Mascotes de marcas e a nova tendência de humanização no e-commerce
Vendas

Mascotes de marcas e a nova tendência de humanização no e-commerce

Os mascotes sempre foram grandes aliados dos empreendedores, saiba como utilizar desse conceito para a humanização do seu e-commerce

POR Redação Whow! | 05/05/2021 10h48 Mascotes de marcas e a nova tendência de humanização no e-commerce

Já parou para pensar no papel dos mascotes no mercado? O esforço das marcas para se aproximarem de seus clientes é contínuo, afinal é isso que fortalece o marketing e também o que garante destaque diante dos concorrentes. Quanto mais identificação for possível gerar nos consumidores e maior aproximação conquistarem, tanto em termos de produto, quanto de comunicação e atendimento, melhor para que elas se mantenham competitivas e atinjam maiores resultados.

E é nesse ponto que uma estratégia de mascotes pode fazer toda a diferença. No e-commerce, aliás, ela exerce uma função primordial para humanizar a relação com os clientes.

Confira abaixo de que forma essa medida pode representar uma maneira única de inovar em sua marca:

Mascotes de marcas: a nova tendência de humanização no e-commerce

Embora os hábitos e tendências de consumo tenham mudado muito nos últimos anos em razão de novas tecnologias, e se alterem constantemente,  a empresa nunca pode perder sua essência na forma de se relacionar com os consumidores.

O e-commerce cresceu, mas neste modelo, que traz algumas vantagens em relação a lojas físicas, também deve haver esforço para gerar identificação. Talvez até em maior intensidade, pois com  atendimento e a experiência de compra toda online, não é possível explorar as mesmas possibilidades do atendimento presencial. 

Desafios também vêm junto aos benefícios e um deles é o de criar conexão com o público. Logo, esse aspecto precisa ser reforçado, pois à distância sentir-se conectado é ainda mais fundamental para  um relacionamento forte e duradouro.

Nesse sentido, os mascotes são extremamente úteis para fazer com que a sensação de atendimento seja mais real. Com a presença do mascote, o sentimento é de interação, de estar conversando com alguém de verdade. 

Isso traz a impressão de que estamos sendo compreendidos e de que nossas necessidades e expectativas são percebidas e compartilhadas.

Vantagens de criar um mascote de marca

Entre as vantagens de criar um mascote de marca está a possibilidade de ser mais facilmente conhecido pelos consumidores, além de conquistar a confiança deles. 

Se o mascote estiver atrelado a uma boa estratégia de redes sociais, por exemplo, é ainda mais evidente esse efeito. O mascote é, portanto, um diferencial da marca, porque cada uma terá um diferente. 

Ainda que trabalhe no mesmo segmento que outras que tenham seus próprios mascotes também, uma marca torna-se única com o seu, assim como nenhuma pessoa é igual a outra, usando uma forma criativa de se relacionar com o público, mesmo em uma experiência virtual.

Humanização no e-commerce 

O mascote traz humanização no e-commerce, pois faz a marca ser como se fosse uma pessoa. Esse fator humano é essencial no comércio eletrônico, no qual as pessoas têm a sensação de lidarem só com máquinas.

Se houver um mascote, os chamados chatbots são humanizados e é como se a marca desse um “rosto” para eles. Assim, os sistemas de atendimento deixam de ser apenas sistemas, ganhando um aspecto próximo, humano.

Como criar um mascote de marca

Em primeiro lugar, você deve pensar nas características do mascote que tenham a ver com a sua marca. Seja ele um animal ou um personagem humano também.

O mascote deve passar simpatia e simbolizar os valores que sua marca defende. A ideia é que ele represente a brand persona e seu tom de voz.

Em outras palavras, ele precisa agir como a marca o faria se fosse alguém. O começo então é definir os aspectos da marca, o perfil dela, o brand voice e as características: se ela é jovem, corajosa, provocativa, amiga, curiosa, formal, entre outros aspectos possíveis.

Além disso, o comportamento do mascote é capaz de gerar influência nos hábitos de consumo das pessoas. Por isso, esse estilo precisa ser muito bem definido. Após deixá-lo bem claro, parte-se para a criação de situações que serão representadas por ele.

Mascotes de marca que estão arrasando 

Agora que você refletiu bem sobre a importância dos mascotes de marca para uma estratégia de marketing, vamos citar alguns exemplos. 

Entre os mascotes que mais têm ganhado destaque ultimamente estão a: Lu, da Magalu (Magazine Luiza), a Mara (das lojas Amaro), a Nat (da Natura) e a Dai (da Dailus).

Como pode ver, um dos aspectos mais chamativos desses personagens é, logo de cara, a identificação com o nome da marca. Os mascotes carregam parte dele, o que ajuda a fixar a marca na mente dos consumidores e fazer com que ela seja reconhecida.

Essa relação, mas em forma de apelido, confere ar de intimidade e de amizade, de ser alguém que o consumidor conhece e com quem tem liberdade. 

Assim, a primeira impressão já contribui para que o potencial cliente se sinta à vontade ao entrar em contato com o e-commerce, solicitar ajuda online ou aceitar o convite de explorar as novidades da loja.

Lu (Magalu)

A Lu é a assistente virtual da Magazine Luiza. Uma das principais ações dela é a “Lu Explica”, uma tarefa dedicada a explicar conteúdos para os consumidores interessados. 

Ações assim fazem com que seu papel humanize a experiência de compra, pois o lead tem a sensação de ter um amigo ou um vendedor preocupado em tirar suas dúvidas.

Mara (Amaro)

A Mara é apresentada como virtual influencer e é uma modelo virtual das lojas Amaro. Na pandemia do novo coronavírus, tornou-se uma opção viável para sessão de fotos da marca. 

O aspecto humanizado dela torna bastante realística a experiência de compra online. Uma saída criativa para oferecer a noção que os clientes precisam na escolha das peças.

Nat (Natura)

A Nat, da Natura, se posiciona como amiga e sempre ajuda os clientes a escolherem o presente ideal, com base no perfil e nas características de cada um.

Assim, ela recria uma experiência muito similar a que se tem em lojas. Demonstrando sensibilidade e delicadeza para compreender cada demanda, torna o atendimento bastante próximo ao natural.

Dai (Dailus)

A mascote da Dailus, eleita pelo público para representar a geração Z, tanto em “personalidade” quanto em aspectos físicos, aposta na representação totalmente humanística da personagem. 

Ela foge de estereótipos e padrões de beleza, o que traz um ambiente de aproximação mais favorável e confortável para os clientes. Com isso, atrai e retém os consumidores no estilo “gente como a gente”.

Gostou desse conteúdo? Que tal assinar nossa newsletter para continuar informado sobre inovação em negócios?