Healthtechs atingem recorde global de investimento - WHOW
Tecnologia

Healthtechs atingem recorde global de investimento

Levantamento mostra que startups de saúde levantaram US$ 21,8 bilhões no terceiro trimestre de 2020. Destaque para América do Norte e Ásia

POR Adriana Fonseca | 30/10/2020 08h30

Os investimentos globais em startups de saúde registraram um crescimento significativo no terceiro trimestre de 2020, estabelecendo um novo recorde trimestral em número de rodadas e também em valor aportado, segundo relatório da plataforma CB Insights.

Neste período, os aportes em healthtechs alcançaram a marca de US$ 21,8 bilhões, com destaque para América do Norte e Ásia. Somente as empresas concentradas na América do Norte conquistaram cerca de US$ 13 bilhões em investimentos, valor recorde para um trimestre e um aumento de 21% em relação ao segundo trimestre de 2020.

Já as startups de saúde da Ásia viram um aumento de 20%, totalizando US$ 6 bilhões em aportes. As healthtechs da Europa aparecem na sequência, com US$ 2 bilhões, também com crescimento em relação ao segundo trimestre. Já África, América do Sul e Austrália, que são reunidas em “outras”, totalizaram US$ 45 milhões em aportes, valor menor do que o registrado nos três meses anteriores, US$ 75 milhões.

Novos unicórnios no setor 

Globalmente, hoje, existem 41 unicórnios na área da saúde, segundo o mapeamento da CB Insights, e cinco novas healthtechs entraram para essa seleta lista no terceiro trimestre de 2020. Nenhum dos unicórnios é da América do Sul. 

O cenário do terceiro trimestre apresenta algumas mega-rodadas de investimento, principalmente nos Estados Unidos e na China.

As startups que atuam com saúde digital são destaque e receberam aportes de US$ 8,4 bilhões no período, crescimento de 73%, estabelecendo um novo recorde. Foram 502 negociações, um aumento de 8% em relação ao trimestre anterior.

Tendências para a saúde

Os investimentos em healthcares que têm soluções baseadas em inteligência artificial chegaram a US$ 2,1 bilhões em 121 negociações, aumento de 37% e 38%, respectivamente, em relação ao segundo trimestre. 

Outra tendência se vê na telemedicina. As startups que atuam na área levantaram o valor recorde para um trimestre de US$ 2,8 bilhões, 73% a mais que nos três meses anteriores. No total foram 162 negociações.

Os aportes em healthtechs que oferecem dispositivos médicos também aumentou, chegando a US$ 5 bilhões. Já as que atuam com pesquisa e desenvolvimento de medicamentos receberam US$ 1,5 bilhão em 38 negociações, incluindo aí cinco mega-rounds. 

Os aportes em startups de saúde da mulher, por sua vez, mais que dobraram, com um aumento de 139%, chegando a US$ 544 milhões. As healthtechs de saúde mental viram um recorde no número de rodadas – 68 -, mas uma queda de 16% no valor investido. 

Por fim, as startups que atuam com planos de saúde e gestão de benefícios receberam aportes de US$ 1,5 bilhão em 29 rodadas. O setor teve cinco mega-rodadas de financiamento que, juntas, somaram US$ 1,2 bilhão. 


+HEALTHTECHS

7 tendências para o setor de healthtechs
Brasil aparece no fim da lista em ranking global de competitividade digital
4 problemas do setor de saúde agravados pela pandemia e combatidos por startups
Startups unidas contra o coronavírus