

No Brasil, de acordo com Matheus Tomoto, a inteligência artificial é algo de futuro, dos próximos anos, longe da realidade atual. Por outro lado, fora do país a inteligência artificial é uma realidade e estudada a fundo hoje em dia.

Comparado ao exterior, o Brasil ainda não consegue ter em mãos um projeto base para incluir a inteligência artificial no mercado e na realidade. Além disso, boa parte das pessoas sequer sabem que a inteligência artificial existe e o que pode fazer no mundo.

Outro tema muito forte atualmente é o metaverso, que para Matheus, é muita especulação do futuro ainda. Ou seja, o metaverso ainda não está sendo colocado como estão especulando que seja.

É como se fosse ainda uma pincelada do que vem pela frente, já que o metaverso no final das contas já ocorre de maneira minimalista atualmente. Hoje o metaverso atua mais como uma expectativa do que pode ser feito com ele no futuro.

Assim como aconteceu com as redes sociais, o metaverso deve entrar no meio da sociedade sem aviso prévio. Hoje em dia, ninguém mais percebe o quanto as redes sociais tomaram as atenções para si.

Da mesma forma, na visão de Matheus Tomoto, o metaverso vai seguir o mesmo caminho, enquanto estamos debatendo sobre ele, ele já vai estar presente e sendo a realidade.

O que o mercado internacional está buscando?

Pensando em como profissionais do Brasil conseguem se destacar lá fora, Matheus Tomoto elenca algumas características que precisam estar presentes.

A principal delas fica a cargo do protagonismo. Hoje em dia, tudo é muito fácil e tudo é muito rápido, tornando cada vez mais difícil se tornar protagonista da própria trajetória.

Assim, já é muito comum que o foco das empresas seja simplesmente no que você pode agregar. Isso deixa um pouco de lado a ideia de precisar de um diploma.

Outro ponto extremamente importante é a saúde mental, ainda mais depois de dois anos de pandemia que acabou afetando diretamente todo mundo. Nesse sentido, as empresas e faculdades de fora buscam cada vez mais pessoas que conseguiram ter essa capacidade de controle emocional.

Curtiu nosso episódio de hoje? Você pode conhecer muito mais sobre o trabalho do Matheus Tomoto pelas redes sociais, no Instagram @matheustomoto! Além disso, conheça o trabalho do Matheus no YouTube.

Sair da versão mobile