5 Inovações em TI que surgiram em função da COVID-19
Tecnologia

5 inovações em TI que surgiram em função da COVID-19

A crise forçou muitas empesas a reinventar processos e serviços. Restaurantes, varejistas de moda e empresas de tecnologia precisaram se adaptar

POR Leonardo Guimarães | 17/06/2020 15h54

A crise gerada pela pandemia do novo coronavírus fez com que vários produtos e práticas fossem repensados e adaptados. Criatividade e colaboração são fatores fundamentais para se adaptar a novas dinâmicas impostas pelo distanciamento social. O setor de tecnologia da informação foi um dos mais acionados para promover mudanças ou mesmo criar produtos e serviços.

Foram os profissionais de TI que ajudaram um time de futebol a sentir o apoio de sua torcida mesmo com as arquibancadas vazias, que ajudaram alunos do Quênia a ter acesso à educação mesmo com as escolas fechadas e nos deram uma ferramenta que ajuda a manter o distanciamento necessário de outras pessoas.

Separamos cinco inovações em tecnologia da informação promovidas durante a pandemia; Confira:

Jantar sem contato

A Presto, uma fornecedora de tecnologia para restaurantes, criou o Contactless Dinig Kit, ou kit de jantar sem contato. A solução é um conjunto de ferramentas que permite aos visitantes dos restaurantes olhar o menu, realizar seus pedidos e fazer o pagamento via smartphone.

O produto foi lançado há três semanas, nos Estados Unidos, e já foi pedido por mais de cinco mil restaurantes em 22 países, em cinco continentes. O kit pode ser instalado em apenas algumas horas, a depender do tamanho da operação do estabelecimento.

A solução da Presto ajuda os restaurantes que precisaram reabrir com capacidade reduzida a ter maior rotatividade, já que não é necessário esperar que o garçom entregue cardápios, retire pedidos ou leve aos consumidores a conta e a máquina de cartão.

Novo jeito de torcer

O campeonato dinamarquês de futebol foi o segundo a ser retomado na Europa em meio à pandemia de COVID-19. Para comemorar a volta da liga, o Aarhus, clube que ocupa a terceira posição na tabela, fechou uma parceria com o aplicativo de videoconferências Zoom para formar uma arquibancada virtual.

O time instalou 22 telões em seu estádio e convidou seus torcedores para mostrar suporte aos jogadores via chamada de vídeo. Durante a partida, cerca de 80 torcedores – alguns do clube adversário – participaram da torcida virtual. O clima de arquibancada, porém, invadiu a chamada apenas aos 47 minutos do segundo tempo, quando o time da casa fez o gol que empataria a partida.

Educação online no Quênia

A rápida proliferação do novo coronavírus forçou o fechamento de escolas em todo o mundo. No Quênia não foi diferente. Por lá, a Huawei decidiu ajuda os estudantes com um projeto inovador de ensino à distância.

A Huawei ICT Academy, fruto de parcerias da empresa chinesa com universidades de todo o mundo, lançou o Lean On, programa que está ajudando mais de 50 mil quenianos a estudar em casa.

O projeto fornece uma plataforma aberta para que escolas criem seus sistemas de educação online. Professores e estudantes encontram mais de 100 treinamento online. O programa conta com um fundo de incentivo de US$ 5 milhões e a expectativa é que mais de 1.500 professores recebam treinamentos através da plataforma.

Distanciamento com realidade aumentada

Com as medidas de isolamento social sendo flexibilizadas no Brasil, é mais importante que nunca manter hábitos adquiridos nos últimos meses, como lavar as mãos regularmente, usar máscaras e permanecer distante das pessoas ao redor. Esta última tarefa pode ser difícil, mas o Google está disposto a ajudar.

A gigante da tecnologia lançou uma ferramenta que usa realidade aumentada para dizer se você está ou não a dois metros de distância de outra pessoa.

Batizada de SODAR, a ferramenta é simples: basta abrir o link goo.gle/sodar via Chrome em um celular com Android atualizado. Não é necessário baixar um aplicativo para usar o SODAR. Não é possível usar a ferramenta em dispositivos iOS.

Vestindo à distância

O varejo de moda foi um dos setores mais atingidos pela crise. As empresas do setor sentem a necessidade de se reinventar, já que comprar roupas online ainda não está na lista de hábitos mais comuns dos consumidores.

A ASOS, varejista britânica de moda, também usou realidade aumentada para inovar e substituir os ensaios fotográficos para mostrar seu portfólio. Para continuar apresentando aos consumidores novas peças de roupa, a empresa está vestindo digitalmente seis modelos com até 500 produtos por semana.

A companhia explica que ao mapear digitalmente cada produto nos modelos de maneira realista, consegue mostrar claramente tamanho, o corte e o ajuste de cada peça. “A tecnologia garante que a apresentação do produto permaneça o mais realista e envolvente possível, ao mesmo tempo em que apoia o distanciamento social”, afirma a marca.


+INOVAÇÕES

Oportunidades para startups com soluções de impacto contra o coronavírus
5 inovações na educação para crianças durante a quarentena
Como serão as viagens em um futuro próximo
Como a pandemia alterou o cotidiano das empresas de saúde?