WHOW

A importância de líderes digitais na nova realidade do coronavírus

Lideranca digital e a opcao pelo home office ate o final de 2020 1

Arte Grupo Padrão (@flaviopavan_76)

[vc_row][vc_column][vc_column_text]À medida que empresas se empenham no desenvolvimento de novas tecnologias, mudanças significativas ocorrem dentro das culturas organizacionais, simultaneamente.

Quando se fala de um cenário VUCA e imprevisível, como a pandemia de coronavírus, a adoção de novos sistemas digitais se torna mandatória para a sobrevivência de muitos negócios. E uma das mudanças que têm sido mais observadas durante a crise foi a necessidade urgente de inserção de Líderes Digitais nas empresas ― ou do upgrade dos gestores locais para essa função.

O cargo de Liderança Digital já era observado nas corporações há muitos anos, desde que as corporações começaram a adotar times remotos. Mas o que é o cargo de Liderança Digital, afinal?

liderança digital

Foto ilustrativa (Pixabay)

Gestores de pessoas X líderes digitais

Líderes Digitais podem ser tanto os responsáveis pela gestão de transformação digital de uma empresa, trabalhando com os ativos digitais da organização, quanto aqueles que fazem a gestão de times remotos, organizando seus esquemas de trabalhos e entregas, promovendo chamadas de vídeo para estimular proximidade e empatia e trazendo motivação e senso de propósito e pertencimento para esses profissionais fisicamente distantes.

Fora a distância física, no que o trabalho de um líder digital se difere de um líder tradicional? Para Wilma Dal Col, Diretora da empresa global de recrutamento e seleção ManpowerGroup, a liderança digital não foge muito da liderança não-digital ― mas há pontos interessantes para se observar nesse novo modelo. “Existem questões que são básicas relacionadas à capacidade de adaptação, a toda condição de resiliência, um foco muito grande na questão de iniciativa, motivação, curiosidade, abertura da mente. Então são pontos que estão presentes, independentemente de estarmos pensando no mundo digital ou não”, conta ao Whow!.

O contraponto, segundo Wilma Dal Col, seria o quanto toda essa responsabilidade de influenciar, gerir e conduzir pessoas para algum tipo de processo se intensifica com times remotos. “O líder deixa de ser alguém que compartilha tarefas, mas torna-se aquele que fala sobre o propósito, de missão (…) Outro fator relevante é de coragem gerencial. É preciso ter mais ousadia, pois ele terá que tomar decisões importantes mesmo em um cenário incerto, com informações muitas vezes incompletas ou ambíguas”, alerta.

Analogamente, Adriano Lima ― Coach de Executivos C-Level da AL+ People & Performance Solutions ― concorda que é necessário ter um olhar mais aprofundado na gestão remota. “Liderança digital é aquela que fornece as condições adequadas de estrutura e recursos tecnológicos, mas que, acima de tudo, é capaz de orientar, estar próxima ― mesmo de longe ― para transmitir confiança. É o momento dos gestores acolherem suas equipes”, salienta.

Liderança digital é o “novo normal”

Não é difícil compreender a necessidade das lideranças digitais nos dias de hoje. Muito além da quarentena, é evidente o quanto empresas conectadas, como bancos digitais, comércios eletrônicos, delivery de comida etc, afetam significativamente a dinâmica de mercado.

Para Adriano Lima, o conceito de “ser digital” já não existe mais, uma vez que essa ideia já é imperativa para qualquer negócio em 2020. “Partindo do princípio de quem manda no mercado é o consumidor, ele fará escolhas que cada vez mais privilegiam sua saúde, bem-estar e segurança, tanto de vida quanto financeira”, conta.

Já para a Diretora da ManpowerGroup, a palavra que pode conduzir as lideranças para o futuro é ressignificar. “Talvez a gente tenha entrado em uma realidade que fez, muitas vezes, descobrir que podemos muito mais do que imaginávamos. Eu acredito que a grande oportunidade foi essa: quebrar conceitos, romper paradigmas e ter a coragem de trazer um novo significado muito mais realista para coisas que se discutiam de forma idealista.”

Para especialista, home office traz benefícios econômicos para empresas

De acordo com Adriano Lima, é preciso entender que, a partir de agora, a casa das pessoas é uma extensão de seus trabalhos ― e isso não se trata apenas de uma fase. Logo, faz-se necessário um apoio maior dos líderes para que os funcionários tenham, em casa, o ambiente ideal para se trabalhar.

“É possível prever que o home office trará benefícios econômicos para as empresas. Empresários poderão pegar uma parte dessas economias para apoiar seus funcionários, para que tenham melhor infraestrutura em suas casas, e que tenham mais apoio psicológico. As casas virarão, além de centro de convivência familiar, um local para se trabalhar, fazer atividades físicas, entretenimento e socialização”

Adriano Lima, Coach de Executivos C-Level da AL+ People & Performance Solutions

Foto ilustrativa (Unsplash)

Habilidades de liderança digital não são mandatórias para o futuro ― e sim para o presente

Segundo Wilma Dal Col, os estudos feitos no ManpowerGroup já apontavam, antes mesmo da pandemia, as habilidades dos líderes digitais como mandatórias para gestores do futuro.

“Vão ser habilidades que não só serão mandatórias, mas essenciais para que haja a sobrevivência de muitos negócios. Porque em um processo de liderança digital eu vou ter a oportunidade de dar espaço para pessoas que estão enxergando longe e muito diferentes de mim, de me ajudar a fazer diferente, reinventar ou, até mesmo, a criar novos formatos ou novas soluções para o negócio”

Wilma Dal Col, Diretora de Gestão Estratégica de Pessoas do ManpowerGroup

As habilidades de liderança digital, para Adriano, vão ao encontro da transformação do ambiente corporativo, ou seja, no mundo atual elas já precisam ser desenvolvidas. “Agilidade, conectividade são duas características que devem fazer parte dos líderes e esse momento traz a oportunidade dos gestores se reinventarem. É preciso ter em mente que gerentes fazem o gerenciamento de recursos financeiros, tecnológicos, produtos; já os líderes, lideram seres humanos”, e complementa: “A minha expectativa é que esse momento de adversidade seja um passo para a evolução, para que as organizações tenham líderes melhores.”[/vc_column_text][vc_cta h2=”Como manter as equipes sintonizadas e engajadas mesmo à distância” h4=”Por Wilma Dal Col e Adriano Lima” txt_align=”center” color=”black”]

Ter propósitos e missões claras, que alinham valores com os de seus colaboradores

Compartilhar resultados e vitórias conquistadas com apoio dos funcionários

Ser transparente e verdadeiro com a situação atual

Mostrar desejo de querer ajudar, de ser próximo e acolhedor

Gerar senso de aproximação e pertencimento

Ter ousadia para tomar decisões, mesmo em um cenário incerto

Mostrar agilidade através de conectividade

[/vc_cta][vc_column_text]


+NOTÍCIAS

Saiba o que faz um Product Owner
Gestão da inovação: como manter um ambiente favorável às novas ideias
O valor das pessoas nas startups e o papel das HRTechs
O que é Agile Coach? Conheça o especialista de resultados das empresas

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Sair da versão mobile