Mais digital, setor de turismo dribla efeitos negativos da pandemia - WHOW

Consumo

Mais digital, setor de turismo dribla efeitos negativos da pandemia

Com o avanço da vacinação em todo o pais, o setor turístico esta em franca expansão para a retomada dos negócios, além de contar com ajuda da digitalização

POR Daniel Patrick Martins | 30/08/2021 18h07

Nosso país tem forte tradição no turismo, seja pela tamanho continental, pela cultura e gastronomia, além das festas populares ou mesmo pelos atrativos naturais: florestas, serras e praias. Mas a pandemia inviabilizou muitos negócios deste setor, principalmente no contexto das pequenas e médias empresas. Porém, com adaptação aos novos tempos e uma transformação digital aplicada aos empreendimentos, o setor vem retomando fôlego.

O processo de recuperação não será rápido, pois houve queda de 42% de arrecadação das atividades turísticas relacionadas ao transporte aéreo, agências de viagem e alojamento em 2020 se comparado ao ano anterior, segundo informa o Ministério do Turismo e o IBGE;  Como resposta a este cenário, empreendedores avançam em gargalos já existentes no campo da tecnologia.

“Quem sobreviveu não só se adaptou mas também foi muito ágil. Esses empresários ampliaram a atuação no digital e lançaram novidades que seguem as tendências trazidas pela Covid”, comenta Ana Clévia Lima, analista do Sebrae especializada em Turismo, em entrevista ao portal O Tempo. Na mesma linha, Carlos Melles, presidente do Sebrae, afirma ao portal da PANROTAS. que “a pandemia fez com que os pequenos negócios se vissem forçados em comercializar seus produtos pela internet e os setores mais atingidos absorveram essa necessidade, como o turismo”.

De acordo com a 11ª Pesquisa de Impacto da Pandemia do Coronavírus nas Micro e Pequenas Empresas, estudo realizado em conjunto do Sebrae com a FGV (Fundação Getúlio Vargas), 48% do faturamento das companhias do segmento turístico vieram do comércio eletrônico no ano passado. “Com uma queda de faturamento registrada em 91% das empresas do segmento e com apenas 9% dos estabelecimentos funcionando da mesma forma que no pré-pandemia, a digitalização das micro e pequenas empresas do Turismo foi uma das saídas encontradas pelos empreendedores que compõem as atividades do setor”, ressalta Carlos Melles.

Conforme a vacinação contra a Covid-19 avança no Brasil, aumentam também os motivos para viajar, seja por lazer ou por negócios. Como o turismo foi um dos setores mais afetados, esta retomada é muito bem vinda pelos empreendedores, pois faz com que muitos negócios, como pousadas, hotéis, restaurantes e demais serviços atrelados ao segmento, sejam impulsionados.

“Em princípio, há a preferência por destinos mais próximos, cujo deslocamento seja possível de carro, pois ainda há receio em relação a transporte coletivo. A tendência por turismo regional estará fortalecida, com orçamentos mais adequados ao momento e menor duração de viagem”, analisa Michele Divino, consultora do Sebrae, em entrevista a Exame.

O setor hoteleiro, por exemplo, terá uma ampliação no número de acomodações, totalizando mais de R$ 6,1 bilhões de investimento na área, segundo consta na 15ª Edição do Panorama da Hotelaria Brasileira, realizado pela HotelInvest em parceria com o Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb).

Esta confiança iminente na recuperação gradativa da economia, além de uma perspectiva positiva dos empresários para o setor, mostra que investimentos em desenvolvimento e inovação são a bola da vez, seja para melhorar o atendimento (tanto físico quanto digital) ou ainda para oferecer e prestar produtos ou serviços turísticos e hoteleiros com excelência.

“O mercado do turismo como um todo já utilizava tecnologia para sua gestão e distribuição, desde as linhas aéreas até o sistema hoteleiro e de serviços. Com a pandemia, o turista passou a demandar ainda mais tais soluções. Neste sentido, acreditamos que o engajamento com novas tecnologias deverá se tornar cada dia mais presente na rotina dos viajantes”, relata Eduardo Busch, diretor executivo da VOEPASS Linhas Aéreas ao portal Liga Insights.

Esta digitalização do setor, além de manter os negócios viáveis durante a pandemia, fez com que muitos empreendimentos saíssem do prejuízo. Isto ocorreu não só com a ajuda das redes sociais, para divulgar a marca, mas também uma melhora nos processos de gestão de entradas e saídas no sistema hoteleiro, reservas de passagens, vendas de passeios ou visitas em realidade aumentada, entre outras alternativas.