Investimentos em fintechs latinas atinge US$ 2 bilhões - WHOW
Consumo

Investimentos em fintechs latinas atinge US$ 2 bilhões

Número é superior aos US$ 700 milhões registrados em 2018, segundo levantamento da Distrito Dataminer. O Brasil tem papel relevante nos números. Veja

POR Adriana Fonseca | 23/03/2020 12h00 Investimentos em fintechs latinas atinge US$ 2 bilhões Arte Grupo Padrão (Giovana Sorroche)

Os investimentos em fintechs na América Latina deram um salto em 2019. Segundo levantamento feito pela Distrito, o valor investido nessas startups chegou a US$ 2,1 bilhão no ano passado, contra US$ 700 milhões em 2018 e US$ 297 milhões em 2017. De acordo com o relatório, três razões levam ao crescimento dos números:

1. Implementação de novas políticas dos órgãos regulatórios, em direção ao funcionamento do open banking;

2. Crescimento no número de investidores atuando no setor, mesmo com os ambientes políticos turbulentos; e

3. Grande penetração de internet (66%, sendo que a média mundial é 53%) e mobile (entre 63% e 75% em 2019).

O número de aportes realizados na América Latina também subiu, ainda que em menor proporção: 139 em 2019, 125 em 2018 e 114 em 2017.

Na América Latina, o Brasil tem um papel relevante nos números apresentados.

Em 2020, até agora, foram 11 negócios realizados no país, entre aportes (8) e aquisições (3), sendo quatro em janeiro e sete em fevereiro. Em volume, nos dois primeiros meses do ano, as fintechs brasileiras receberam US$ 55 milhões, sendo que somente em fevereiro foram US$ 48 milhões, de acordo com o estudo da Distrito.

Os volumes movimentados em janeiro e fevereiro são superiores aos valores do mesmo período do ano passado (US$ 30 milhões), com o mesmo número de aportes. Isso pode significar, segundo análise da Distrito, um amadurecimento do mercado.

O maior negócio em fintechs neste ano no Brasil foi a compra da Matera pela Kinea por R$ 100 milhões. A maior parte dos investimentos, no entanto, foi de capital semente – quatro no total.

Em 2019, foram abertas 27 fintechs no país. Em 2018, foram 66 e em 2017, 120. Do total de fintechs em atividade no Brasil hoje, elas se dividem por área de atuação da seguinte maneira:Um outro estudo, este feito pela PwC e ABFintechs com 205 fintechs de diferentes setores de atuação, originou uma lista com as principais tecnologias que essas startups dominam e que pretendem dominar.

Inteligência Artificial

Hoje – 26%

No futuro – 48%

Machine learning

Hoje – 25%

No futuro – 46%

Blockchain

Hoje – 16%

No futuro – 44%

Data Analytics

Hoje – 55%

No futuro – 29%

Biometria e gestão de identidades

Hoje – 13%

No futuro – 24%

Cibersegurança

Hoje – 24%

No futuro – 20%

Mobile

Hoje – 60%

No futuro – 16%

Distributed ledger

Hoje – 11%

No futuro – 15%

Internet das Coisas

Hoje – 6%

No futuro – 14%

“Observamos um interesse crescente dessas empresas por tecnologias como inteligência artificial, blockchain, biometria e IoT, que apontam para uma transformação na experiência do consumidor de serviços financeiros, com plataformas mais intuitivas e maior personalização”

Estudo da PwC e ABFintechs

Entre essas startups participantes do levantamento, 47% não receberam investimentos, dificuldade que é a terceira principal barreira à gestão do negócio, atrás de obter recursos humanos qualificados e alcançar a escala necessária para a operação.

Ainda segundo a pesquisa, a participação em rodadas de investimento beneficiou os segmentos mais ativos: crédito, gestão de investimento e meios de pagamento. Para metade das empresas da amostra que não participaram das rodadas (25% do total de participantes), a falta de exposição da marca é o principal desafio para obter capital.

investimentos Arte (Grupo Padrão)


+INVESTIMENTOS

Criptomoeda promete democratizar sistema financeiro
Conheça os diferentes segmentos das fintechs
China pode ser o primeiro país a adotar uma moeda digital
Investimento em blockchain cai em 2019; entenda o porquê