Inteligência artificial será uma das principais tendências no setor bancário, segundo pesquisa - WHOW
Tecnologia

Inteligência artificial será uma das principais tendências no setor bancário, segundo pesquisa

Outro cenário de forte expectativa no estudo é de que, 94,3% dos executivos na América Latina acreditam que as agências vão sumir

POR Redação Whow! | 11/09/2020 16h30

A pesquisa recente da The Economist Intelligence e Temenos aponta que, as novas tecnologias serão responsáveis por um aumento de 57% em transações bancárias no mundo em um ano. Esta sétima edição do relatório global teve a participação de 305 executivos seniores do setor bancário, ao redor do mundo, entre fevereiro e março de 2020. Dentre as tendências de novas tecnologias, inteligência artificial e machine learning apareceram com mais força. “Dois terços (66%) dos executivos do setor bancário dizem que as novas tecnologias continuarão a impulsionar o setor durante os próximos cinco anos no mundo, em comparação com 42% em 2019”, aponta o estudo.

Que a pandemia acelerou o processo de transformação digital, também do sistema financeiro, isso já é notório, porém, 45% dos executivos entrevistados disseram que a  estratégia para o futuro será de desenvolver um “ecossistema digital”.

Tendências de open banking

Ainda de acordo com o estudo da The Economist Intelligence e Temenos, os bancos participantes apontaram que, dentre os principais investimentos com tecnologia, estão: segurança cibernética (35%),  desenvolvimento de plataformas de IA, como consultores digitais e canais de participação assistida por voz (33%) e tecnologias baseadas em nuvem (27%). E talvez, um dos principais dados da pesquisa, que corrobora com a maior digitalização na relação com os bancos seja que, 94,3% dos executivos na América Latina acreditam que as agências vão sumir.

“Os bancos estão usando IA que pode afetar a vidas as pessoas de forma decisiva e os órgãos reguladores vão pedir cada vez mais para saber como a tecnologia faz isso”, disse Alvaro Bacellar, vice-presidente de Serviços Temenos Latam, uma coletiva de imprensa on-line, ao falar sobre as decisões automáticas financeiras.

“À medida que a digitalização do sistema bancário continua, essas novas tecnologias podem ajudar os bancos a afastar os concorrentes e obter vantagens competitivas”, explica Max Chuard, CEO da Temenos.

Globalmente, o Itaú, tem utilizado soluções de plataformas de softwares (SaaS) para a gestão de patrimônio internacional. E as novas tecnologias estão no core da companhia brasileira, como aponta Fernando Beyruti, head de Private Bank International da empresa“Investir em tecnologia que possa gerar rentabilidade sustentável, eficiência e focada no cliente é um pilar fundamental da estratégia de negócios do Itaú.”

E a tecnologia vem ganhando mais destaque no setor financeiro brasileiro nos últimos anos por conta  da rejeição das empresas de softwares bancários, a proteção da indústria nos anos 80, a inflação prolongada, as margens de negócios elevadas e o paradigma sistema bancário no Brasil, com soluções caseiras, segundo Alvaro.

Mudanças no setor financeiro

Para Alvaro, as empresas de pagamento são as principais ameaças para os negócios dos bancos. E estes estão se preocupando com o risco de perder market share na área de  investment management. Além disso, ele pontuou, durante coletiva on-line, que as novas gerações confiam mais nas redes sociais do que nos bancos.

Durante a sua apresentação, o vice-presidente de Serviços Temenos Latam descreveu que os “neobanks”, possuem modelos de negócio com foco em adquirir market share com os clientes mais jovens para crescer a rentabilidade conforme as gerações Millennial e Z se estabeleça financeiramente. Este modelo de instituição financeira também foca em abordagem específica para cada segmento de cliente, velocidade de comercialização, baixo custo, análise inteligente, entre outras formas de atuação.

Segundo dados da American Banker, durante a pandemia, houve um aumento de 40% no acesso a operações bancárias via Internet e a mesma elevação em depósitos digitais. 

Ainda dentre das mudanças no setor financeiro, Alvaro destacou duas principais: eficiência e melhor experiência. “Os bancos que vão vencer são os mais eficienetes, com a digitalização do cliente.

“A realidade é que,  70% das pessoas que iniciam o processo de abertura de uma conta on-line param no meio do processo. E na área de empréstimos chega a  90%. Isso cria uma oportunidade muito grande para haver uma mobilidade rápida neste mercado.”

Alvaro Bacellar, vice-presidente de Serviços Temenos Latam


+TENDÊNCIAS

6 grandes tendências em tecnologia para este ano
Conheça os maiores IPOs de todos os tempos
Conheça as cidades com as melhores condições para inovação no mundo
As tecnologias que devem deslanchar, segundo MIT e Accenture