Inovações e oportunidades de negócios encontradas por Visa e Suzano para o pós-pandemia - WHOW
Consumo

Inovações e oportunidades de negócios encontradas por Visa e Suzano para o pós-pandemia

Impacto no meio ambiente e novas tecnologias para pagamentos, veja o que estas duas empresas têm como foco ao inovarem

POR Eric Visintainer | 06/11/2020 13h41

Mesmo antes da pandemia, o desejo dos consumidores, dentro e fora do Brasil tem sido por mais produtos renováveis em uma economia de baixo carbono, como o Whow! trouxe nas tendências que estão nos transformando. E foi durante a crise sanitária que as novas formas de pagamento pegaram no tranco e mesmo os mais avessos ao utilizar a internet ou o smartphone para compras e pagamentos foram quase que obrigados e testarem esta funcionalidade.

Por isso, o Whow! falou com Bibiana Rubini, gerente executiva de Tecnologia e Inovação da Suzano, maior produtora de celulose no mundo, e Percival Jatobá, vice-presidente de Soluções e Inovação da Visa do Brasil sobre os próximos passos das inovações nesta respectivas empresas.

Inovação com o papel

De acordo com Bibiana não houve um impacto significativo nas atividades da área de Tecnologia e Inovação da Suzano. Assim, a companhia, deu continuidade aos projetos em parceria com universidades, centros de pesquisa e startups nacionais e internacionais. No entanto, a pandemia trouxe nova oportunidades de negócio, com o aumento na necessidade de embalagens para alimentos e e-commerce, produtos descartáveis e na área médica.

“A Suzano, por sua vez, tem como prioridade produzir mais consumindo menos e descobrindo novas aplicações para a árvore. Fazemos isso a partir do conceito de Inovabilidade, que simboliza nossa ideia de desenvolver Inovação em favor da Sustentabilidade”, explica a gerente executiva de Tecnologia e Inovação da companhia.

Ainda segundo Bibiana a empresa vai focar em multiprodutos, em vez de se basear apenas no papel, que desde a fundação em 1924 é o carro-chefe da empresa brasileira fundada por um imigrante ucraniano. E dentre estes novos produtos estão a confecção de canudos feito com material reciclável, biodegradável e de fonte renovável. Segundo a executivo eles já estão em redes de fast-food no Brasil. Outro inovação está em um papel cartão para copos 100% biodegradável e compostável. 

“Importante ressaltar que as árvores plantadas, além de serem fontes renováveis, também ajudam a melhorar o clima a partir do sequestro do carbono existente na atmosfera. Por isso, uma das metas de longo prazo da Suzano é capturar, até 2030, mais 40 milhões de toneladas de CO2 equivalente da atmosfera”, conta Bibiana.

Uma visão sobre o futuro dos meios de pagamento

As novas oportunidades de negócios para o pós-pandemia também estão na mira da Visa. De acordo com o vice-presidente de Soluções e Inovação da empresa no Brasil, o pagamento eletrônico ganhará ainda mais importância muito por conta do crescimento astronômico do e-commerce. 

“A área de Soluções e Inovação da Visa tem focado em expandir a adoção de tecnologias que trazem benefícios diretos para os consumidores, empresas e governos. A indústria vem trabalhando para oferecer diferentes formas de pagar para que o consumidor possa escolher qual delas melhor se adequa ao seu momento”, diz Percival.

E no setor de pagamentos, dinheiro em papel não tem sido bem visto durante a pandemia, por conta do seu contato entre diferentes pessoas. Com isso, os meios de pagamento por aproximação ganharam a tração que esperada desde o seu lançamento. “Temos realizado, desde 2019, um intenso trabalho de aceitação dos pagamentos por aproximação em todo o país, e um dos segmentos que quero destacar é o uso no transporte público brasileiro, a adoção tem sido exponencial conforme as pessoas experimentam seus benefícios”, aponta o executivo.

O vice-presidente de Soluções e Inovação da empresa da Visa no Brasil descreve que, entre janeiro e março de 2020, mais de 13 milhões de portadores de cartão Visa na América Latina e Caribe fizeram a primeira transação de e-commerce. E de olho neste novo mercado a multinacional desenvolveu uma  plataforma para transferência instantânea, com transferência direta de quantias entre pessoas físicas, de pessoa física para empresa, de empresa para pessoa física, e entre duas empresas. 

Outra tendência para o futuro dos meios de pagamento que Percival comenta, é o das transferências instantâneas entre pessoas e empresas, através do WhatsApp e redes sociais.

“No futuro, o pagamento será cada vez mais invisível e estará conectado em qualquer dispositivo pela IoT, facilitando a vida das pessoas, sem que elas precisem se preocupar com o ato de pagar.”

Percival Jatobá, vice-presidente de Soluções e Inovação da Visa do Brasil


Quer saber também os próximos passos da inovação na Natura, BRF, Hospital Albert Einstein, Faber-Castell Brasil. 99, EDP Brasil e Dasa? Então, confira, em breve, na edição de novembro da revista Consumidor Moderno.

+INOVAÇÃO

As visões de líderes de inovação no pós-pandemia
Whow! Festival 2020: 10 palestras que você não pode perder
O campo da inovação na Raízen foca no relacionamento com as startups
Veja os próximos passos da inovação no Brasil