Investimentos globais de empreendimentos caem no segundo trimestre - WHOW
Tecnologia

Investimentos globais de empreendimentos caem no segundo trimestre

Relatório Global Venture apontou que, apesar da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, queda no período foi menor do que o esperado

POR Luiza Bravo | 23/07/2020 17h31

Desde o início do ano, mercados ao redor do mundo vêm sentindo os impactos da pandemia do novo coronavírus. As incertezas levaram a uma enxurrada de demissões e a uma crise financeira sem precedentes. Diante de tantas dificuldades, é claro, os investimentos em startups também foram prejudicados. O resultado do segundo trimestre, no entanto, poderia ter sido pior. É o que aponta o relatório Global Venture, com dados do Crunchbase.

Investimentos no segundo trimestre de 2020

No primeiro semestre de 2020, os investimentos de risco atingiram US$ 129 bilhões, incluindo todas as etapas de financiamento. O valor é inferior ao registrado no mesmo período do ano passado (US$ 138 bi) e ao pico de US$ 168 bilhões atingido no segundo semestre de 2018.

O relatório de venture capital do primeiro trimestre do Crunchbase relatou tendências para diversas partes do mundo, com a China sendo impactada antes de todos pela crise. No fim do primeiro trimestre e ao longo de todo o segundo trimestre de 2020, as consequências da pandemia se alastraram pelo mundo: indústrias dos mais diferentes segmentos foram atingidas, e milhões de pessoas perderam seus empregos.

Apesar da turbulência, os financiamentos se mantiveram, e o setor de biotecnologia, inclusive, registrou aumento nos aportes. Dos US$ 129 bilhões investidos nos seis primeiros meses do ano, mais da metade – US$ 69,5 bi – foram investidos no segundo trimestre. O valor, no entanto, ainda é 2% menor do que o registrado no mesmo período de 2019.

Neste trimestre, 138 rodadas de financiamento ficaram acima dos US$ 100 bilhões. A Jio, maior operadora de telefonia da Índia, foi a que recebeu os maiores investimentos, tendo levantado rodadas de bilhões de dólares. A primeira, no valor de US$ 5,7 bilhões, foi liderada pelo Facebook. Depois, a empresa levantou outros US$ 9 bilhões com diversos investidores em crescimento e grandes fundos dos EUA e da Ásia. Os financiamentos para a Jio foram os maiores responsáveis pelo resultado positivo no período: não fosse por eles, a queda no trimestre teria sido de 9%.

Mais dados sobre startups e IPOs

O relatório analisou ainda como as startups reagiram à pandemia, de acordo com o estágio em que se encontram. Segundo os dados levantados, no segundo trimestre de 2020, mais de US$ 2 bilhões foram em investimento semente; US$ 19,6 bilhões foram investidos em startups em estágio inicial; e outros US$ 35,7 bi, em estágio final – cifra 9% menor do que a registrada no mesmo período do ano passado. 

Ainda segundo o Crunchbase, cerca de 80 unicórnios levantaram rodadas de financiamento neste trimestre, com destaque para empresas como Airbnb, Zuoyebang e Sana Biotechnology, que tiveram rodadas de financiamento acima de US$ 500 milhões. 

O relatório também traz dados sobre os IPOs realizados no período. A ZoomInfo levantou a maior quantia: US$ 935 milhões, e a Vaxcyte, desenvolvedora de uma vacina contra a Covid-19, levantou quase US$ 250 milhões. A maioria dos IPOs se concentrou em junho, reflexo da recuperação que começa a se delinear no mercado.

investimentos


+INVESTIMENTOS

10 aportes e 4 aquisições em maio no Brasil
9 aportes e 7 aquisições em abril no Brasil
 13 aportes e 2 aquisições em março no Brasil
20 startups brasileiras receberam investimentos em fevereiro; 5 aquisições